2016

2016

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

JOHNNY RESTIVO - OH! JOHNNY - 1959

O cantor norte americano John Charles Restivo, ou simplesmente Johnny Restivo, nasceu em 13/09/1943, no Bronx Norte, na cidade de Nova York. Sua carreira começou aos 15 anos, no ano de 1959, quando foi descoberto por um representante da gravadora RCA Victor Records. 

Ele gravou o seu primeiro single The Shape I’m in b/w Ya Ya, em junho daquele mesmo ano, com o acompanhamento no violão do então desconhecido Jerry Landis, que mais tarde ficaria mundialmente conhecido como Paul Simon.

Em 1960 e 1961 ele fez a sua primeira turnê no exterior, que incluiu a Austrália, Bélgica e América do Sul. Após a turnê, ele se baseou na Argentina por três anos, ficando até 1963. Chegou a ter o seu próprio programa de televisão com variedades, chamado “The Johnny Restivo Show”, tendo como patrocinador a empresa Coca Cola.

Paralelamente realizou diversas apresentações nos mais famosos clubs e boates da América do Sul, incluindo o Hotel Copacabana (Rio de Janeiro) e Waldorf (Santiago, Chile). Em 1963, excursionou pela África do Sul e no ano de 1965 foi residir em Londres, visitando Israel, Itália e França.


Em 1967, retornou para os EUA, atuando principalmente em boates, resorts e cruzeiros. Em 1969, foi convocado para o exército americano, onde serviu em posto na cidade de Heidelberg, Alemanha. 

Ainda no exército se juntou ao “7th Army Soldiers Chorus” e começou a excursionar pelas bases americanas na Europa. Retornou em 1971 e continuou atuando nos circuitos que já atuava antes de ir para o exército até o encerramento de sua carreira, em 1978. A partir de 1982, abriu um negócio de roupas chamado Rockland Mattress.

Nesta postagem apresentamos o álbum “Oh! Johnny”, lançado em 1959, pela gravadora RCA Victor Records, com o selo Living Stereo e relançado em 1995, na mídia Compact Disc. O destaque desse disco é a música Dear Someone, cuja versão Meu Benzinho, foi gravada pelo cantor Paulo Sérgio. O álbum contém as seguintes canções:

1. I like girls; 
2. Dear someone; 
3. Love; 
4. Last night on the back porch (I loved her besto f all); 
5. Free; 
6. Look around; 
7. Come closer; 
8. I wanna play house with you; 
9. Our wedding day; 
10. The thing; 
11. Boy crazy; 
12. For real! No fooling.
















quarta-feira, 22 de agosto de 2012

SCOTT McKENZIE - THE VERY BEST OF - 1991

Neste sábado que passou, dia 18/08/2012, morreu aos 73 anos o cantor e compositor norte americano Scott McKenzie (nome artístico de Scott Philip Blondheim), que deu voz ao hino não oficial de contra cultura dos anos 1960, com a canção San Francisco (Be Sure to Wear Flowers in Your Hair), composta em 1967 por John Philips, líder do grupo Mamas And The Papas e simbolizava o pensamento do movimento Hippie e um hino à liberdade.
Ele nasceu em 10/01/1939, na cidade de Los Angeles e iniciou sua carreira na década de 1950 e o seu grande hit foi a canção emblemática  San Franciso. Posteriormente lançou mais um sucesso que não teve a mesma repercussão e depois a composição em co-autoria da canção Kokomo, sucesso em 1988, na voz da banda Beach Boys e fez parte da trilha sonora do filme The Cocktaill.
Ele lançou apenas dois álbuns solos, sendo "The Voice of Scott McKenzie" e "Stained Glass Morning", antes de se retirar da cena musical nos anos 70, fugindo da pressão do show business. Retornou a partir dos anos 1980 com uma versão dos The Mamas and The Papas.

