2017

2017

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

ASTROS DA YOUNG - VOLUME 1 - 1951 a 1960

Na postagem do dia 18/janeiro/2013, apresentamos a primeira parte do material que temos disponível da antiga gravadora Young, que teve o seu auge de sucesso, principalmente no período de 1959 a 1960. São considerados os pioneiros do rock brasileiro e são estabelecidos como Pré Jovem Guarda.

No primeiro volume da série, apresentamos o material do grupo The Avalons e da cantora Regianne. Desta vez, segue o material gravado no período de 1951 a 1960 e tem a participação dos artistas Hamilton Di Giorgio & The Devils, Nick Savoya, Antonio Claúdio & The Jester Tigers, Lucy Perrier & The Cupids, Freddie Davis, Carlos David, Demetrius & The Devils, Gatto, Dori Angiolella e Marcos Roberto.

Desse grupo de astros da gravadora Young, muitos são desconhecidos do grande público e há pouca informação sobre eles. Será que alguem sabe alguma coisa sobre The Devils, The Cupids, The Jester Tigers, Lucy Perrier, Antonio Claudio, Carlos David ou Freddie Davis? Talvez o nosso amigo do blog, o "Druca" possa nos ajudar. Eu confesso que desconheço.

Ao ouvir esse material nos deparamos com trabalhos, que podemos considerar limitados tecnicamente aos olhos da atualidade. Entretanto, algumas interpretações são muitos boas, esforçadas e interessantes, normalmente covers de sucessos de 1958 a 1960. 

Também há composições próprias cantadas em inglês. Outro ponto que não podemos ser exigentes, é quanto ao inglês da rapaziada, exceto do cantor Freddie Davis, que nos parece ser de origem estrangeira. É bem tupininiquim.

Ao analisar as interpretações, achei consistente as gravações de Hamilton Di Giorgio, que posteriormente gravaria uma versão Anjo Azul, da música Blue Angel, de Roy Orbison. Nas canções de Nick Savoya há uma tendência para imitar os originais, como por exemplo as músicas cantadas por Neil Sedaka, Johnny Ray e Bobby Darin. Em minha opinião, Bad Boy é a melhor canção interpretada por Nick Savoya. 

Uma curiosidade é a canção Hold Me So Fight, cantada por Demetrius (que descaradamente tentava imitar Elvis Presley), que é composição de Hamilton Di Giorgio. Outro que aparece é o desconhecido Antonio Claudio que canta bem em ingles e proporcionou boas interpretações. 

Já Carlos David e Lucy Perrier apresentam um inglês mais fraco e uma seleção de músicas limitadas. Considerando a raridade desse material, ressaltamos as canções do instrumentista Gatto (com dois "tt" mesmo), que canta bem e já demonstrava um grande talento, pouco aproveitado pelas gravadoras e mídia.

Mas tirando as limitações da qualidade de áudio, tudo isso vale a pena pela raridade desse material e pela representação que isso tem na evolução da música pop rock brasileira. No próximo número da série compartilharemos o material dos principais grupos do selo Young. As músicas do disco são:

1. I'm gonna get married (Hamilton Di Girgio & The Devils);
2. Teenage sonata (Hamilton Di Girgio & The Devils);
3. My heart is a open book (Hamilton Di Girgio & The Devils);
4. We got to love (Hamilton Di Girgio);
5. Hiccups (Nick Savoya & The Scarletts);
6. Cry ( Nick Savoya);
7. Bad boy (Nick Savoya & The Rebels);
8. I go ape (Nick Savoya & The Rebels);
9. Make the knife (Nick Savoya);
10. Since you're been gone (Nick Savoya & The Scarletts);
11. That's all (Nick Savoya);
12. Dream lover (Antonio Cláudio & The Jester Tigers);
13. where were your on our wedding day  (Antonio Cláudio & The Jester Tigers);
14. I can't live (Lucy Perrier & The Cupids);
15. Kiss me honey honey kiss me (Lucy Perrier & The Cupids);
16. My search (Freddie Davis);
17. You were mine (Freddie Davis);
18. In my heart (Carlos David);
19. The angels listened (Carlos David);
20. Hold me so fight (Demetrius & The Devils);
21. Young an in love (Demetrius & The Devils);
22. Paradi da juventude (Gatto)
23. Paris Belfort (Gatto);
24. What'd I say (Gatto);
25. Danny boy (Dori Angiolella);
26. I love I do (Marcos Roberto)


















