2017

2017

domingo, 30 de abril de 2017

PACO GAITISTA - VOLUME 1 - 2010 - REPOST

A pedido do amigo Fernando Rocha, reapresentamos o álbum Volume 1, do instrumentista brasileiro Paco Gaitista, que foi anteriormente postado em 12/agosto/2011.

Este disco chegou as minhas mãos em uma das minhas viagens a trabalho, quando o adquiri em um quiosque de posto de gasolina. 

Logo me chamou a atenção, por ser um disco instrumental e cujo instrumento era  a harmônica, mais conhecido no Brasil como gaita de boca. Esse instrumento teve seu auge no Brasil no final da década de 1950 a inicio de 1970.

Paco Gaitista é um músico independente, oriundo da cidade de União da Vitória, que está situada ao sul do Estado do Paraná, Brasil. Seu telefone de contato é (42)-999330261.

A seleção das faixas do álbum, gravado em formato Cdr, com apoio de vários patrocinadores locais, é constituída por músicas contemporâneas, mescladas com músicas pop mais antigas. Em minha opinião, vale a pena conhecer e ouvi-las. As músicas são as seguintes:

1. Are beautiful ;
2. I'm yours ;
3. Only exception ;
4. Lucky ;
5. From this moment on ;
6. Imagine ;
7. Far way ;
8. Sunrise ;
9. When you say nothing at all ;
10. I swear ;
11. White flag ;
12. My immortal ;
13. Angel ;
14. Wonderful world (Bônus);
15. Have you ever seen the rain  (Bônus);
16. Amazing grace (Bônus).




















Links:

quinta-feira, 27 de abril de 2017

ANGEL MINE - LOVE SONGS - VARIOS - 2009

Nesta postagem, apresento uma coletânea que preparei em 2009, para uma viagem a trabalho até a cidade de Erechim e posteriormente até Gramado, no Rio Grande do Sul, Brasil. 

Sempre que viajo em longas distâncias e principalmente se estou dirigindo, gosto de preparar seleções de músicas, com o intuito de deixar a viagem mais prazerosa possível. 

As vezes,  organizo álbuns, músicas e artistas que não conheço e em outras vezes organizo seleções das minhas preferidas. Neste caso da compilação desta postagem, continha canções que eu não conhecia e outras que eu já apreciava.

A seguir a seleção das músicas deste disco, que denominei "Angel Mine", que é o título da primeira canção, interpretada pela banda Cowboy Junkies:

1. Angel mine (Cowboy Junkies);
2. Closer to you (Wallflowers);
3. Somewhere only your knows (Keane);
4. A message (Coldplay);
5. Sunday morning (Maroon 5);
6. Turn my head (Live);
7. Forget you too (Swirl 360);
8. Always you (Sophie Zelmany);
9. I'll be only (Amanda Marshall);
10. The hardest part (Coldplay);
11. You give me something (James Morrison);
12. Right to be wrong (Joss Stone);
13. Arms of woman (Amos Lee);
14. We just don't care (John Legend);
15. Diamonds on the inside (Ben Harper);
16. Wonderful life (Tony Hadley);
17. All about soul (Billy Joel);
18. Naked and secret (Maria Nayler)
















Links:







PAUL MAURIAT - SUCCÉS DE TOUJOURS - 1973

Desde que iniciamos o blog, já efetuamos 52 postagens da Orquestra de Paul Mauriat e ainda há um grande número de registros que ainda não foram postados. É impressionante a carreira desse maestro que possui álbuns lançados em vários países.

Desta vez, apresentamos o disco "Succés de Toujours", que foi lançado no Brasil, em 1973, pela gravadora Musidisc, com o selo Imagem. Acredito que tenha sido o único lançamento por essa gravadora, já que a totalidade dos outros álbuns lançados no Brasil, foram realizados pela gravadora Phonogram, com o selo Philips.