Para mais informações sobre Scott Mckenzie, veja o site oficial, cujo link é: http://www.scottmckenzie.info/home.html
Nesta postagem, como homenagem, apresentamos o álbum lançado na Alemanha em 1991,  pela gravadora Sony Music, com o selo Epic, contendo as seguintes músicas e um bônus cortesia do blog:
1. San Francisco (Be sure to wear some flowers in your hair); 
2. Celeste; 
3. It's not time now; 
4. What's the difference (Chapter II); 
5. Reason to believe; 
6. Like an old time movie; 
7. No, no, no: 
8. Don't make promises; 
9. Twelve thirty; 
10. Rooms; 
11. What's the difference (Chapter I)

Bônus: 12. San Franciso 89 (Remix).


























 Links: 

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

OS SELVAGENS - DON'T LEAVE ME NOW - 1971

Nesta postagem, apresentamos outro álbum da banda brasileira Os Selvagens (Ver postagem de 08/08/2012 com detalhes da banda).

Desta vez, trata-se do álbum intitulado "Don't Leave Me Now", lançado em 1971, pela gravadora CBS, com o selo Epic. O disco foi produzido por Rossini Pinto, que também foi autor de algumas canções e versões. Destaco as versões de Cat Stevens, com a música Mundo Selvagem - Wild World, de Bob Dylan com Você Falhou - If Not For You e de Michael Nesmith (The Monkees), com a versão Tempo Perdido - Silver Moon.

Para complementar, foram incluídas pelo blog seis músicas bônus, lançadas em 1973, com destaque para a música Perdi a Esperança - Trop Belle Pour Rester Seuce. As músicas do disco são:

1.  Don't leave me now";
2. A moça do vestido vermelho;
3. Mundo selvagem (Wild world);
4. Se eu não voltar;
5. Você falhou (If not for you);
6. Carcereiro;
7. Deixe estar como está (Put your hand in the hand); 
8. O velho Tiago;
9. Sinto muito (Sweet Mary);
10. Vá dizer a ela (Hello to Mary);
11. A sua mãe;
12. Tempo Perdido (Silver Moon)

Bônus:

13. História de um broche;
14. O jornalista;
15. O amor é como o vento (The cards);
16. Itchy koo koo;
17. Perdi a esperança (Trop belle pour rester seuce);
18. Assim seja. 
















Links:




sábado, 18 de agosto de 2012

THE TRIBUTE TO ELVIS - IT'S NOW OR NEVER - 1994

Para quem curte releituras, segue mais uma postagem de tributos. Vamos repetir a dose com mais um tributo de Elvis Presley. Desta vez, trata-se do álbum "It's Now or Never - The Tribute to Elvis", lançado em 1994, pela gravadora Polygram, com o selo Mercury. O disco contém vários interpretes do gênero Country Music. As músicas e respectivos artistas selecionados são:

1. Lawdy miss clawdy (Travis Tritt); 
2. Teddy bear (Tanya Tucker); 
3. Mystery train (Dwight Yoakan); 
4. Love me (The Mavericks); 
5. Burning love (Melissa Etheridge); 
6. Baby let's play house (Michael Hutchene and NRBQ); 
7. Young and beautiful (Aaron Neville); 
8. Don't be cruel (Marty Stuart); 
9. One night (Billy Ray Cyrus0; 
10. Blue moon (Chris Isaak); 
11. Jailhouse rock (Michael Bolton and Carl Perkins); 
12. Trying to get to you (Faith Hill); 
13. Hound dog (Bryan Adams); 
14. It's now or never (Wet Wet Wet); 
15. Love me (Tony Bennett) 



















Links:




sexta-feira, 17 de agosto de 2012

THE JONES - MUSIC TO WATCH GIRLS DANCE - 1967

Em complemento a postagem de 09/08/2012, segue mais um álbum da banda The Jones, lançado em 1967, pela gravadora Continental. Destaca-se a boa performance instrumental do grupo. Outro aspecto interessante é releitura instrumental das músicas Meu Grito e Faça Alguma Coisa Pelo Nosso Amor, de Roberto e Erasmo Carlos, canções que nunca foram gravadas pelos autores. O álbum contém as seguintes músicas:

1. Music to watch girls by; 
2. Meu grito; 
3. Secret agent man; 
4. Hurting inside; 
5. A garota legal; 
6. There's a kind of hush; 
7. Never never; 
8. This my song; 
9. Quando digo que te amo; 
10. Sunny; 11. Faça alguma coisa pelo nosso amor; 
12. Longe de você; 
13. Something stupid; 
14. Partido por la mitad
















or


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

ALTAMIRO CARRILHO - 125 ANOS DE CHORINHO - 2000

O mundo musical brasileiro perde Altamiro Carrilho, virtuoso da flauta transversal, com mais de 200 canções escritas, músico de 87 anos não resistiu a complicações causadas por um câncer no pulmão.


Considerado um dos maiores instrumentistas da música popular brasileira, o flautista Altamiro Carrilho morreu na manhã de ontem, dia 15/08/2012, no Rio de Janeiro. O músico havia sido internado em julho num hospital em Copacabana, com complicações pulmonares. Chegou a passar três dias no Centro de Terapia Intensiva - CTI, mas teve alta no último dia 24 e passou a receber atendimento médico em casa. Ontem, voltou a ser internado e não resistiu.


Altamiro Carrilho era o quarto filho de uma família de oito irmãos – entre eles o também flautista Álvaro. Ele nasceu em Santo Antonio de Pádua, noroeste fluminense, no dia 21/12/1924.


Em 1938 passou a integrar a banda familiar de seu avô materno, na qual tocava caixa de guerra (tipo de tambor). Três anos depois, a família se mudaria para São Gonçalo (região metropolitana do Rio) e Carrilho, já flautista rodado por concursos de rádio, teria sua grande oportunidade, substituindo o lendário Benedito Lacerda (1903-1958) como músico de apoio em um show de Moreira da Silva (1902-2000).


Bem-sucedido, foi convidado a participar de um disco do cantor e acabou sendo apresentado a outros artistas. Acompanhou estrelas do rádio como Ademilde Fonseca e Emilinha Borba e, em 1949, gravou seu primeiro disco, Flauteando na Chacrinha.


Ao longo de mais de 60 anos de carreira, compôs cerca de 200 músicas. Entre as mais conhecidas estão os choros Bem Brasil e Aeroporto do Galeão e gravou mais de cem discos, tornando-se uma lenda do choro e responsável pela disseminação do gênero.


Para mais informações sobre Altamiro Carrilho, veja a postagem realizada em 15/08/2011. 

Já nesta postagem, homenageamos esse grande instrumentista apresentando o álbum independente, intitulado "125 Anos de Chorinho", lançado em 2000, de show realizado no Teatro Municipal, com o patrocínio do Serasa. Da seleção de 16 músicas contidas no álbum, quatro são de autoria do próprio instrumentista. As faixas do disco são:

1. Apresentação do maestro Julio Medaglia; 
2. Deixa o breque pra mim; 
3. Flor amorosa; 
4. Bem Brasil; 
5. Odeon; 
6. História de 1x0; 
7. 1x0 - Pixinguinha; 
8. Oriental; 
9. Eterno jovem Bach; 
10. Pequena serenata; 
11. Atraente / Corta jaca; 
12. Bemtevi atrevido; 
13. Tico tico no fubá; 
14. Brasileirinho; 
15. História de André de sapato novo; 
16. André de sapato novo.













