2016

2016

domingo, 15 de julho de 2012

ODAIR JOSÉ - ONTEM / HOJE - 1977

Acredito que um dos cantores mais emblemáticos e mais pop da música brasileira seja o cantor e compositor Odair José de Araújo, ou simplesmente Odair José. Ele nasceu em Morrinhos, no Estado de Goiás. Já aos 10 anos de idade tocava violão, piano e gaita. Aos 12 anos, ao lado do amigo Demetrius (homônimo do cantor dos anos 1960), formou uma dupla que tocava música sertaneja. Demetrius faleceria pouco tempo depois, devido a uma reação alérgica a uma injeção.

Odair mudou-se para a capital do estado, cidade de Goiânia, onde continuou a se dedicar ao aprendizado musical e iniciou os primeiros passos como compositor. Ao completar 18 anos, resolveu seguir o seu sonho de tornar-se cantor profissional, indo para o Rio de Janeiro, considerada a capital da música brasileira.

Porém, no começo as coisas foram difíceis para o estreante cantor. Em alguns momentos, teve que dormir na rua e trabalhar em inferninhos e boates consideradas “barra pesada”. Mas foi graças a essa vivência na noite que Odair José evoluiu seu estilo de cantar e compor único e marcante. Especializou-se em narrar as mazelas dos mais desafortunados, como as empregadas domésticas, prostitutas, operários, deprimidos e apaixonados. Foi maldosamente apelidado de “Terror das empregadas domésticas”, por ter nesse público muita aceitação. Chegou a participar de dois shows, um no Rio de Janeiro e outro em São Paulo, em apoio à regulamentação da profissão dessa categoria.

Enquanto Odair José dava apoio a uma causa nobre, faziam piada sobre sua música e estilo nas altas rodas “intelectuais” da música. Apesar disso, ao lado de Caetano Veloso, participou da Mostra Phono 73 (postado neste blog), juntos interpretando a música Vou Tirar Você Deste Lugar.

Desde o final dos anos 1960, começou a ter problemas com o órgão repressor oficial na época da ditadura. Várias letras de sua autoria foram alteradas e proibidas pelos agentes da censura. Há uma miopia de que isso só acontecia com os compositores da MPB. Talvez a música mais polêmica da carreira do compositor seja Uma Vida Só, também conhecida como Pare de Tomar a Pílula.  O tema foi uma sugestão do então diretor artístico da Radio Globo, Carlos Guarani.  Quando lançou essa canção em 1973, O Brasil passava por um momento mais crítico de repressão à liberdade civil. O governo estava em franca campanha de controle de natalidade nas classes mais pobres e a música contrariava essa diretriz. Para fúria dos censores a canção tornou-se megasucesso nas rádios de todo o país. A música foi proibida nacionalmente gerando uma grande repercussão, levando o cantor a buscar um auto-exílio, até as coisas melhorarem. Essa música foi proibida em vários países da América Latina.

Outro escândalo de grande repercussão de Odair José nessa época foi a briga dele com a ex-esposa e também cantora Diana. Segundo o que se relatou, o casal já estava em processo de separação, quando em um determinado momento Diana foi até o apartamento onde moravam, para retirar alguns objetos pessoais, quando encontrou o cantor ao telefone côm a cantora Rosemary, falando sobre a música que estava compondo para ela. Encolerizada agrediu o cantor com uma garrafa de uísque, produzindo um corte em sua testa. Após esse fato, o cantor rumou para Londres e ficou por lá até aquele período turbulento passar.

Após retorno, voltou a ter problemas, dessa vez com a Igreja Católica, com a música Cristo, Quem é Você?, uma crítica à igreja. Foi quase excomungado, sofreu tentativa de linchamento e teve que ouvir muitos palavrões.

Em 1977, de forma ousada para a época, lançou o disco Long Playing-LP, O “Filho de José e Maria”. Tratava-se de uma ópera rock com músicas polêmicas contando o nascimento, a vida e morte de um homossexual que resolve assumir sua opção aos 33 anos e encontra a felicidade. Esse personagem era o tal filho de José e Maria. Desse mesmo disco, a música O Casamento deixou a igreja em fúria, pois mencionava que José e Maria não eram casados, quando do nascimento de Jesus. Desta vez, Odair José foi excomungado pela Igreja e o seu disco foi literalmente banido.

Em 1978, retorna com um  disco tradicional intitulado “Coisa Simples”, numa tentativa de superar toda aquela polêmica do disco anterior e minimizar os prejuízos decorrentes. A partir desse momento, continuou compondo canções românticas durante as décadas de 1980 e 1990.