A seleção desse disco é mais clássica, menos pop e remete ao inicio da carreira do maestro. Neste caso, predomina canções francesas em tributo à Paris. Além das músicas originais do álbum, incluímos mais quatro canções que fazem parte da seleção, porém com versões diferentes de arranjos.

As músicas que compõem o disco são as seguintes:

1. Souls le ciel de Paris / Padam, padam;
2. La vie en rose;
3. C'est si bon / I love Paris / Paname;
4. April in Paris;
5. Domino / Le gamin de Paris / Mademoiselle de Paris;
6. Paris canaille / J'aime Paris au mois de mai;
7. A Paris / Pigalle;
8. Les feuilles mortes;
9. En avril a Paris  / L'ame des poètes;
10. Symphonie;
11. Sous les ponts de Paris / Coin de rue / Romance de Paris;
12. Menilmontant / Paris je t'aime / La goualante du pauvre jean;

Bônus:
13. C'est si bon (La version 2);
14. La goualante du pauvre jean (La version 2);
15. La vie en rose (La version 2);
16. Sous les ponts de Paris (La version 2).















Links:






terça-feira, 25 de abril de 2017

SÉRGIO & MADI - CRY TO ME - 1978 - REPOST

Em 2013, por ocasião da primeira postagem deste disco, em uma das minhas andanças por lojas de livros e discos usados, fui atraído por um Compacto simples, que continha a canção Cry to Me, que eu apreciava na voz de outros interpretes. 

Outro fato que me chamou a atenção era a dupla que interpretava a música, que até então não conhecia. Ao ouvir o disquinho, apesar do estado lamentável do material, me surpreendi com a qualidade musical do vocalista.

Tratava-se da dupla Sérgio & Madi, formada pelos cantores Sérgio Wonder e por Madi (intérprete da canção Lição Português, terceiro lugar no Festival RTP da Canção, em 1980, em Portugal), ambos falecidos.

Pesquisando um pouco na internet, verifiquei que Sérgio iniciou a sua carreira em Moçambique, nos anos 1960, onde era conhecido como o Gene Rockwell moçambicano, alusão a um conhecido cantor sul africano. 

A dupla Sérgio & Madi, gravou vários discos pela gravadora Phonogram, atual Universal, tais como, Espadas Nuas e My Only One, atuando principalmente no mercado português e europeu.

Posteriormente, em 1976, foram produtores da companhia discográfica Imavox. Durante essa etapa profissional, ouviram e contrataram diversas bandas musicais, que fizeram sucesso no mercado de língua portuguesa. 

Em seguida se mudaram para a editora Rossi e é dessa época o sucesso de Cry to Me, que também teve uma versão de Sérgio Wonder, em português, chamada Chora por Mim.

Em meados dos anos 1980, rumaram para carreiras solo, retornando em 1990 para a gravação do álbum "Africa", lançado pel Disconorte. A seguir, a letra da linda canção Cry to me, composta por B. Russel.

Letra da música Cry to Me:

When your baby leaves you all alone
And nobody call you on the phone
Doncha feel like crying
Doncha feel like crying like crying like crying
C'mon baby, cry to me

When you're all alone in your lonely room
And there's nothing but the smell of her perfume
Doncha feel like crying
Doncha feel like crying like crying like crying
C'mon baby, (c'mon) cry to me

Nothing could be sadder than a glass of wine alone
Loneliness loneliness, it just a waste of your time
But you don't ever you don't ever have to walk alone
You see, so c'mon take my hand
C'mon walk with me

When you're waiting for a voice to come
In the night there is no one
Doncha feel like crying
Doncha feel like crying like crying like crying
C'mon baby, cry to me

C'mon baby, that's right cry to me
Yes, I want you to come on baby
C'mon c'mon cry to me
I want you to c'mon baby
C'mon c'mon and cry to me
Yeah c'mon baby c'mon I want you to cry cry cry to me
Yeah I want you to cry cry cry cry cry cry cry
I want you to cry cry cry cry cry cry cry cry...