PAUL MAURIAT - EXCLUSIVAMENTE BRASIL - VOLUME 3 - 1980

Finalizando a trilogia de álbuns da Orquestra de Paul Mauriat com músicas brasileiras, desta vez compartilho o Volume 3, lançado no Brasil em 1980, pela gravadora Phonogram, com o selo (label) Philips.
Deste disco destaco os arranjos das músicas É Preciso Muito Amor, Na Paz do Seu Sorriso e Estrada do Sol. Provavelmente os amigos do blog terão outras preferências. Comente...As músicas do álbum são:
1. É preciso muito amor;
2. Na paz do seu sorriso;
3. Começar de novo;
4. Vazio (Esta faltando uma coisa em mim);
5. Infinito desejo;
6. Estrela radiante;
7. Mania de você;
8. Gostoso veneno;
9. Suplica;
10. Estrada do sol.










segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

PAUL MAURIAT - EXCLUSIVAMENTE BRASIL VOLUME 2 - 1978

São poucos os artistas estrangeiros que gravam álbuns contendo somente músicas brasileiras. Não foi o caso da Orquestra de Paul Mauriat, que gravou vários discos e demonstrando a sua predileção pela música brasileira.
Na postagem passada, com a ajuda do nosso amigo Chico, do blog Sintonia Musical, resgatamos o primeiro disco com músicas brasileiras dessa orquestra, que foi lançado em 1977. Posteriormente, seguiram-se mas dois álbuns, mas confesso que ainda acho o primeiro mais elaborado, apesar de apreciar todos eles.
Para compartilhar com os amigos do blog, segue o segundo disco, lançado em 1978, também pela gravadora Phonogram, com o selo Philips. Em minha opinião, os destaques desse disco são exatamente as quatro primeiras faixas, mesclando estilos de músicas de diferentes e perfis comerciais. Na sequência postaremos o terceiro volume. As músicas do álbum são:
1. Prá que chorar;
2. Amigo;
3. Sonhos;
4. O que será (A flor da tera);
5. Somos todos iguais nesta noite;
6. Foi assim;
7. Querelas do Brasil;
8. A noite vai chegar;
9. Odara;
10. D. João.








sábado, 26 de janeiro de 2013

PAUL MAURIAT - EXCLUSIVAMENTE BRASIL - 1977

Desta vez é para o amigo Chico, do fabuloso blog Sintonia Musical. Após ter acesso a tanta raridade em seu blog, eu não poderia deixar de atendê-lo.
Seguindo na esteira da nossa última postagem, apresentamos o primeiro álbum da Orquestra de Paul Mauriat, com músicas exclusivamente brasileiras, gravadas  no Brasil, em 1977, pela gravadora Phongram, com o selo (label) Philips.
Além dos belos arranjos para as canções de sucesso, destacamos a seleção musical que procurou garimpar músicas de estilos diversos e de camadas diferentes de gostos. Nele é apresentado músicas que foram interpretadas por Benito Di Paula, Wando, Ronnie Von, Ednardo, Chico Buarque, Caetano Veloso, Alcione, Maria Bethânia, Luis Melodia, Beth Carvalho.
Mas o pitoresco desse disco e que muitos desconhecem, pois não aparece o crédito na contracapa, é que a cantora Evinha foi a crooner nas gravações e posteriormente acabou incorporando definitivamente a orquestra, chegando a morar na França por um bom tempo. As músicas do disco são:
1. Mulher brasileira;
2. Morte de um poeta;
3. Sabiá marrom;
4. Só louco;
5. Juízo final;
6. Moça;
7. Não deixe o samba morrer;
8. Qualquer coisa;
9. Mulheres de Atenas;
10. Tranquei a vida;
11. Sem açucar;
12. Pavão misterioso.














PAUL MAURIAT - VOLUME 29 - 1982

Nesta postagem continuamos compartilhando a obra da Orquestra de Paul Mauriat, que foi lançada no Brasil. Agora o álbum da vez é o Volume 29, lançado em 1982, pela gravadora Phonogram, com selo (label) Philips.
Nesse disco, os destaques são para as músicas Phisical,que foi tema do filme de mesmo nome e era cantada por Olivia Newton John, Blue Eyes de Elton John e a brasileirissima Festa de Interior, que em nossas prais foi interpretada pela cantora Gal Costa, sendo até tema de novela. Outra bela canção e Paris Ballade, que tem a voz da fabulosa Danielle Licari. Além das 13 faixas do álbum original, segue mais 4 músicas bônus, oferecidas pelo blog e que foram lançadas, em outros países, no mesmo ano . As músicas que compõem o disco são:

