2016

2016

sábado, 6 de setembro de 2014

TONY GERMANUS - EM SURDINA - 1972

Recentemente, encontrei um álbum instrumental de autoria de Tony Germanus. A princípio, não tinha nenhuma ideia de quem era. Ao pesquisar, descobri que era na verdade o maestro Antonio Porto Filho (Maestro Portinho). Esse álbum era mais um dos discos lançados com pseudônimos, prática comum naquela época.

Conhecendo um pouco mais o Maestro Portinho: ele nasceu na cidade do Rio Grande/RS, no dia 27 de setembro de 1925. Foi músico (clarinetista e saxofonista), maestro, arranjador e compositor.

Mudou-se, ainda jovem, para Porto Alegre. Na capital gaúcha conheceu o grande violonista paulista Antonio Rago e a convite deste se radicou em São Paulo. Portinho tocou em vários regionais, orquestras e chegou inclusive a reger, como convidado, a Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo.

Participou, nos anos 1940, do regional de Claudionor Cruz, nos anos 1950 do regional do Rago e foi uma figura da história do rádio do Rio de Janeiro e de São Paulo. Portinho assinou os arranjos de alguns discos de renomados artistas, tais como, de Ângela Maria, Paulo Vanzolini, Nelson Gonçalves, Waldick Soriano e Cláudia Barroso (descoberta por Portinho).

O Maestro foi também o arranjador 1º Long playing - Lp do cantor Noite Ilustrada pelos Discos da gravadora Rozemblit (Mocambo), que alcançou vendagem surpreendente, colocando nas paradas de sucesso o samba Cara de Boboca. Noite Ilustrada, quando terminou seu contrato com a gravadora, transferiu-se para a Phillips e levou consigo o Maestro Portinho, que era um arranjador rico de ideias, que passou a trabalhar com o produtor Alfredo Borba.

Porém, aonde o maestro Portinho mais transitou foi na Jovem-Guarda, tendo inclusive gravado um álbum chamado "Portinho - O Maestro Iê-Iê-Iê". Fez arranjos para as gravações na época para as músicas de Ed Carlos, Demétrius, Martinha, Mario Faisal e Wilson Miranda.

Sua discografia é extensa, entre elas há um álbum só com composições de Noel Rosa, gravado no formato vinyl, intitulado “Noel Rosa & Portinho dá Samba” e outro que gravou em 1973, com muitas músicas de Ary Barroso “Samba, O Melhor do Brasil”.

Em 1964, gravou “Walter Wanderley e Portinho – Orgão, Sax e Sexy” e da série Magia – Volume IV “O saxofone do Maestro Portinho”. Em 1977, gravou o álbum "Choro Chorado do Portinho” onde ele interpreta só Choros, inclusive Chorando no Choro, de sua própria autoria.

O jornalista Luis Nassif afirma que o "Maestro Portinho é um dos pais do choro moderno". Portinho gravou outros tantos discos: em 1965, “Portinho e Sua Orquestra - Fogo Nos Metais”; Em 1988, “Meu Beija Flor – Músicas de Thereza de Toledo e Maestro Portinho e sua Orquestra”.

O maestro Portinho foi tão respeitado no meio artístico que o cantor Teixeira o homenageou na gravação da música ”O Centro Oeste Brasileiro”. Já o violonista de 7 cordas, Ed Gagliardi, disse que o Mestre Portinho foi como as músicas que compôs: calmo, tranquilo e alegre.

Seus últimos anos de atividade foram no exercício no ensino de música na Universidade Livre de Música - ULM, em São Paulo. O Maestro faleceu no Estado de São Paulo deixando um legado para a cultura musical brasileira.

Nesta postagem, apresentamos esse álbum de Tony Germanus (maestro Portinho), denominado "...Em Surdina", lançado no Brasil, no ano de 1972, pela gravadora Som (Copacabana Discos). Com arranjos do maestro Portinho, a seleção e a coordenação musical ficou por conta de Nazareno de Brito, que também era conhecido pelas versões que realizava naquela época. Além disso, contava também com a supervisão musical do excelente maestro Leo Peracchi.

As músicas que compõem esse álbum são as seguintes:

1. Superstar;
2; Amañece;
3. Il;
4. A taste of excitement;
5. Grande, grande, grande;
6. I still see you;
7. Do bicho ao lixo (Rock rural);
8. Me deixa em paz;
9. Ela;
10. Minha escola;
11. Caramba....Galileu da Galileia;
12. Perambulando.



















Maestro Portinho
 Links:







2 comentários:

  1. Antonio Magalhães7 de setembro de 2014 17:42

    Hedson

    Todo Antonio parece obrigado a ser bom (como tem!). O meu conhecimento da discografia de Portinho é pingado,
    suficiente para ressaltar o LP Fogo Nos Metais (Philips/Stereo); um dos maiores em geral. At., AM Fortaleza-CE.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu gostaria de sugerir que o blog fizesse uma homenagem ao cantor Miltinho falecido nesta segunda-feira (08/09). Obrigado e parabéns pelo excelente blog!

    ResponderExcluir