2016

2016

sábado, 6 de abril de 2013

MARCO ANTONIO - UM PAR DE ALIANÇAS - 1965

Entre diversos discos de vinyl, no formato compacto simples e duplo,  perdidos na minha coleção,  havia um compacto simples de um cantor, chamado Marco Antonio, que confesso ser totalmente desconhecido para mim.
Pesquisei na internet e principalmente em um livro muito interessante de Jairo Severiano, "Uma História da Música Brasileira" e não encontrei nada a respeito desse cantor. Por sinal, se puderem leiam esse livro. Vale a pena.
Espero que alguém me ajude com informações, porque agora fiquei curioso. Talvez os nossos amigos Druca, Chico, Luiz Alberto e outros que sempre enriquecem este blog e que eu considero grandes abnegados no resgate da música brasileira possam nos ajudar.
Ao verificar se havia informações do cantor, me deparei com várias solicitações, principalmente referente a uma das músicas que está neste compacto simples. Esse disco foi gravado em 1965, pela gravadora Odeon e contém um selo bem colorido, diferente dos que conheço dessa gravadora. As músicas do disco são:
Lado A: Um para de alianças
Lado B: Foi por amor que eu pequei.








Link:




MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CANTOR:

Após as contribuições dos amigos Druca, Antonino e Vicente do Blog Carbono Musical foi possível conhecermos um pouco mais sobre esse cantor. Segue as transcrições dos comentários dos amigos:

Druca:
Marco Antonio foi um cantor que hoje, infelizmente, poderia ser catalogado como "brega", pois esse conceito se dinamizou demais. Na realidade, Marco Antônio foi um cantor romãntico popular com sucesso principalmente no Norte/Nordeste, cujas músicas não eram assim de mau gosto. Foi dele a gravação de sucesso da versão em Português ("Agora ou Nunca") para "It's Now or Never", com Elvis Presley; por sinal, a única música "levemente jovem" gravada por ele (em selo Carroussel, já que sua carreira ocorreu mesmo foi na Odeon, nos anos 60). Ele teve um fim tragicamente pueril: sofreu uma descarga elétrica enquanto mexia em um aparelho elétrico em casa, creio, ainda nos anos 60. Seu único LP (Odeon, 1963) é o resultado de faixas de compactos e de inéditas daquele selo. Seus maiores sucessos, além de "Agora ou Nunca", foram, principalmente, "Ave Sem Ninho", "O Pranto dos meus Olhos", entre outras.

Antonino:
Além de fã do cantor As informações estão no Blog do Carbono Musical. Segundo a postagem de Vicente J. Rodrigues do Blog Carbono Musical os dados artísticos do cantor são:

Que iniciou a carreira artística em meados da década de 1950. Contratado pela Columbia, gravou em 1954, a batucada "Você chorou", de Átila Bezerra, Sebastião Gomes e Jorge Gonçalves, e a marcha "Ximbica resfriada", de Alneida Freire, Murilo Vieira e A. Vanderley. Foi para a RGE e gravou em 1961, com acompanhamento do conjunto RGE os sambas "Mulher de trinta", de Luiz Antonio, e "Samba de improviso", de Haroldo Barbosa e Luis Reis, e os boleros "Beija-me depois", de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, e "Volta", de Ciro de Souza e Antônio Moreira. Em 1962, gravou a marcha "Sujaram a barra", de Nello Nunes, A. Batista e Guguta; o samba "É menino", de Antoninho Lopes, Zé da Vila e Ramandini; o bolero "Chega", de A. F. Conceição e Espírito Santo, e a guarânia "Contando os dias", de Lupicínio Rodrigues. Nesse ano, participou da coletânea "14 sucessos de ouro - Vol. 2" da RGE interpretando em dueto com a cantora Elza Laranjeira a balada "Amor".