1. Physical;
2. Souvenirs (Memory);
3. Blue eyes;
4. One of us when all is said and done;
5. (Out here) on my own;
6. The green lake;
7. Taste of the sixties;
8. Paris ballade - with Danielle Licari;
9. Stacatto;
10. Love and love again;
11. Tout pour la musique;
12. Endless love;
13. Festa do interior;

Bônus:
14. Ebony and ivory;
15. Felicita;
16. Tug of war / Take it away;
17. Morning hunt










sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

STARS IN SPANISH - 1995

Enquanto estamos pesquisando material e digitalizando material recem obtido, compartilhamos um álbum que está na mão. Trata-se de uma compilação de versões de sucessos da música pop, da década de 1990, cantadas em espanhol pelos próprios autores.
 
Nessa seleção lançada em 1995, pela gravadora Polygram, com o selo Polydor, apresentamos as canções de Bon Jovi, Boys II Men, Sting, Bryan Adams, Zucchero, The Police, Janet Jackson, Scorpions, Moody Blues, Santana, Suzanne Vega, 4PM e Jermaine Jackson. Para complementar o blog incluiu mais quatro canções no mesmo formato, interpretadas por Laura Pausini, Madonna, Laura Fabian e Gloria Gaynor. As músicas do disco são:
 
1. Todo lo que hago, lo hago por ti - Bryan Adams
2. Cama de rosas - Bon Jovi
3. Viento de cambio - Scorpions
4. Senza una donna - Zucchero
5. Fragilidad - Sting
6. No dejemos que muera el amor - Boyz II Men
7. De do do do, de da da da - The Police
8. Noches de seda - Moody Blues
9. Oye como va - Santana
10. Sukiyaki - 4 P.M.
11. Let's get serious (Spanish version) - Jermaine Jackson
12. Vuelva a mi - Janet Jackson
13. Luka - Suzanne Vega
 
Bônus:
14. Otro Amor Vendra - Lara Fabian
15. Se Fue - Laura Pausini
16. Veras - Madonna
17. Yo Vivire - Gloria Gaynor & Gipsy Kali
 
 
 
 

 
 
 
 

A TRIBUTE TO CREDENCE CLEARWATER REVIVAL - 1996

Tenho uma predileção para ouvir álbuns tributos. A minha curiosidade é descobrir como ficou a versão cover ou releitura em relação a versão original. Sempre observo se apenas uma tentativa de cópia do original (covers) ou se é uma releitura, onde o interprete  buscou incluir novos tons ou melhorias em relação a versão matriz.
O álbum tributo que compartilhamos desta vez, homenageia a cultuada banda dos anos 1960, Credence Clearwater Revival. É um disco lançado na Alemanha, em 1996, pela gravadora ZYX Music. Além de tributos interpretados por Jerry Lee Lewis, The Stray Cats, Smokie, Alabama, Tom Jones Emmylou Harris, The Ventures, Ike & Tina Turner, Rick Nelson, traz também alguns nomes desconhecidos do público brasileiro., tais como The Brandos, Six Was Nine, Pure Jade Green, Molly Hatchet, The Cactus Brothers e Red Rooster.  Mas a curiosidade é a faixa 19, Have You Ever Seen The Rain, interpretada pelo ator Robert Vaughn, conhecido pelo papel na antiga série sessentista "O Agente da UNCLE" e de filmes "Bullits", "Sete Homens e um Destino", "Superman 3", "Inferno na Torre" e outros. As músicas do álbum são
1. Born on the bayou - Six Was Nine
2. Bad moon rising - Jerry Lee Lewis
3. Lookin' out my backdoor - The Stray Cats
4. Have you ever seen the rain - Smokie
5. Run through the jungle - Georgia Satellites
6. Green river - Alabama
7. A tribute to CCR (Side O' the road) - Red Rooster
8. Walking on the water - The Brandos
9. Lodi - Tom Jones
10. I put a spell on you - Screamin' Jay Hawkins
11. Bad moon rising - Emmylou Harris
12. Bootleg - Pure Jade Green
13. Who'll stop the rain / Bad moon rising - The Ventures
14. Lodi - The Cactus Brothers
15. Almost saturday night - Rick Nelson
16. Green river - The Brandos
17. Sinister purpose - The Brandos
18. Penthouse pauper - Molly Hatchet
19. Have you ever seen the rain - Robert Vaughn & The Dead River Angels
20. Proud Mary - Ike & Tina Turner