Nesta postagem, a pedido, reapresentamos o disco, que foi lançado no Brasil, em 1978, pela gravadora SOM, com o selo Building Records, contendo as seguintes canções:

Lado A: 

1- Cry to Me; 

Lado B: 

2. I Can’t help myself




















Links:


segunda-feira, 24 de abril de 2017

JERRY ADRIANI - 23/ABRIL/2017

Jerry Adriani, ídolo de Jovem Guarda, na década de 1960, morreu aos 70 anos neste domingo, 23. Ele estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, para tratar um câncer.

No início de março, o cantor e compositor já havia sido hospitalizado após sofrer uma trombose venose profunda em uma das pernas.

Paulistano do Brás, Jerry iniciou a carreira em 1964, cantando canções em italiano. Além da música, o artista se dedicou ao cinema e à televisão, onde apresentou programas como 'Excelsior a Go Go' e 'A Grande Parada'.

Em 2014, completou 50 anos de carreira e, desde então, seguia em turnê pelo País, sendo um dos cantores mais representativos da época da Jovem Guarda na atualidade, sendo muito querido pelos fãs e mídia. 


Jornal “O Estado de São Paulo”, 23/04/2017


29/Jan/1947 - 23/Abr/2017

domingo, 23 de abril de 2017

CLAUDIA BARROSO - DISTANTE DOS OLHOS - EP - 1969

A cantora, compositora e atriz brasileira Cláudia Barroso se chamava Amélia Rocha Barroso. Ela nasceu no dia 23 de abril de 1932, na cidade de Pirapetinga, em Minas Gerais e faleceu na cidade de Fortaleza, Ceará, no dia 09 de outubro de 2015, aos 83 anos de idade, vítima de complicações respiratórias.

Iniciou sua carreira na década de 1960, apresentando-se em clubes noturnos da cidade de São Paulo. Foi descoberta pelo maestro Portinho e por Mauro Duarte, que na época era diretor da Radio Nacional do Rio de Janeiro e da gravadora RGE.

Seu primeiro disco foi lançado em 1962 e era um compacto simples de 78 rpm, gravado pela gravadora Odeon. Constava nesse disco as canções Fica comigo essa noite, sucesso dos populares compositores Adelino Moreira e Nelson Gonçalves e  Não, eu não vou ter saudade, de Vaucaire e C. Dumont, com letra em português de Romeu Nunes.

A sua estreia em disco no formato Long Playing – Lp foi em 1967, com o disco intitulado “Claudia Barroso”, pela RGE. Mas a consagração, porém, só ocorreu em 1971, quando lançou pela gravadora Continental o álbum também intitulado “Cláudia Barroso”. O disco trazia duas composições próprias que fizeram sucesso comercial: Quem mandou você errarA vida é mesmo assim.

O sucesso popular possibilitou, na época, ser  jurada do programa Silvio Santos, ainda quando era realizado pela TV Globo e mais tarde do programa comandado por Chacrinha.
Morreu em 9 de outubro de 2015 aos 83 anos de idade, vítima de complicações respiratórias.

Nesta postagem, apresentamos o disco Compacto duplo, lançado em 1969, pela gravadora RGE, com o selo Fermata, que contém as seguintes músicas:

1. Distante dos olhos (Lontano dagli occhi);
2. Um sorriso;
3. O silêncio;
4. Deus, como te amo (Dio come ti amo).
















Links:







sábado, 22 de abril de 2017

ORQUESTRA SERENATA TROPICAL - OS SUCESSOS COM A - 1972 - REPOST

Nesta postagem, reapresentamos o álbum "Os Sucessos Com a Orquestra Serenata Tropical", lançado no Brasil, em 1972, pela gravadora CBS, com o selo Entré. 

Para quem não sabe, essa orquestra é mais uma daquelas compostas por músicos de estúdio, neste caso da gravadora CBS. Nessa mesma gravadora, outras orquestras de estúdio famosas eram a Orquestra Brasileira de Espetáculos e a Orquestra Tropicana. 