Link:

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

LUIZ CLÁUDIO - MEU ANJO - 1959

Para finalizar a postagem dos álbuns oficiais do cantor Luiz Cláudio, segue a nona postagem, que trata do disco lançado em 1959, pela gravadora Odeon, com destaque para a linda versão da canção Meu Anjo (My Blue Angel). Aproveite e também veja mais detalhes sobre o cantor nas outras postagens contidas no  blog. As canções do disco são:

1. Noite de ficar sozinho; 
2. Menina feia; 
3. Meu anjo; 
4. História; 
5. Carinho e amor; 
6. Eu, você e o luar; 
7. Oração de amor; 
8. Só Deus; 
9. Vou fazer um samba; 
10. A canção do inverno; 
11. Desencanto; 
12. Amor sem Deus.















or

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

A TRIBUTE TO ELVIS PRESLEY - ALWAYS ON OUR MIND - 1992

Tenho uma atração por álbuns relacionados a tributos. De vez em quando quebro a cara com tributos de gostos duvidosos. Já postei aqui no blog alguns tributos e estava faltando algum referente ao rei Elvis Presley.


O álbum desta postagem, na média, apresenta boas releituras da obra de Elvis, mas há algumas faixas mais fracas, que por coincidência são interpretadas por bandas menos conhecidas. Para mim, os destaques são as interpretações de Always on My Mind, Don't Be Cruel, Paralysed, Love Letters e Such a Night. O ponto negativo foi a interpretação da música Can't Help Falling Love, que considero uma das belas do repertório de Elvis Presley. 

O disco foi lançado em 1992, pela gravadora Sony Music, com compilação e produção de Glenn A. Baker. As canções que compõem o álbum são:

1. Always on my mind (Pet Shop Boys);
2. Suspicious minds (Finne Young Canniballs);
3. Don't be cruel (Cheap Trick);
4. A mess of the blues (Status Quo);
5. Paralysed (Dave Edmunds);
6. Kissin' cousins (The Saints);
7. You're so square - Baby, I don't care (Joni Mitchell);
8. Treat me nice (Uncanny X-Men);
9. Crawfish (Stan Campbell);
10. Love letters (Little River Band);
11. Love me tender (Mental as Anything);
12. In the ghetto (Nick Cave & The Bad Seeds);
13. Can't help falling in love (The Triffids);
14. Flaming star (The Milky Bar Kids);
15. Old shep (The Mighty Guys);
16. Such a night (Shakin' Stevens); 
17. Viva Las Vegas (Stephen Cummings);
18. Heartbreak hotel (John Cale).











BAILE DE BROTOS - JOVEM GUARDA - VOLUME 1 - 2012

No ano passado ao visitar um feira de colecionadores de discos, recebi de um amigo três discos regravaveis (Cdrws) contendo um material interessante, da época da Jovem Guarda. O que me chamou a atenção era que o material era composto por personagens que não eram considerados a primeira linha da Jovem Guarda. Eram bandas e artistas de gravadoras alternativas e que aproveitaram o momento comercial daquele movimento. Nessa coletânea, além de algumas músicas inéditas, também há algumas pérolas perdidas de épocas mais recentes, mas que tinham grande influência da época.

Considerando que o material recebido não tinha nenhuma informação ou até mesmo composição gráfica, o blog pesquisou e montou uma capa e lista das músicas e interpretes. Acredito que vale pela raridade e também como curiosidade. As músicas do disco são:

1. Telstar – Mário Gennari Filho - 1963;
2. Hully Gully do Galinho - Arrelia - 1963;
3. Jamais Soube Seu Nome – Kleber Satri – 1963 (*);
4. Cansei de lhe Pedir – Meire Pavão e The Jet Blacks - 1964;
5. Tristesse – Os Metralhas - 1964;
6. A Volta do Brôto – Alceli Camargo - 1965;
7. Os Rapazes Gostam de Saber - Cidinha - 1965;
8. Bobo de Ninguém – Edson Gray - 1966;
9. Você me Faz Chorar – The Victors - 1967;
10. Brotinho Sem Juízo – Carlos Imperial - 1967;
11. A Catedral (Winchester Cathedral) – Os Falcões - 1967;
12. Eu Encontrei o Amor (I Found a Girl) – Os Jovens - 1967;
13. Não Quero Ouvir Falar de Amor – Luiz Keller - 1967;
14. O Chorão – Os Panteras - 1967;
15. Namoradinha de um Amigo Meu – Os Falcões - 1967;
16. Quero Ter Você Perto de Mim – Maritza Fabiani – 1968;
17. Hello Mona Lisa – Santos Dumont - 1969;
18. Que Vale a Vida Sem Amor – Luiz Airão - 1969;
19. Eu Sou um Rock’n Roll – Kleber Satri – 1970 (*);
20. 16 Toneladas (Sixteen Tons) – Noriel Vilela - 1971;
21. Um Grito no Além – Edson Gray – 1972 (*);
22. Sempre lhe Direi – Wanderley Cardoso - 1974;
23. Aliança – Sara Sally Sarinha – 1974 (*);
24. Olhando Estrelas (Look For a Star) – Gilberto Reis - 1976;
25. Adriana na Piscina – Garotos de Vida Fácil - 1983;
26. A Rosa Azul – Ylan Marcel – 2002 (*)
Obs: (*) Gravações Inéditas, não lançadas em disco