domingo, 20 de janeiro de 2013

THE PIPKINS - GIMME DAT DING - 1970

The Pipkins foi mais uma daquelas duplas de vida curta. Ficou conhecida pelo seu único single Gimme Dat Ding (escrito por Albert Hammond e Mike Hazlewood), que chegou no ano de 1970, ao número 6 nas paradas do Reino Unido e numero 9 na Bilboard Hot USA e é considerado como a primeira gravação “rap”. Essa música foi originalmente composta para o programa de TV britânico, chamado “Oliver And The Underworld”.

Entretanto, outro aspecto que consideramos inusitado dessa dupla é o seu vocal, fazendo o contraponto de graves e agudos, mas que nos lembra, em alguns momentos, vozes de personagens de desenho animado.

A dupla era formada por Roger Greenaway e Tony Burrows, que posteriormente ficaram mais conhecidos como compositores de cantores e grupos, tais como, Edison Lighthouse, The Flower Pot Men, White Plains. The First Class e Brotherhood of Man.

Nesta postagem compartilhamos o disco em vinyl, no formato Compacto Duplo, lançado no Brasil, em 1970, pela gravadora EMI/Odeon. Originalmente o disco também foi lançado com o selo Columbia. As músicas do disco são:

Lado A
01. Gimme dat ding

02. My baby loves lovin

Lado B
03-Yakety yak

04-The people dat you wanna phone ya.









  





sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

PAUL MAURIAT - CHROMATIC - 1980

Nesta postagem compartilhamos mais um trabalho da grande Orquestra de Paul Mauriat. Desta vez, interrompendo a sequencia de albuns lançados no Brasil, apresentamos o album "Chromatic", lançado na França, pela gravadora Phonogram, com o selo (label) Philips, no ano de 1980. 

O que chama a atenção neste trabalho é a seleção das músicas que não são compostas por sucessos comerciais e os arranjos elaborados para instrumentos eletrônicos, principalmente teclados. Considero um atrativo, pois possibilita o conhecimento de canções diferentes. Aproveitando esse resgate incluimos mais seis músicas bônus, também lançadas no mesmo ano, em outros países. As músicas que compõem o disco são:

1. Romantic laser
2. Ballade Orange
3. Piccolo paradise
4. Blue sticks for a rainbow
5. Elie upa
6. Crocodiel tears
7. Pop horn
8. Back again
9. Sica sica
10. She's like a song
11. Chromatic dream

Bônus:
12. Overseas call
13. Magonolias for ever
14. Alfonsina y el amor
15. Je n' pourrai jamais t' aublier
16. Criolissima
17. Nube gris












1980  

THE AVALONS & REGIANE - CHINA ROCK - 1958


Finalmente finalizamos a primeira compilação de uma série de três do selo Young, lançado no final dos anos 1950. Vale pela raridade e também por fazerem parte dos personagens que foram pioneiros no rock nacional e assim fazem parte da história musical brasileira. 

Nessa primeira seleção apresentamos o conjunto The Avalons e a cantora Regiane, uma vez que a maioria de suas gravações contava com o acompanhamento do grupo. A seguir algumas informações sobre The Avalons, Regiane e a Young.  


THE AVALONS

O conjunto The Avalons era de São Paulo e foi um dos pioneiros do rock instrumental no Brasil. A formação do grupo era composta por Francisco Eduardo de Souza Pereira – Dudu (Guitarra solo), Paulo Hermínio de Souza Pereira (Baterista) e Daniel Grizanti (Contrabaixista).

Tudo começou em uma festa, em 1959, quando os dois irmãos Dudu e Paulo conheceram Grizanti e conseguiram convencê-lo a formar um trio instrumental, recebendo o nome Avalons. Tendo projeção e prestígio junto ao público jovem que apreciava música americana, passaram a tocar em shows, festas e programas de TV.

No decorrer dessas apresentações, novo vocalista passou a integrar o grupo, o jovem José Gagliardi Júnior, mais conhecido como Gally Jr e posteriormente em carreira solo passou a se chamar Prini Lorez.

O estilo das músicas do grupo The Avalons era inconfundível. Um fato interessante e curioso é que o maior sucesso do grupo foi a música com vocal, chamada Valentina.
A música Rebel Rouser também foi um sucesso, mas a execução da música China Rock é espetacular, com solo belíssimo de guitarra e o disco é um dos mais raros da época.