O destaque desta orquestra é a qualidade dos arranjos, que foram realizados por diversos maestros nos vários álbuns lançados. Já o destaque deste disco fica por conta da seleção de músicas, em versão instrumental, vigentes nas paradas de sucesso da época.

As músicas que compõem o disco são as seguintes:

1. Anonimo veneziano;
2. I love you baby;
3. Summer holiday;
4. Jennifer;
5. Un gatto nel blu;
6. Love means (You never have to say you're sorry);
7. Speak softly love (theme from Godfather);
8. Soley soley;
9. Rock and roll lullaby;
10. Snow frolic;
11. Eu nunca mais vou te esquecer;
12. Detalhes. 













Links:







quinta-feira, 20 de abril de 2017

JEREMY FAITH AND THE ST. MATHEWS CHURCH CLOIR - LORD - 1972 - REPOST

Após pedido, resgatamos novamente um raro álbum, que é muito interessante pelo seu estilo musical e que teve uma de suas canções nas paradas de sucesso do Brasil e do mundo, nos anos 1970. Trata-se do disco "Lord", do cantor Jeremy Faith, lançado no Brasil, em 1972, pela gravadora Odeon, com o selo London. O destaque é a participação do coro da conceituada "The St. Mathews Church Choir"

Quando adquiri este disco eu não o conhecia e nunca tinha ouvido. Confesso que fiquei surpreso ao encontrar um trabalho de louvor, que atualmente chamaríamos de gênero Gospel, termo que não existia na época

Mas, apesar de alguns não gostarem desse gênero, eu recomendo que ouçam e percebam o nível de qualidade das interpretações e arranjos produzidos na época. Você também irá se surpreender e ficar indagando porque não houveram mais trabalhos lançados pelo cantor. Provavelmente, o comportamento rebelde desse artista influenciou muito na sua baixa produtividade musical.

Mas é interessante conhecermos um pouco sobre a trajetória desse cantor, apesar de haver pouca informação sobre o mesmo. O austríaco Jeremy Faith deixou seu país para ser cantor de Rua na França até ser visto, em 1971, por um empresário do meio musical, que o levou para uma gravação em estúdio registrando duas músicas, entre elas Jesus, de autoria de Michel Berger, que acabou sendo um megahit na França e posteriormente em outros países, incluindo o Brasil.

A partir disso, Jeremy Faith tinha tudo para ser sucesso. Entretanto, relutou em ir para os Estados Unidos e em algumas oportunidades não cumpriu compromissos com a imprensa, o que acabou freando as iniciativas para colocá-lo em evidência.


Outros problemas surgiram em seguida, tais como o seu envolvimento com mulheres, bebidas e principalmente o falecimento de seu filho, o que comprometeu sua ascensão. Acabou sendo um cantor de apenas um grande sucesso. Ele morreu em 06/03/1990, de ataque cardíaco, com a idade de 44 anos, praticamente desconhecido.

O álbum "Lord" contém 10 canções. Incluímos um bônus que não está contido na versão oficial do album Long Playing - Lp, tendo sido mostrada apenas na versão em vinyl Compacto. São as seguintes músicas do álbum:



1. You are my lord J.; 
2. tomorrow will be the day; 
3. Show me way; 
4. Jerusalem roas 63; 
5. Jesus; 
6. lord speak to me; 
7. You can be the man; 
8. We sing together; 
9. Mary; 
10. Thanks my lord.

Bônus:

11. Jesus (instrumental). 





















Links:






segunda-feira, 17 de abril de 2017

GUITAR ROCK - 18 GUITAR LEGENDS - VARIOUS ARTISTS - 1993

Ainda continuando com coletâneas, aproveito para postar mais uma delas. Só que essa é uma daquelas que sempre costumo ouvir no carro, principalmente por algumas músicas que lá constam. 

