2016

2016

sábado, 29 de dezembro de 2012

PLAYER COMPACT DISC PHILIPS - 1985

Todo final de ano costumo realizar uma limpeza em armários, biblioteca, arquivos de computadores e outros. Na limpeza deste ano me deparei com o "folder" do meu primeiro equipamento de tocar Compact Disc - CD, da marca Philips, ano 1984. Esse equipamento foi lançado em 1983 e foi com grande entusiasmo que ele chegou no mercado. Na época considerava-se que esta nova tecnologia viria a revolucionar o mercado de audio.
Os grandes atributos dessa tecnologia eram a qualidade de audio, a mobilidade dos discos e a durabilidade. Muitos audiófilos substituiram toda a sua coleção de Vinyl pelos novos discos que foram sendo colocados no mercado. Eu mesmo fui um deles.
Entretanto, não sou da categoria de pessoas que odeiam os CDs. Pelo contrário, eu acredito que as tecnologias se convergem e podem conviver harmoniosamente. Cada um tem os seus prós e contras. Isso ocorreu com a chegada do Long Playing de 12" que eram de acetato em substituição dos discos de baquelite, do 45rpm para 33rpm, do monofônico para o estereofônico, do surgimento das Fitas Cassete - K7 com a possibilidade de gravar e desgravar, do LP para o Compact Disc, dos CDs para o Mp3.
Eu mantenho e curto todas as opções de tecnologias e ainda incluo o Mini Disc - MD, sistema lançado pela Sony, que veio substituir o K7 e não pegou pelo seu alto custo e a melhora da banda larga da internet, com o Mp3.
Para recordar e apresentar para aqueles que nunca viram os primeiros equipamentos tocadores de Cds e diga-se de passagem eram muito caros no início, segue as ilustrações do meu primeiro equipamento Player de Cds, da Philips.






6 comentários:

  1. Hello, good people....

    Cara....preciso escrever um livro relatando as minhas experiências no mundo do som.....

    Lá pelo ano de 1983...ou 84....tive a HONRA de trazer o primeiro aparelho de CD-PLAYER para a minha cidade, Sorocaba....explico:

    Havia um amigo, que trabalhava na GRADIENTE e me avisou que a mesma, após a parceria com a GARRARD, estava prestes a lançar um cd-player...(creio que deveria ser o clássico Yamaha, com o logo trocado..ou algo assim)e realizava a partir de pedidos, demonstrações exclusivas do equipamento, para universidades e empresas.....

    Eu, na época estudava Engenharia Eletrônica e passei o PRECIOSO cartão da GRADIENTE com o contato para o coordenador do curso....e logo...logo.....numa NOITE DE GALA......fomos apresentados ao novo som do mundo digital.....

    Inesquecível......Chick Corea, Clássicos, Bossa Nova, foram apresentados aos incrédulos alunos e convidados...e pensar que nesta época eu ouvia diariamente a Rádio Cultura FM - SP....somente clássicos.....e nos momentos de silêncio ou de baixa intensidade, EU OUVIA ATRAVÉS DAS "ONDAS HERTZIANAS" OS CLICKS E CLACKS do disco de vinil do estúdio desta emissora.....

    A impressão foi extremamente POSITIVA e duradoura.....foi como se uma 4° dimensão fosse apresentada para nós.....fidelidade, ausência de ruídos.....plena resposta em frequência...os "wow e os flutters", sempre presentes num toca disco de vinil, estavam EXTINTOS!!!! Maravilha!!!!!(http://en.wikipedia.org/wiki/Wow-and-flutter...

    Deste dia guardo 2 certezas:
    -Tenho a HONRA de ter trazido o primeiro cd-player na minha cidade e

    -Discos de vinil? Somente na IMPOSSIBILIDADE total de ser encontrado o cd.....

    Tenho um amigo, dono de uma loja de cd's que festeja a volta das fábricas de lp's.....mesmo uma coleção completa dos THE BEATLES em vinil, com encartes e tal está sendo vendida por "módicos" R$1800,00!!!!

    Ouso até desafiar que seja provada (tecnicamente, por favor...utilizando por exemplo um Analisador de Espectros!) a tão comentada superioridade dos discos de vinil....que para mim continuam sendo PRIMARIAMENTE fontes de ruídos indesejáveis, que MACULAM a obra a ser apreciada!!!

    Com certeza,

    """█▓▒░ ★ Life Gets Sweeter Everyday ★ ░▒▓█"""

    Peter Hammill - SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disco de vinil, sempre que eu tiver ele,
      só na falta dele, uso o CD ou outra mídia...
      .
      Se o CD tem a capacidade de dar - técnicamente,
      mais qualidade ao som, sem os tais "ruídos",
      a capacidade dos que gravam na era do CD já não
      tem mais a mesma musicalidade dos tempos do vinil.
      .
      Até o vinil choraria se estivesse em atividade...
      .
      Música que já foi gravada em vinil,
      prefiro ouvir no vinil!
      .
      .
      .

      Excluir
    2. Peter e Dj_Maloro
      O que é interessante é justamente essa diversidade de opiniões e gostos. Isso leva ao saber, pois a unanimidade é burra. Porém, os extremos não acrescentam e apenas criam conflitos.
      É bom lembrar que há os prós e contras em cada tecnologia disponível.
      Um feliz 2013 para vocês.
      Hedson LaPlaya.

      Excluir
  2. Lembro que no ano de 82 ou 83 eu estagiava no departamento técnico do Sistema Jornal do Brasil, e a JB FM já usava video disco lazer para tocar clássicos.
    Vindo dos EUA, o filho do novo trouxe um cd player e alguns cd´s, e fomos instalar na Rádio Cidade. Lembro que a música era do Michael Jackson e que o aparelho fazia um bip antes de tocar a faixa, então criaram um bordão mais ou menos do tipo -quando vc ouvir este bip, é tecnologia digital tocando- e pronto, lá ia nais uma música.
    Havia um aparelho que analisava a qualidade do sinal estéreo, eram como duas linhas paralelas se estivesse mono e em um estéreo perfeito assumiam 90 graus para cada lado.
    Pois bem, a transmissão da Rádio Cidade já era excelente, assumindo perto de 75 graus para cada lado, e no momento do CD, a grande magia! Estéreo perfeito!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ronaldo
      Ter vivenciado as diversas fases de cada tecnologia é que nos permite distinguir as vantagens e desvantagens de cada uma delas e isso possibilita uma visão mais equilibrada da evolução musical.
      Valeu...obrigado pela sua contribuição.
      Hedson LaPlaya

      Excluir