Em 1964, lançou aquele que acabou sendo seu último disco, o LP "Tu serás a estrela guia" gravado pela Odeon e no qual interpretou as músicas "Se eu pudesse lhe dar o perdão", de Marino Pinto e Carlos Marques; "Andaluza" e "Espera mais um pouco", de Cyro Monteiro e Dias da Cruz; "A noite o luar e alguém", de Cid Magalhães e Amâncio Cardoso; "O pranto dos meus olhos", de Neco e J. Pereira; "É bom ser bom", de Fernando Barreto; "Abre a porta", de Rutinaldo; "Tu serás a estrela guia" e "Deus esteja nesta casa", de Maurílio Lopes e Flávio Carvalho; "Ave sem ninho", de Nilo Barbosa e Geraldo Morais; "Nosso amor tinha raiz", de Paulo Marques e Jorge Ramos, e "Nossas alianças", de Paulo Gesta e Jorge Smera. Começou a fazer bastante sucesso com a balada "Nossas alianças", sendo tocada nas Rádios quando sofreu o trágico acidente no qual veio a falecer. (DICIONÁRIO DE CRAVO ALBIN DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA


15 comentários:

  1. Meu amigo: sinto lhe informar, mas estou tão curioso quanto você pra saber mais sobre o Marco Antonio. Vou baixar pra ouvir. Muito obrigado. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Chico
      Pelas contribuições, principalemente dos amigos Druca e Vicente pudemos conhecer um pouco mais sobre o cantor Marco Antonio.
      Valeu...
      Hedson LaPlaya

      Excluir
  2. Hedson,parabéns pelas excelentes postagens feitas por vc.
    Grandes raridades digitalizadas de vinil!
    abs1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio e continue nos divulgando.
      Hedson LaPlaya

      Excluir
  3. Uma convocação dessa por parte desse excelente blogueiro Hedson La Playa não pode ficar sem o apoio dessa nação de fãs de um passado (recente ou não) musical nacional e internacional.
    Marco Antonio foi um cantor que hoje, infelizmente, poderia ser catalogado como "brega", pois esse conceito se dinamizou demais. Na realidade, Marco Antônio foi um cantor romãntico popular com sucesso principalmente no Norte/Nordeste, cujas músicas não eram assim de mau gosto. Foi dele a gravação de sucesso da versão em Português ("Agora ou Nunca") para "It's Now or Never", com Elvis Presley; por sinal, a única música "levemente jovem" gravada por ele (em selo Carroussel, já que sua carreira ocorreu mesmo foi na Odeon, nos anos 60). Ele teve um fim tragicamente pueril: sofreu uma descarga elétrica enquanto mexia em um aparelho elétrico em casa, creio, ainda nos anos 60. Seu único LP (Odeon, 1963) é o resultado de faixas de compactos e de inéditas daquele selo. Seus maiores sucessos, além de "Agora ou Nunca", foram, principalmente, "Ave Sem Ninho", "O Pranto dos meus Olhos", entre outras. É isso aí. Espero ter correspondido às expectativas. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Druca.
      Mais uma vez obrigado pela contribuição. A convocação funcionou. Tivemos muitas contribuições, incluindo a sua.
      Aproveitei e transcrevi o seu comentário na própria postagem.
      Valeu...
      Hedson LaPlaya

      Excluir
  4. Amigo! Está lá no Blog do Carbono Musical:
    Sou fã das musicas deste cantor. Antonino Teles - Caldas Novas-Go
    Marco Antonio
    circa 1935 Rio de Janeiro
    1965 Nilópolis, RJ

    Dados Artísticos

    Iniciou a carreira artística em meados da década de 1950. Contratado pela Columbia, gravou em 1954, a batucada "Você chorou", de Átila Bezerra, Sebastião Gomes e Jorge Gonçalves, e a marcha "Ximbica resfriada", de Alneida Freire, Murilo Vieira e A. Vanderley. Foi para a RGE e gravou em 1961, com acompanhamento do conjunto RGE os sambas "Mulher de trinta", de Luiz Antonio, e "Samba de improviso", de Haroldo Barbosa e Luis Reis, e os boleros "Beija-me depois", de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, e "Volta", de Ciro de Souza e Antônio Moreira. Em 1962, gravou a marcha "Sujaram a barra", de Nello Nunes, A. Batista e Guguta; o samba "É menino", de Antoninho Lopes, Zé da Vila e Ramandini; o bolero "Chega", de A. F. Conceição e Espírito Santo, e a guarânia "Contando os dias", de Lupicínio Rodrigues. Nesse ano, participou da coletânea "14 sucessos de ouro - Vol. 2" da RGE interpretando em dueto com a cantora Elza Laranjeira a balada "Amor".

