2017

2017

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

CIRCLE OF FRIENDS E OTHER SONGS - VÁRIOS - 1998

Os anos 1990 foram pródigos em lançamentos de álbuns, crescimento do mercado de música e na circulação de revistas destinadas a esse foco. Era o auge da mídia Compat Disc. 

Nos Estados Unidos, destacavam-se as revistas "CD Review" e "Musician Magazine", enquanto que no Brasil eram as revistas "Som Três" e "Bizz".

Era comum, principalmente nas revistas americanas, o encarte de discos para que leitores pudessem apreciar e assim comprá-los. 

No Brasil, o encarte era eventual, mas mesmo assim houveram bons brindes. Na época, muitos dos intérpretes eram desconhecidos no mercado brasileiro.

E justamente ao deparar com alguns desses discos dos anos de 1990, em minha coleção, resolvi compilar uma seleção das minhas 20 canções preferidas e apresentá-las aos amigos do blog. 

E aproveitando o momento denominei como título, a primeira música que selecionei, chamada Circle Of Friends. Ouçam com calma e selecionem as preferidas. Uma curiosidade: a segunda música é cantada pela cantora Milla, a mesma que atua no filme Resident Evil. 

As músicas dessa seleção são as seguintes:

1. Circle of friends (Lorin Rowan); 
2. Gentleman who fell (Milla); 
3. Driving with the brokes on (Del Amitri); 
4. Could I be your girl (Jan Arden); 
5. Breakfast at Tiffany; 
6. Sing about life (Tiddas); 
7. The sun does rise (Jah Wobble's); 
8. December (Collective Soul); 
9. Those words we said (Kim Richey); 
10. Sweet old world (Emmylou Harris); 
11. Love song (Review); 
12. In the sky (FX); 
13. Up (The 27 Various); 
14. Deep calling deep (Margaret Becker); 
15. Big house (Audio Adrenaline); 
16. Great lenghts (PFR); 
17. Flood (Jass of Clay); 
18. You don't love me anymore (Lynn Miller); 
19. Clary & Rosy (Tom Connel); 
20. São Luiz dos Montes Claros (Batacotô)  




















Links:






sexta-feira, 19 de outubro de 2012

THE JOHNNY HOWARD ORCHESTRA - TWO CLASSICS ALBUM FROM - 1966 e 1969


Nos anos de 1960, a orquestra liderada por Johnny Howard foi uma das mais populares da Grã Bretanha, se destacando pela qualidade dos seus arranjos e pela sonoridade agradável, tornando-se uma das melhoras orquestras do gênero “Easy Listening”.

Esta postagem apresenta a compilação de dois álbuns clássicos, chamados “The Velvet Touch”, de 1966 e “Moonlight Serenades”, de 1969, lançados na Inglaterra, pela gravadora Decca Records e relançado em 2005, na versão Compact Disc, pela gravadora Anchor Records.

Considero essa orquestra como uma das minhas favoritas nesse estilo de música. A seleção musical é de primeira grandeza e vale a pena ouvir os arranjos exclusivos realizados por Steve Gray, Pete Smith e Hunter, que apresentam um balanço equilibrado dos instrumentos, com o realce de um ou outro, nos momentos diversos de cada música. Certamente os ouvintes de primeira viagem irão gostar. As músicas desse disco são:

1. Moonlight and roses; 
2. J’Attendrai; 
3. A taste of honey; 
4. Moon river; 
5. Michelle; 
6. You made me love you; 
7. Hit the road to dreamland; 
8. Lollipops and roses; 
9. Edelweiss; 
10. Me and my shadow; 11. More; 
12. I left my heart in San Francisco; 
13. Moonlight serenade; 
14. A man and a woman; 
15. Joanna; 
16. You only live twice; 
17. Spanish eyes; 
18. Lara’s theme from Dr. Zhivago; 
19. Moonlight and roses; 
20. Love is blue; 
21. The last waltz; 
22. A man without love; 
23. I love you (and you love me); 
24. Dream.




















quinta-feira, 18 de outubro de 2012

BOBBY SOLO - BOBBY SOLO - 1964

Bobby Solo (Roberto Satti) nasceu em Roma, Italia, no dia 18/03/1945. É conhecido como o Elvis Presley italiano, pela voz potente e suave, capaz de mudar de falsete para graves mais intensos, lembrando em muito o cantor americano.

