2016

2016

sábado, 29 de dezembro de 2012

WANDERLEY CARDOSO - QUANDO O AMOR SE TRANSFORMA EM POESIA - 1969


No Movimento Jovem Guarda, excluindo Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléia, um dos cantores que mais fez sucesso, juntamente com Jerry Adriani, foi o cantor Wanderley Cardoso, que marcou época pela voz romântica e melódica que interpretava as canções.

Wanderley Conti Cardoso nasceu em São Paulo, no bairro do Belenzinho, no dia 10/03/1945. Quando garoto, sua mãe costumava levá-lo aos programas e vivia sempre grudado em um rádio. Iniciou sua carreira aos 13 anos de idade, participando de programas de concursos musicais, tendo ganho vários prêmios. Destacou-se com a regravação em 78 rpm da música Canção do Jornaleiro, de Heitor dos Prazeres, que na época já era antiga, com mais de 40 anos.

Com a mudança de voz, ficou parado até os 18 anos, retornando com o conjunto “Os Sombras”, que realizava bailes na região de Pirituba, em São Paulo e cantava canções de Elvis Presley e Paul Anka. Em seguida resolveu investir com intensidade na carreira. O seu primeiro sucesso ocorreu em 1965, com a música Preste Atenção. A partir disso, foi um sucesso atrás do outro, com as músicas Abraça-me Forte, O Bom Rapaz, Promessa (canção de Roberto e Erasmo Carlos feita especialmente para ele cantar), tornando-o um dos ídolos da Jovem Guarda, ganhando o apelido de “O Bom Rapaz”, título do seu grande sucesso de 1967, que vendeu mais de 5 milhões de cópias.

Foi apresentador de rádio e televisão e participou como um dos integrantes do programa de TV, “Os Adoráveis Trapalhões”, apresentado na extinta TV Excelsior, ao lado de Renato Aragão, Ted Boy Marino e Ivon Curi. Além do programa, aparece em cenas no filme de Renato Aragão, “Na Onda do Iê-Iê-Iê”, lançado em 1966, com destaque para a música Promessa.

Depois da Jovem Guarda e dos Adoráveis Trapalhões, em 1970, foi contratado por Silvio Santos, juntamente com Paulo Sérgio e Antonio Marcos para se apresentar semanalmente no quadro “Os Galãs Cantam e Dançam na TV”, que trazia além dos três contratados fixos, vários outros cantores convidados.

No cinema, protagonizou vários filmes e participou em algumas peças de teatro e telenovelas. O filme mais famoso foi “O Pobre Príncipe Encantado”, onde era o personagem principal do filme e contava com a participação do ator Flavio Migliaccio e da cantora Vanusa, que posteriormente manteve romance com o cantor.

Um dos fatos lamentáveis da sua carreira foi o ato de violência que ocorreu no início dos anos 70, onde foi barbaramente espancado por nove rapazes “playboys” (ricos, fazendeiros e industrias locais), na cidade de Uberaba, onde realizaria um show. Os fatos não foram devidamente apurados, devido ao poder dos envolvidos.

Ao longo de sua carreira, gravou mais de 900 canções e vendeu cerca de 16 milhões de cópias dos seus mais de 100 discos (Long Playings - Lp, Compactos Simples e Duplos, Fitas Cassete e Compact Disc – Cd).

Após o período da Jovem Guarda, sofreu com o declínio do sucesso, passando por depressão, auxiliado pelo consumo de bebidas até o fundo do poço com a tentativa de suicídio. Atualmente mora no Rio de Janeiro, na Ilha do Governador. É evangélico e continua cantando seus sucessos, do tempo da Jovem Guarda e as novas canções “gospel”.

Em 2003, já no cenário cristão foi premiado com o troféu Talento, na categoria Revelação Masculina. Seu último grande trabalho ocorreu em 2005, com a gravação do Cd/Dvd “Wanderley Cardoso ao Vivo: 40 anos de sucesso do bom rapaz”, gravado no dia 05/10/2005, no Canecão – RJ, tendo a participação de amigos. Recentemente, no dia 22/11/2012, aos 67 anos esteve hospitalizado, com suspeita de um infarto, mas no dia 26/11 já obteve alta e está sob controle médico.

Para homenagear esse grande personagem da Jovem Guarda, compartilhamos o álbum lançado em 1969, pela gravadora Copacabana Discos. Os destaques desse disco são as músicas Quando o Amor se Transforma em Poesia (sucesso italiano do Festival de San Remo), Canto de Esquecer Adeus (versão do sucesso Yesterday When I Was Young, de Charles Aznavour) Chove a Natureza Chora, Deve Existir Alguém e Traços de Amor (versão do sucesso Traces da banda Classics IV). Considero a interpretação da música Quando O Amor Se Transforma em Poesia melhor do que a versão original italiana. As músicas do disco são:

1. Quando o amor se transforma em poesia; 
2. Luzes da avenida; 
3. Canto de esquecer adeus (Yesterday when I was young); 
4. Chove a natureza chora; 
5. Deve Existir Alguém; 
6. Traços de Amor (Traces); 
7. Sim...é melhor; 
8. Se eu pudesse dizer o que sinto; 
9. Nem uma vida inteira; 
10. Se ela voltar; 
11. Hey, tu; 12. Deixa-me chorar.









Nenhum comentário:

Postar um comentário