Se na postagem anterior, o disco era uma mistão de músicas de estilos e épocas diferentes, nesta em compensação, há uma homogeneidade na seleção musical. Acredito que vocês irão apreciar muitas delas, pois são clássicas do gênero.

Das músicas constantes nesse álbum destaco: Confidence man (Jeff Healey), Sweet home Albama (Lynyrd Skynyrd), Sweet dreams (Roy Buchanan), Blue guitar (Justin Hayward), e Hideaway (U.P. Wilson).

O disco desta postagem foi lançado em 1993, na Inglaterra, pela gravadora Wisepack. A seleção é composta das seguintes músicas:

1. Girls talk (Dave Edmunds);
2. She's sexy and 17 (Stray Cats);
3. Confidence man (Jeff Healey);
4. You belong to the city (Glen Frey);
5. Parisienne walways (Gary Moore);
6. No particular place to go (Chuck Berry);
7. Sweet home Alabama (Lynyrd Synyrd);
8. Rocky mountain way (Joe Wash);
9. Cocaine (J. J. Cale);
10. Sweet dreams (Roy Buchanan);
11. Blue guitar (Justin Hayward & John Lodge);
12. Hideaway (U.P. Wilson);
13. Red house (Jimmy Hendrix);
14. Stop messin' around (Fleetwood Mac);
15. Hollyana (Toto);
16. Ready for love after lights (Mott The Hoople);
17. Roll with the chances (Reo Speedwagon);
18. Johnny B. Goode (Johnny Winter).















Links:







domingo, 16 de abril de 2017

ROCK DREAMS - VARIOUS ARTISTS - 1993

Sempre fui um grande consumidor de discos, mas nem sempre gostei de adquirir coletâneas, pois preferia elaborar as minhas próprias coletâneas, desde a época das fitas K7.

No entanto, as vezes, alguma coisa acaba caindo nas suas mãos. É o caso do material desta postagem, que recebi de presente de amigo secreto em algum momento, que não lembro mais quando foi. Ao ouvi-lo neste feriado de Páscoa, achei que poderia postá-lo.

O que me chamou a atenção quando ouvi pela primeira vez é que a seleção continha alguns artistas que eu não conhecia, como o caso do grupo Hothouse Flowers, com a canção Give it up, que gostei muito.

A coletânea "Rock Dreams" é realmente uma salada musical, com estilos variados, direcionado mais para o pop do que o rock. Ela foi lançada na Inglaterra, em 1993, pela pouca conhecida gravadora Nectar e contém as seguintes músicas:

1. Sarah (Thin Lizzy);
2. Give it up (Hothouse Flowers);
3. Sunday girl (Blondie);
4. All I really want do do (World Party);
5. It's different for girls (Joe Jackson);
6. You make my dreams (Hall & Oates);
7. The one that you love (Air Supply);
8. Nothing's gonna stop us now (Starship);
9. Lost in France (Bonnie Tyler);
10. What kind of fool am I (Rick Springfield);
11. No time to lose (Accept);
12. Power of love (Huey Lewis);
13. Angel of the morning (P.P. Arnold);
14. One more time (Timmy T);
15. Questions (Manfred Mann's Earth Band);
16. Love is the air (John Paul Young);
17. Broken down angel (Nazareth);
18. Change (Big Country). 














Links:







J.D. SOUTHER - YOU'RE ONLY LONELY - EP 1979

Recentemente adquiri alguns discos em vinyl de um site japonês e para minha surpresa veio junto um compacto simples do cantor J.D. Souther, contendo uma música que aprecio muito, chamada You're Only Lonely. Espero que vocês também gostem.

Para quem não conhece, o músico, compositor e ator americano John David Souther nasceu em Detroit, USA, em 2 de novembro de 1945 e cresceu em Amarillo, Texas. Ele escreveu e co-escreveu canções gravadas por artistas como Linda Ronstadt e Eagles.