domingo, 12 de agosto de 2012

PAN PIPES OF THE ANDES - EL CONDOR PASA - 1995

Para quem gosta de flauta de Pan e/ou estilo de ritmo latino, esta postagem vem a calhar. O álbum que compartilhamos é uma edição inglesa, lançada em 1995, pela gravadora Castle Communications. Acredito que seja mais um desses álbuns instrumentais, realizados por músicos de estúdio, com o nome de Pan Pipes Of The Andes.  O disco é composto pelas seguintes músicas:

1. Cacharpaya; 
2. Theme from The Godfather; 
3. For Elise; 
4. Tara's theme; 
5. The long and winding road; 
6. Albatross; 
7. Norwegian wood; 
8. Unchained melody; 
9. Yesterday; 
10. Don't cry for me Argentina; 
11. Largo; 
12. September wind; 
13. A whiter shade of pale; 
14. El condor pasa; 
15. Feelings; 
16. Dim all the lights; 
17. Endless love; 
18. The first time ever I saw your face; 
19. I have a dream; 
20. Lady in red. 








or

sábado, 11 de agosto de 2012

FRANCK POURCEL E UM MUNDO DE MELODIAS - VOLUME 3 - 1966

Em nossa última postagem da Orquestra de Franck Pourcel, foi indicado que o álbum era o Volume 3. Entretanto, o correto era Volume 2, que já foi corrigido no corpo da postagem. 
Já a de hoje é realmente o Volume 3, lançado no Brasil em 1966, pela gravadora Odeon. A seleção deste álbum é uma viagem ao passado, com arranjos virtuosos em cordas, com destaque para as músicas dos Beatles Help e Michele, bem como a francesa Aline

Essa postagem é uma contribuição do site Baudelongplaying.com. O disco contém as seguintes músicas.  

1. Help; 
2. Michele; 
3. What's new pussicat; 
4. Avec; 
5. La Boheme; 
6. El Cordobes; 
7. Io che non vivo (Senza te); 
8. Le ciel, le soleil et la mer; 
9. Thunderball; 
10. J'aime; 
11. Aline; 
12. Shame and scandal in the family.

















PAUL MAURIAT - VOLUME 23 - 1977

Vamos compartilharar mais um álbum dessa extensa discografia da Orquestra de Paul Mauriat. Desta vez, segue o Volume 23, lançado em 1977, pela gravadora Phonogram, com o selo Philips. Esta fase da orquestra não foi das mais promissoras, mas mesmo assim, para quem aprecia, vale a pena tê-lo em mãos e conehecer todas as fases. Para enriquecer esse material, o blog incluiu como bônus duas grandes músicas com belos arranjos em piano solo, sendo Nocturno e Toccata. As músicas do disco são:

1. Could it be magic; 
2. Save your kisses for me; 
3. Papa tango Charly (Les triangle des Bermudes); 
4. Derriere l'amour (Dietro l'amore); 
5. L'amour c'est comme les bateaux; 
6. Tu sais je t'aime; 
7. Don't go breaking my heart; 
8. Fernando; 
9. Besame mucho; 
10. Tatoo bay; 
11. Je vais t'aimer; 
12. Il était une fois nous deux.