Nos anos 2000, foi resgatado e adquiriu o “status” de artista “cult”. Recebeu homenagens, realizou comerciais de TV, gravaram discos tributo à sua carreira e surgiram bandas “cover” tocando as suas músicas. Um desses tributos foi o disco, em Compact Disc-CD, intitulado “Vou Tirar Você Desse Lugar”, lançado em 2006, pela gravadora goiana Allegro, com a participação de vários artistas pop da nova geração, tais como, Mombojó, Leela, Los Pirata, além de Pato Fu, Zeca Baleiro e Paulo Miklos (membro dos Titãs). O disco ficou entre os quatro melhores CDs daquele ano, eleito pela extinta Revista Bizz, em uma lista de 100 disco indicados. 

Odair José lançou em sua carreira musical 27 discos e várias compilações lançadas por várias gravadoras.

Fontes: livro “Almanaque da Música Brega”, de  Antonio Carlos Cabrera, Editora Matrix, 2007 e o livro "Eu Não Sou Cachorro Não", de Paulo César de Araújo, Editora Record, 2002

Nesta postagem homenageamos esse cantor popular da música brasileira, apresentando o álbum "Ontem / Hoje", lançado em 1977, pela gravadora Polygram, com o selo Polyfair. Uma curiosidade que muitos não sabem e com relação aos músicos que participavam das gravações dos álbuns de Odair José na Polygram. Eram músicos de primeira grandeza, sendo em muitos casos, os mesmos músicos de artistas da MPB, que faziam parte do "cast" da mesma gravadora, entre eles Roberto Bertrami (piano), Alex Malheiros (baixo), Ivan "Mamão" Conti (bateria), que depois formaria o grupo Azimuth e ainda Luiz Cláudio Ramos, que seria posteriormente o maestro de Chico Buarque de Hollanda. 

Neste álbum apresentado, contém os seguintes sucessos e mais 5 canções bônus incluídas pelo blog:

1. Eu você e a praça; 
2. Cadê você; 
3. Mande nem que seja um telegrama; 
4. Alegria triste; 
5. Cristo, quem é você; 
6. Pense pelo menos em nossos filhos; 
7. Noites de desejos; 
8. Eu sinto pena e nada mais; 
9. Deixe essa vergonha de lado; 
10. Na minha opinião (Eu te quero, Te adoro, Te gosto); 
11. Que saudade de você; 
12. As noites que você passou comigo; 
13. Dê um chega na tristeza; 
14. Esta noite você vai ter que ser minha; 
15. Assim sou eu; 
16. A noite mais linda do mundo (Felicidade).

Bônus

17. O filho de José e Maria; 
18. Uma vida só (Pare de tomar a pílula); 
19. Vou tirar você desse lugar; 
20. O amanhã espera por nós dois; 
21. Mom amour, meu bem ma femme.
















Um comentário:

  1. Hello, good people....

    Vou contar uma história rápida , porém inquestionavelmente real:

    Antigamente, no século passado, lá pelo meio dos anos '70, Odair José, era considerado um músico "menor", de apelo "sentimental-brega" e os mais "esclarecidos musicalmente" simplesmente o desprezavam, e ignoravam....para os amantes do rock'n'roll, como eu, era então insuportavelmente repetitivo e brega, seus 3 acordes eram uma tortura para qualquer ouvido educado...

    Hoje, com todo o avanço nas redes de informação, percebemos que a música brasileira infelizmente está MORTA E ENTERRADA, pelo menos na media,TV,rádio,etc,,etc,,, somos bombardeados incessantemente pelo "neo-sertanojo", pelo "funk" (ai, meu amigo James Brown se revirando no túmulo!!)e por músicas destituídas de valor....com letras desprezíveis e compostas por "semi-analfabetos" musicais e que fugiram da escola na 2º série do ensino fundamental....

    Então revivemos o mesmo dilema da Roma antiga....os brasileiros em sua maioria, encontram "satisfação" (I can't get no satisfaction!) em músicas inomináveis e no indefectível futebol....e o mundo continua a girar!!!!

    Moral da história: Hoje Odair José merece todo o nosso respeito!!! Ele é "cult 'prá chuchu!!!"

    Um dia, a "verdade musical" libertará a TODOS...assim eu espero e rezo todas as noites por isto!!!

    Apesar do mediocridade musical brasileira atual,

    """█▓▒░ ★ Life Gets Sweeter Everyday★ ░▒▓█"""

    Peter Hammill - SP

    ResponderExcluir