2016

2016

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

JOSÉ RICARDO - EU QUE AMO SOMENTE A TI - 1965

Um cantor integrante do movimento Jovem Guarda que acabou não tendo tanto destaque pelas mídias foi o José Ricardo (José Alves Tobias). Ele nasceu no Rio de Janeiro, no bairro da Tijuca, no dia 06/03/1939 e faleceu em 11/05/1999. Acabou se destacando mais pela sua bondade, por ocasião de ajuda aos velhos artistas.

Iniciou sua carreira artística ainda garoto, apresentando-se no programa “Ritmos da Polícia Militar”, na Rádio Guanabara. Sua avó materna, italiana, estimulava-o em sua vocação. Posteriormente, se apresentou em programas de calouros de Isaac Zaltman, na Rádio Mauá. Começou a cantar oficialmente na Rádio Guanabara e na sequência em outras emissoras de rádio.

Sua primeira gravação ocorreu em setembro de 1963, em um teste na gravadora RCA Victor, onde cantou um sucesso de Altemar Dutra, Tudo de Mim. Nesse mesmo ano recebeu da Revista do Rádio o prêmio de “Revelação do Ano”. Já contratado pela gravadora RCA Victor, gravou um compacto simples com a música Eu Que Amo Somente a Ti, versão de Aldacir Louro para a canção italiana de Sérgio Endrigo, Io Che Amo Solo Te. A gravação foi hit imediato em programas de rádio, como a “Grande Parada pastilhas Valda”, apresentado por César de Alencar, na Rádio Nacional, do Rio de Janeiro.

Em 16/02/1965, foi lançado o disco Long Playing – LP “Eu Que Amo Somente a Ti”. Também participou de disco “Rio de Janeiro 400 Anos”, interpretando Terra Carioca e Rio de Janeiro. Com o sucesso, participou de inúmeros programas no rádio e televisão, apresentando-se por todo o país.

Na década de 1960, o programa “Encontro Com os Brotos”, apresentado por José Messias, na Rádio Guanabara, permitiu-lhe ser um dos precursores do Movimento Jovem Guarda que, na mesma época, a partir do programa de TV, começava a estoura em São Paulo.

Seu nome foi eternizado na música Festa de Arromba, de Erasmo Carlos e a carreira seguiu em frente. Realizou centenas de gravações em mais de 60 Compactos Simples e Suplos, Long Playings – Lps, Coletâneas e regravações. Infelizmente, gravou muito pouco na era dos Compact Disc – CD.

José Ricardo, de voz possante e suave, não limitou-se a repertório romântico da Jovem Guarda, realizando diversas gravações em outros estilos e principalmente para o Carnaval. Realizou várias temporadas no exterior. Gravou disco em espanhol e foi homenageado pelo presidente de Portugal.

A partir de 1991, lutou pela criação dos bailes populares da Cinelândia, buscando a revitalização do Carnaval carioca. O projeto abriu novo campo de trabalho para inúmeros artistas e ainda é atualmente realizado. No Reveillon de 1998/1999 , realizou o seu último grande show na Praia de Copacabana.

Além da atuação artística, sempre lutou para ajudar artistas em dificuldade. Auxiliou vários colegas com sua personalidade solidária. A partir dos anos 1980, assumiu como membros de sua família, as cantoras irmãs Batista (Linda, Odete e Dircinha).

Faleceu pouco depois de completar 60 anos de idade, vitimado por um câncer. Por sua história e lição de vida, em 2000, foi homenageado com seu nome à FUNJOR – Fundação Sócio Cultural José Ricardo (www.funjor.org.br).

Fonte: Wikipedia, 24/12/2012.

Para homenagear esse grande cantor e ser humano, compartilhamos o primeiro e raro álbum de José Ricardo, intitulado “Eu Que Amo Somente a Ti”, lançado em 1965, pela gravadora RCA Victor. Os destaques são as versões de canções italianas Eu Que Amo Somente a Ti e AnaMaria, contendo as seguintes músicas:

1. Por que só penso em ti; 
2. Me disseram que...;
3. Travesseiro; 
4. Somente uma saudade; 
5. Choro de amor; 
6. Eu que amo somente a ti; 
7. Delirio de amor; 
8. O meu mundo; 
9. Amor traiçoeiro; 
10. Quando é hora de adeus; 
11. Canção da serra; 
12. AnaMaria.




















5 comentários:

  1. Grande postagem d um disco (q nunca foi relançado) d um cantor possuidor d uma belíssima voz. O texto d apresentação do disco mt importante, também. Só 1 pequena correção: no corpo do texto o nome d José Ricardo está trocado pelo d Sérgio Ricardo; este, um artista que, digamos assim, corria às léguas da música "jovem". Sérgio Ricardo era/é(?)um esquerdista (politicamente falando) empedernido e, como tal, contrário a toda manifestação "imperialista" (em que, naturalmente, para ele, a música anglosaxônica se enquadraria, já que o rock e assemelhados provinham dos EEUU ou do Reino Unido. É isso aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Druca
      Obrigado pela sua rica e oportuna contribuição. Você tem razão houve uma pequena com a troca dos nomes. Já está corrigido. O que é engraçado é que na vida real são personagens antagônicos. Mas tanto um, quanto o outro foram grandes artistas.
      Valeu...
      Hedson LaPlaya

      Excluir
    2. Antonio Magalhães18 de outubro de 2014 22:50

      Esclarecimento...

      Final do texto da foto 3, não condiz com o selo do disco "José Ricardo/GINA (Versionista:
      ROMEU NUNES)"; registrando mais: C/ Expósito e Sua Orquestra*.

      *AM/Colecionador

      Excluir
  2. Olá Hedson tem como o sr liberar o link, por favor, estou curioso em ouvir este disco de José Ricardo; Obrigado !
    Hélio

    ResponderExcluir
  3. O link para download está quebrado.

    ResponderExcluir