Bônus: 

13. Bilitis; 
14. If it's magic; 
15. Hymne a l'amour (If you love me); 
16. Nocturne (Piano solo); 
17. Toccata (Piano solo).










quinta-feira, 9 de agosto de 2012

THE JONES - INTERPRETAM 14 SUCESSOS - 1966

O grupo carioca de rock instrumental The Jones foi mais um dos grupos surgido pelo Movimento Jovem Guarda. Sua formação era composta por Jorge Klein Romeiro Silva (guitarra solo), Edson Klein Romeiro Silva (guitarra e ritmo), irmão do primeiro, Newton dos Santos Oliveira (contrabaixo) e Oswaldo Magalhães Areias (bateria).

A banda gravou um compacto simples e quatro álbuns Long Playing - LP. Por ocasião do terceiro disco, foi incluído mais um integrante, o organista Carlos Alberto Rinaldi da Silva e o baterista foi substituído por Lauro de Oliveira da Silva Junior. Acompanharam o cantor Ciro Aguiar na gravação do compacto simples contendo a música Suck Um Up. O grupo apresentava em bailes, shows e programas de TV. Suas execuções eram consideradas de boa técnica, considerando as limitações dos instrumentos das bandas da época.

Nesta postagem apresentamos o álbum lançado em 1966, pela gravadora Tropicana, pré CBS, intitulado "The Jones Interpretam 14 Sucessos". Este disco instrumental foi considerado de boa qualidade técnica na interpretação das canções e obteve boa vendagem no mercado. As músicas do disco são:

1. Tema de Lara; 
2. These boots are made for walkin; 
3. Spanish Harlen; 
4. I feel fine; 
5. O picapau; 
6. It's gonna be all right; 
7. Green grass; 
8. Gina; 
9. Monday, monday; 
10. California Dreamin; 
11. The more I see you; 
12. Devolva-me; 
13. Esqueça; 
14. Only the young.









or

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

OS SANTOS - XII MARAVILHAS EM IÊ IÊ IÊ - 1966

A banda Os Santos foi um grupo de rock instrumental e vocal da Jovem Guarda, constituído no Rio de Janeiro. Na formação do grupo participaram Euclides - Ex The Pop's (guitarra solo), Jair (guitarra ritmo), José Antonio - O Bolonha (baixo), Carlinhos (bateria) e posteriormente Rostan - o Tonzinho (bateria). Por terem acompanhado Ronnie Von na gravação do seu primeiro compacto simples, contendo a música Meu Bem, foram logo contratatos pela gravadora Polydor. Gravaram um compacto duplo com as músicas Nunca Mais, Vai Ser Bom, Eve Of Destruction e a Noite Que Passou, essa última uma versão de Antonio Aguillar para a canção The Night Before, dos Beatles.

Depois de um tempo de pouca atividade, receberam uma ajuda do produtor, músico e apresentador Carlos Imperial e a partir disso lançaram três discos LP pela gravadora Equipe, todos instrumentais, sendo dois deles com músicas de natal. Nesta postagem apresentamos o álbum lançado em 1966, todo instrumental, com algumas músicas antigas para a época. Esse disco foi considerado como um dos melhores discos do gênero, muito elogiado no exterior. Acredito que se tivessem sido lançados por uma grande gravadora poderiam ir mais longe na carreira. Apesar de já ter sido postado em outros blogs, vale a pena reapresentá-lo. As músicas do disco são:

1. Ave Maria no morro; 
2. É bom parar; 
3. Jamais te esquecerei; 
4. Helena, Helena; 
5. Peguei um Ita no Norte; 
6. Barril de chopp; 
7. Ebb  tide; 
8. Cachaça é agua; 
9. Zingara; 
10. Gosto que me enrosco; 
11. Emilia; 
12. Luar do sertão.