Fonte: Laércio Pacheco Martins, O Rock And Roll: origem, mitos e o rock instrumental no Brasil e em outros países, 2001.


REGIANE:

A cantora brasileira Regiane (Célia Regina Bellochi) é uma daquelas raras cantoras de voz privilegiada. Foi uma das pioneiras do rock brasileiro, tendo gravado pelo selo Young, alcançado um breve sucesso final dos anos 1950 e inicio de 1960.

Apesar do preconceito da mídia, em 1960, Regiane ganhou o prêmio Chico Viola, na categoria revelação, pela balada I’m Yours, que segundo ela foi inspirado na versão da cantora Eydie Gorme. Foi sem sombra de dúvida o maior sucesso do selo Young.

Por cantar em inglês costuma abrir os shows internacionais realizados no Teatro Record, ao lado dos seus colegas da Young, sob produção de Miguel Vaccaro Neto.

Segundo o jornalista e crítico da antiga Revista Bizz, “ouvir Regiane é sempre emocionante, puro deleite. A voz encantadora e calorosa tem registro alto. A comparação mais próxima que consegue fazer é com a cantora Timi Yuro e nos tons mais baixos com a cantora Helen Shapiro, não ficando a dever para nenhuma das duas”.

Da mesma forma considero que as releituras de Regiane para as músicas To Know Him is to Love Him, Frankie e Broken Hearted Melody se não são superiores estão em mesma igualdade as versões originais cantadas respectivamente por Teddy Bears, Connie Francis e Sarah Vaughn. Da mesma forma, considero superior as versões das mesmas músicas cantadas por Celly Campello.

Em 1961, Regiane foi contratada pela gravadora Odeon e se esperava que fosse dar o impulso na carreira que levaria a projeção nacional e talvez até uma carreira internacional. Entretanto, não foi isso que ocorreu. Chegou a gravar a canção Emotions, uma versão do hit da cantora norte americana Brenda Lee, porém nem chegou a ser editada. Não se sabe o que aconteceu com as matrizes dessa gravação. Meses depois, abandonava a música, encerrando precocemente a carreira e não permitindo que uma das melhores vozes do Brasil proporcionasse uma obra mais extensa.

Fontes: René Ferri e http://brazilianhitparade.blogspot.com.br

YOUNG:

The Young Years foi a fase de músicas gravadas pelo selo Young, criado por Miguel Vaccaro Netto (produtor musical, radialista e jornalista), em parceria com Enrique Lebendiger, da gravadora Fermata do Brasil. Ele prospectou jovens músicos paulistas que costumavam participar de programas para a juventude nas rádios Panamericana e Record, de São Paulo. Muitos desses jovens eram estudantes de cursos de inglês, comissários de bordo, secretárias bilinques ou simplemente fãs do rock and roll, surgido no Brasil a partir de 1957.

Assim foram realizadas gravações com interpretações de sucessos norte americanos, principalmente, dos anos de 1958 e 1959. As gravações eram verdadeiras maratonas musicais, que duravam até 48 horas, já que o estúdio da gravadora Continental era alugado para o final de semana e tudo tinha que ser finalizado em fitas magnéticas antes da meia noite do domingo. As músicas gravadas eram em inglês de sucessos americanos e também de de autores brasileiros, só que versadas para o inglês.

O selo (label) Young lançou nomes como Demetrius, Marcos Roberto, Nick Savoia, Hamilton Di Giorgio, The Avalons, Dori Edson, The Teenagers, The Beverlys, Gato, The Rebels, The Youngs, Regiane e outros. 

As músicas desta compilação realizada pelo blog LaPlayaMusic são as seguintes:

1. Valentine my Valentine_The Avalons (1959);
2. China rock_the Avalons (1959); 
3. All the time_The Avalons (1958); 
4.  Rebel Rouser_The Avalons (1958); 
5. Believe me_The Avalons (1959); 
6. Here comes the avalons_The Avalons (1958); 
7. Baby talk_The Avalons (1959); 
8. Come softly to me_The Avalons (1959); 
9. Frankie_Regiane & The Avalons (1959); 
10. To know him is love him_Regiane & The Avalons (1958); 
11. Tum ba lov_Regiane & The Avalons (1959); 
12. Fallin_Regiane & The Avalons (1958); 
13. I'm yours_Regiane (1952); 
14. O dio mio_Regiane (1960); 
15. Broken heart melody_Regiane (1959); 
16. Willie boy_Regiane (1960).




















domingo, 13 de janeiro de 2013

CARLOS MONTEIRO DE SOUZA - AMADA AMANTE E OUTROS SUCESSOS - 1971

Desta vez comentaremos sobre um instrumentista, arranjador, compositor e maestro brasileiro que teve atuação destacada no meio musical, durante décadas, principalmente nos estúdios das gravadoras do Brasil. Apesar disso, não teve o destaque da mídia como mereceria e também há pouca informação sobre a sua formação e carreira.