Tudo começou quando era frequentemente convidade para se apresentar em festas de casas de amigos. Mas a decisão final de seguir a carreira de cantor veio após assistir o filme "Jalhoise Rock and Roll", contracenado por Elvis Presley.

Elvis Presley se torna a sua referência, tanto para o estilo vocal, quanto visual ou até para compor as suas primeiras canções. Seu primeiro contrato ocorreu em 1963, após uma audição para a gravadora Ricordi, de Milão.

No ano de 1964, ele estreou no Festival de San Remo, cantando Una Lacrima Sul Viso, mas em razão de um problema vocal, se obrigou a cantar em "playback", situação incômoda que impediu a sua vitória, por não ser permitida tal forma de apresentação.

A música foi um sucesso mundial, vendendo na época mais de 6 milhões de discos, principalmente na Europa, Japão e América do Sul. A música ainda continua como cartão de visita do cantor. No ano seguinte, com a canção Se Piangi Se Ridi, venceu o mesmo festival e em seguida representou a Italia no Festival Eurovisão da Canção, onde ficou em 5º lugar. Em 1969, retornou ao Festival de San Remo, vencendo com a música Zingara. No todo foram 12 participações no Festival de San Remo.

Nos anos 70, produziu vários discos sem o mesmo brilho anterior e com a chegada do disco music, já no final dos anos 70, viu uma oportunidade de retorno ao sucesso. Em 1978, assinou contrato com a  gravadora EMI e lançou o álbum “Duty Free”, um tributo a Elvis Presley, na versão disco. Aproveitou o momento e lançou releituras de antigos sucessos, também na versão disco music. A partir de 1984, passou a lançar os seus trabalhos de forma independente, por meio de diversos selos de gravadoras.

Em 2003, foi a sua última apresentação no Festival de San Remo. Podemos afirmar que o carisma e popularidade de Bobby Solo transcende a Itália, tendo gravações em alemão, francês, espanhol, inglês e até japonês.
Nesta postagem apresentamos o primeiro álbum lançado no Brasil, no ano de 1964, pela gravadora Chantecler, contendo os grandes sucessos Una Lacrima Sul Viso e Credi a Me.  O disco contém as seguintes músicas:
1. Una lacrima sul viso; 
2. Ora che sei gia'una donna; 
3. Non ne posso piu'; 
4. Blu é blue; 
5. Valeria; 
6. Non cercare scuse; 
7. Credi a me; 
8. Le cose che non ho; 
9. Troppe volte; 
10. Qualcosa restera'; 
11. Non chiedermi nulla; 
12. Ha, ha, ha.







Versão ContraCapa Versão Brasil








Versão ContraCapa Versão Italia








Compacto Duplo Versão Italia






or

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

LUIZ CLÁUDIO - VOZ & VIOLÃO - 2000

Já postamos no blog os principais álbuns do cantor mineiro Luiz Cláudio, que fez muito sucesso no final da década de 1950 a início de 1960. Desta vez apresentamos uma raridade mais recente, que tive a felicidade de receber de um amigo do blog. 
Trata-se de um álbum pouco divulgado chamado "Voz e Violão", gravado em 2000. Acredito que não tenha sido lançado comercialmente por alguma gravadora. Vale a pena ouvir o disco, principalmente pela seleção primorosa e pela releitura de antigos sucessos do cantor. O álbum foi produzido por Guilherme José Vianna M. D'Oliveira. As músicas que compõem o disco são:

1. Rancho fundo; 
2. Caco velho; 
3. Maria; 
4. Marina; 
5. Você não sabe amar; 
6. Você vai gostar; 
7. Menina; 
8. Toada brasileira; 
9. Este seu olhar; 
10. Solidão; 
11. Deixa a nêga gingar; 
12. Rugas; 
13. Cansei de ilusões; 
14. De papo pro á; 
15. Viola de bolso; 
16. Felicidade; 
17. Maringá; 
18. Vagalumeando.













or