Como músico e compositor, ele foi muito influenciado em seus anos de formação pelo ícone do rock and roll do Texas, Roy Orbison. Depois de se mudar para Los Angeles, Califórnia, no final dos anos 1960, ele conheceu o músico e compositor, Glenn Frey e os dois se tornaram companheiros de quarto e colaboradores musicais. Souther e Frey formaram um duo popular chamado Longbranch Pennywhistle. Seu álbum solo foi lançado em 1970 no Amos Records de Jimmy Bowen.

Depois de gravar outro álbum solo em 1972 Souther uniu-se com Chris Hillman e Richie Furay para formar o Souther Hillman Furay Band. O grupo lançou dois álbuns, mas tensões criativas e falta de vendas recorde levaram o encerramento da banda.

Souther é provavelmente mais conhecido por suas habilidades de composição, especialmente no campo de country rock. Ele co-escreveu alguns dos maiores sucessos para os Eagles, incluindo Best of my love, Victim of love heartache tonight e New kid in town.

A canção How long, que aparece no álbum “Long Road Out of Eden” dos Eagles  foi escrito por Souther e gravado originalmente em seu primeiro álbum solo em 1972.
Ele também escreveu Run like a thief, que apareceu em Home Plate por Bonnie Raitt em 1975.

Souther participou e co-produziu o álbum “Do Not Cry Now”, de Linda Linda Ronstadt, compondo músicas para vários de seus discos multi-platina, incluindo "Faithless Love" de Heart Like a Wheel e "White Rhythm and Blues" em Living in the Living EUA.

Ele também gravou vários duetos com Ronstadt, incluindo Hasten down the wind, Prisoner in disguise, Sometimes you can not win e Hearts against the wind, que foi apresentado no filme 1980 Urban Cowboy.

J.D. Souther também contribuiu como cantor para obras escritas por outros artistas, incluindo backing vocals com Don Henley em The light is on, para Christopher Cross em seu álbum de estreia. Também nas músicas False faces e Loose ends, no final de 1976 de Dan Fogelberg.

Seu maior sucesso comercial, sem dúvida nenhuma, foi a canção You’re only lonely, lançada em 1979, que alcançou o número 7, no Billboard Hot 100 e ocupou o primeiro lugar no quadro Adult Contemporary da Billboard, por cinco semanas consecutivas.
  
Em uma colaboração com seu velho amigo James Taylor, chamado Her town too, do álbum “Taylor Loves His Work”, obteve o disco de platina, alcançando o 11º lugar no Hot 100 e foi Top Five no rádio AC, em 1981.

Em 1987, ele contribuiu e realizou os arranjos vocais para Roy Orbison e Friends, no famoso show e vídeo “Black and White Night’. Nesta oportunidade cantou a canção dos The Platters, Smoke gets in your eyes, no filme “Always” de Steven Spielberg e escreveu o tema para a comédia de 1989-1992, “Anything But Love”. Também compôs a música Wishing on another lucky star, destaque na trilha sonora do filme Permanent Record.

Nesta fase de trilhas para o cinema, Souther co-escreveu Doin time for bein young, uma canção interpretada por James Intveld para a trilha sonora do filme de 1990, com  Johnny Depp, chamado “Cry-Baby”.

Em 14 de outubro de 2008, Souther lançou If the world was you, seu primeiro trabalho após 25 anos. No outono de 2009, ele lançou um álbum ao vivo intitulado “Rain – Live”, no Belcourt Theatre, com uma mistura de material antigo e novo.

Em 31 de maio de 2011, Souther lançou Natural History, apresentando novas versões de suas canções gravadas por outros artistas. Continuou em 2012, com o lançamento do “Midnight in Tokyo”, um EP que foi gravado ao vivo.

Em 14 de junho de 2013, Souther foi introduzido no Songwriters Hall of Fame e chamado de principal influência do som do sul da Califórnia sobre uma geração de novos compositores.

O compacto simples desta postagem foi lançado no Japão em 1979, pela gravadora CBS/Sony e contém as músicas:

1. You're only lonely;
2. Songs of love.




















Links: