2016

2016

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

RAY CONNIFF - ALONE AGAIN - 1972

Joseph Raymond, ou simplesmente "Ray" Conniff” foi o grande maestro arranjador de sucessos e inovador em estilos, entre as melhores orquestras da época, com uma grande  produção musical dos últimos tempos, sendo considerado por muitos como o rei do estilo “Easy Listening”.

Nasceu em Attleboro, Massachusetts – EUA, em novembro de 1916 e faleceu em 12 de outubro de 2002. Filho de músicos, logo seguiu a carreira musical, iniciando como trombonista e arranjador nas Big Bands. Também foi arranjador de vários artistas do cast da gravadora CBS, atual Sony, tais como Johnny Mathis, Guy Michell, Johnnie Ray, entre outros.

Em 1955 recebeu o convite de Mitch Miller da CBS para formar a sua própria orquestra, abrindo assim a primeira oportunidade . Seu estilo de associar vozes masculinas a trombones, trompas, saxofones e vozes femininas a pistons, clarinetes e saxofones altos, dava-lhe uma característica inusitada e só sua. Seu coral limitava-se a pronunciar sons como da-das e du-du-dus e outras variantes, ao invés de palavras, o que imprimia um "colorido musical", intensificando os tons suaves e, ao mesmo tempo, abrandando os mais fortes.

O som de Ray Conniff Orchestra ficou famoso logo após o lançamento de seu primeiro disco solo, em 1956, e que se intitulou ´S Wonderful, que vendeu milhões de cópias e permaneceu por meses nas primeiras posições da parada de sucessos. Daí até o segundo, terceiro e quarto álbuns, todos de grande sucesso, foi um pulo, assim como seus lançamentos subseqüentes.

Ray Conniff fez um grande sucesso até o início da segunda metade da década de  1960, período em que seu som ainda era ouvido em bailes dem clubes, nas rádios e nas festinhas caseiras. No entanto, a partir do final desta mesma década, suas vendas começaram a decair. Com  relação a isso, sempre se manteve fiel a seu estilo, com algumas variantes até a introdução dos cantores ainda no início da década de 1960 e que, a partir do final desta, passariam a ser a sua maneira predominante de interpretar as canções, com gravações mais espaçadas do estilo que lhe consagrou, até por uma imposição do mercado que, àquela altura, apresentava forte concorrência com o lançamento de novos estilos mundo afora.

A partir de meados da década de 1970, reduziu seus cantores de 24 para 8 vozes, sem que perdesse em qualidade sonora ou comprometesse seu estilo. Na década de 1980/1990, voltou-se de vez para o mercado latino, tendo gravado centenas de canções, incluindo algumas brasileiras, concentrando-se basicamente no repertório musical de Roberto Carlos e Julio Iglesias. Sua última canção gravada foi "Nossa Senhora" de Roberto Carlos.

 Nesta postagem apresentamos o disco de 1972, lançado no Brasil, pela gravadora CBS, intitulado “Alone Again”, contendo as seguintes músicas:

1. Alone again; 
2. Song song blue; 
3. Where is the love; 
4. The happiest girl in the whole USA; 
5. The candy man; 
6. Because; 
7. Daddy don’t you walk so fast; 
8. Day by day; 
9. Run to me; 
10. Too young; 
11. Brandy.










Nenhum comentário:

Postar um comentário