Trata-se de Carlos Monteiro de Souza, nascido em Niterói, Rio de Janeiro, em 1916 e falecido na mesma cidade em 1975. Apesar da pouca informação, sabe-se iniciou sua carreira na década de 1930, ainda como acadêmico e que surgiu como arranjador na década de 1950, no Rio de Janeiro. Foi um dos criadores do grupo vocal e instrumental “Os Quatro Diabos”, com o qual gravou três discos, além de realizar apresentações em rádios, como a Mayrink Veiga e em filmes, como “Alô, Alô, Brasil”, de Wallace Downey.

Era primo do compositor Ronaldo Monteiro de Souza, estudou na Faculdade de Direiro no Rio de Janeiro e em Conservatório de Música. Foi arranjador da gravadora Odeon, Companhia Brasileira de Discos, posteriormente Phonogram e da CBS.

Na gravadora Odeon lançou, em 1972, sete álbuns com o pseudônimo de Maurice Monthier e Sua Grande Orquestra. Outro álbum de destaque foi “Metais em Brasa Bossa Nova”, seguindo a onda do maestro americano Henry Jerome. Outros álbuns foram: “A Saudade é Mulher”, “Duas Notas”, “Em Outubro Vou Pagar”, “Férias de Julho”, “Não”, “Ouve Meu Amor”, “Prá Frente”, “Amada Amante” e outros.

Nesta postagem, compartilhamos o raro álbum “Amada Amante e Outros Sucessos”, lançado em 1971, pela gravadora CBS. Quando ouvimos esse disco imediatamente nos remeteu ao estilo adotado pela Orquestra e Côro de Ray Conniff, só que cantadas em portugûes. Destacam-se além do repertório, os arranjos e coros aplicados nas canções. As músicas do disco são as seguintes:

1. Tarde demais (It’s to late); 
2. História de Amor (Love Story); 
3. De tanto amor; 
4. Você abusou; 
5. Não vejo a hora (L’ ora giusta); 
6. Prá começo de assunto (La, la, la); 
7. Se (If)
8. O fim (The end); 
9. Amada amante; 
10. Menina da ladeira; 
11. Bye bye (Sing sing Barbara);
12. Anonimo veneziano.













sábado, 12 de janeiro de 2013

BILL DIAMOND - THE END - 1977

Provavelmente você não deve ter ouvido falar do cantor Bill Diamond. Confesso que eu nunca ouvi falar. Esse é mais um daqueles pseudônomimos criados por gravadoras com intuito meramente comercial, lançando versões de sucessos das paradas da época.

Para minha surpresa descobri que Bill Diamond é o cantor brasileiro, curitibano, Pedro Luis Schaemberg, mais conhecido como Cristiano e/ou Cris McClayton. Você poderá tirar a prova. Veja as postagens do cantor no blog, datadas de 28 e 29/11/2011. 

O disco que compartilhamos foi lançado em 1977, no formato Vinyl Compacto Duplo, pela gravadora Chantecler, intitulado "The End", que é o nome da primeira música, sucesso de Earl Grant. Das três faixas remanescentes são canções de composição de Neil Diamond e Christie. Todas as músicas são cantadas em inglês. As canções são:

Lado A - 1. The End; 2. Stones
Lado B - 3. Cracklin Rosie; 4. San Bernardino.






 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

SAM JAZZ QUINTET - TAKE MY HEART - 1975

Nesta postagem, apenas apresentamos a versão do álbum de 1975, do grupo curitibano Sam Jazz Quintet, lançado também no formato Vinyl, em Compacto Duplo. Para detalhes desse álbum e do próprio grupo veja as postagens anteriores datadas de 25/10/2011 e 09/01/2012. As músicas do compacto são:

Lado A - 1. Take my heart; 2. Bella Senz'anima
Lado B - 3.Cry baby cry; 4. I don't like to sleep alone.