    Em 1964, lançou aquele que acabou sendo seu último disco, o LP "Tu serás a estrela guia" gravado pela Odeon e no qual interpretou as músicas "Se eu pudesse lhe dar o perdão", de Marino Pinto e Carlos Marques; "Andaluza" e "Espera mais um pouco", de Cyro Monteiro e Dias da Cruz; "A noite o luar e alguém", de Cid Magalhães e Amâncio Cardoso; "O pranto dos meus olhos", de Neco e J. Pereira; "É bom ser bom", de Fernando Barreto; "Abre a porta", de Rutinaldo; "Tu serás a estrela guia" e "Deus esteja nesta casa", de Maurílio Lopes e Flávio Carvalho; "Ave sem ninho", de Nilo Barbosa e Geraldo Morais; "Nosso amor tinha raiz", de Paulo Marques e Jorge Ramos, e "Nossas alianças", de Paulo Gesta e Jorge Smera. Começou a fazer bastante sucesso com a balada "Nossas alianças", sendo tocada nas Rádios quando sofreu o trágico acidente no qual veio a falecer. (DICIONÁRIO DE CRAVO ALBIN DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA).
    Postado por Vicente José Rodrigues às 10:00 Nenhum comentário:
    Enviar por e-mail
    BlogThis!
    Compartilhar no Twitter
    Compartilhar no Facebook
    Compartilhar no Orkut

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Antonino
      O considero mais um abnegado, pois todos que se esforçam em resgatar a musica brasileira ganharão o céu. Suas informações e a do amigo Druca foram precisoas. Também não posso deixar de agradecer ao Vicente do Blog Carbono Musical.
      Assim, conheço a história de mais um cantor que até então eu desconhecia. Valeu muitoooo...
      Hedson LaPlaya

      Excluir
  5. Admiro muito seu trabalho Hedson.
    Uma contribuição a calhar:
    http://recordarazcom.blogspot.com.br/2012/01/marco-antonio-o-pranto-dos-meus-olhos.html

    Um abraço!
    Silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silvia
      Seja bem vinda ao blog, obrigado pelo seu apoio e nos divulgue.
      Verifiquei o endereço que me passou e recomendo para os amigos fãs do cantor, pois lá está disponível o álbum que contém a musica "Ave Sem Ninho"
      Valeu...
      Hedson LaPlaya

      Excluir
  6. Gostaria de ouvir a música,PAR DE ALIANÇAS com Marco Antônio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anônimo
      É só ir até o final da postagem, logo abaixo da etica Odeon 33 anos e clicar na palavra Marco Antonio. Isso vale para todas as postagens. Em todo o caso segue o link para você baixar e ouvir:

      http://depositfiles.org/files/tpkrbd1e2

      Excluir
    2. Alô Anônimo, me chamo Valter Carvalho e recentemente coloquei noYoutube um video com a musica Um par de alianças com Marco Antônio, vá no Youtube e acesse Marco Antonio- Um par de alianças editado pelo Valter Carvalho. Veja como monto meus videos em cima das musicas

      Excluir
  7. Sou fã desse cantor e tenho tentado resgatar algumas músicas que eu ouvi quando garoto na década de 60. Ele tinha um voz melodicamente suave que eu comparava como uma onda mansa que sobe e desce. Ave Sem Ninho foi sem dúvida um dos seus maiores sucessos, entretanto, há uma intitulada "Teu Pecado" que me marcou muito, não me sai da mente, mas infelizmente, eu ainda não a encontrei em nenhum lugar. Nós tínhamos em casa o vinil em 78 rpm - não tenho certeza se, o outro lado era Ave Sem Ninho.

    ResponderExcluir
  8. Muito bom, sou fã não apenas deste cantor, como gosto muito de Boleros

    ResponderExcluir