2016

2016

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

ENOCH LIGHT & THE LIGHT BRIGADE - LET IT BE - 1979

O maestro Enoch Light (1905-1978) foi líder de uma orquestra muito popular nos anos 1940 e 50, pelo seu estilo de percussão e um pioneiro no uso de novas tecnologias de áudio como o "ping-pong stereo”, que era a passagem de um canal para outro e nos anos 1960 e 70, a gravação em película de 35mm.

Depois desse sucesso, ele fundou a gravadora Command, que possibilitou realizar os seus próprios registros com flexibilidade para novas criações de arranjo e áudio, que utilizava todo o espectro sonoro dos equipamentos de som da época, ficando à frente dessa gravadora até 1965. 

Posteriormente 1965, a gravadora Command foi adquirida pela ABC Records, que por sua vez foi comprada pela MCA Records. Nesse período, Enoch Light continuou trabalhando como arranjador / maestro e chefe do selo “Project 3 Records”.

Nos anos 1970, mesmo gravando esporadicamente, a sua atividade artística diminuiu. Enoch Light faleceu em 31/07/1978, deixando uma obra extensa.

Fonte: Stephen Thomas Erlewine, All Music Guide.

Nesta postagem, apresentamos um raro disco, denominado "Let It Be", lançado em Vinyl, no Brasil, em 1979, pela gravadora Copacabana Discos, com o selo United Artists. Posteriormente, foi relançado em formato Compact Disc, pela gravadora RB Music.

As músicas que compões esta seleção são as seguintes:

1. Born free;
2. April in Portugal;
3. On a clear day;
4. On a slow boat to China;
5. Everybody's talkin';
6. The girl from Ipanema;
7. Let it be;
8. Michelle;
9. I'll never smile again;
10. Somebody loves me;
11. Cecilia;
12. Bridge over troubled water.

















Links:







terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

BILLY PAUL - BILLY PAUL 2 - 1974

Nesta postagem, apresentamos o segundo álbum lançado no Brasil, do cantor americano de soul music, Billy Paul, que ficou conhecido pelo single de 1973, Me And Mrs Jones, vencedor de um Grammy, que combina o soul music e funk, com traços de jazz, R&B e música pop.

O disco intitulado "Billy Paul - 2" foi lançado no Brasil em 1974, pela gravadora CBS, com o selo EPIC. O curioso é que esse disco é uma mistura de três álbuns que foram lançado nos USA, intitulados "Ebony Woman", de 1970, "Going East", de 1971 e "War of the God", de 1973.















Links:







===============================================================

VEJA TAMBÉM  O ÁLBUM "BILLY PAUL - 360º DEGRESS OF"

(CLIQUE AQUI Para ver a postagem original)





segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

LIZA MINELLI - THE SINGER - YOU'RE SO VAIN - 1973

Uma das canções que mais apreciei e ainda gosto muito dos anos 1970, é a música You’re so vain, da cantora Carly Simon. O álbum desta postagem, foi adquirido na época, justamente como consequência disso.

Trata-se do disco da atriz e cantora americana Liza Minelli, intitulado “The Singer”, que no Brasil foi incluído no título o nome da canção “The Singer - You’re So Vain”. Lançado em 1973, pela gravadora CBS, com o selo CBS e Harmony.

Para quem não a conhece, Liza May Minnelli nasceu na cidade de Los Angeles, EUA, em 12 de março de 1946. É filha do diretor de cinema Vicent Minelli e da famosa atriz Judy Garland. Se notabilizou no cinema com o filme “Cabaret”, onde atuava como a dançarina Sally Bowles, o que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz.

Liza Minnelli foi uma atriz precoce, participando no primeiro filme em 1949, chamado “In the Good Old Summertime”, aos quatorze meses de idade. Com dezesseis anos, Liza foi para Nova York, sua conta, para iniciar a carreira artística.

Em 1964, a mãe convidou-a para participarem juntas num espectáculo em Londres, que teve excelente repercussão. Foi nessa ocasião, que Liza conheceu o primeiro marido, o cantor e compositor australiano, Peter Allen, amigo de Judy Garland.

Aos 19 anos, Liza ganhou o prêmio Tony e em 1969, aos 23 anos, foi indicada ao primeiro Oscar, pelo papel de Pookie Adams, em “The Sterile Cuckoo”. Os anos 1970, foi um período de muito trabalho para Liza, atuando nos palcos, nos filmes e na música.

Em 1972, Liza Minnelli protagonizou um dos maiores sucessos da carreira, como Sally Bowles, no filme Cabaret, adaptação do musical homônimo. O longa metragemé também um dos maiores sucessos de bilheteria de Hollywood e projetou Liza como um dos maiores ícones do cinema mundial.

O talento como cantora foi reconhecido com a interpretação antológica da canção-tema homónima. Liza venceu o Oscar de melhor atriz pelo desempenho e o Globo de Ouro, de melhor atriz em comédia ou musical. Foi simultaneamente capa das revistas Time e Newsweek. Além de Cabaret, uma das interpretações mais conhecidas é New York, New York, do musical de mesmo nome.

Com o amigo Halston, era frequentadora assídua do Studio 54, o mais famoso clube noturno do mundo. Em 1974, participou como narradora do filme “Isto é o Espetáculo”, com Fred Astaire e Gene Kelly. Casou-se em 1974 com o produtor e diretor de televisão Jack Haley Jr, e em 1979, com o escultor Mark Gero. Mas, os dois casamentos acabaram em divórcio.

Após seu desempenho como o ator Dudley Moore, no longa-metragem “Arthur”, Minnelli fez poucas aparições no cinema. Em resumo, a partir dos anos 1980, a sua carreira se voltou para os palcos e para a música. Gravou com Frank Sinatra no álbum “Duets” e Sammy Davis Jr, Em seguida, juntou-se a eles para uma série de concertos e espetáculos na televisão, que tiveram ótima repercussão.

Em 1997, Liza sofreu uma cirurgia às cordas vocais, época em que começou a assistir a todos os filmes do pai adotivo. Isso a levou a estrear um espetáculo na Broadway,intitulado “Minelli on Minelli”.

Em 2002, casou-se com David Gest, promotor e produtor de televisão, mas em 2007, ocorreu oficialmente o divórcio, pois já estava separada desde 2003. Em 2006, gravou a canção Mama, em parceria com a banda My Chemical Romance.

O álbum “The Singer – You’re So Vain”, contém uma seleção com músicas de sucessos pop da época e são as seguintes:

TRACKS:
1. I believe in music;
2. Use-me;
3. I’d love you to want me;
4. Oh, baby, what would you say;
5. You’re so vain;
6. Where is the love;
7. The singer;
8. don’t let me be lonely tonight;
9. Dancing in the moonlight;
10. You are the sunshine of my life;
11. Baby don’t get hooked on me.





Capa (Front) - Versão USA - 1973





 ContraCapa (Back) - Versão USA - 1973




 Capa (Front) - Versão Argentina




ContraCapa (Back) - Versão Argentina




 Selo CBS (Label) - Versão Brasil - 1973




 Selo Harmony (Label) - Versão Brasil - 1973

Links:






sábado, 11 de fevereiro de 2017

MUSIKAANTIGA - VOLUME 3 - RCA - 1969

Recentemente repostamos os dois primeiros volumes do grupo Musikantiga (Ver Postagem Original), que se notabilizou no Brasil por resgatarem a música barroca, fato raro para uma banda musical daquela época. Esses discos até hoje são elogiados.

Este grupo foi criado em 1966 pelo músico Ricardo Kanji, gravando o seu primeiro disco em 1967, pela gravadora "Discos Marcus Pereira". Seus membros fundadores contaram com Milton Kanji, Paulo Herculano e Dalton de Luca.

Posteriormente gravaram mais três discos pelas gravadoras "Discos Copacabana", "Rosenblit" e "RCA Victor". O trabalho do conjunto foi muito bem recebido pelo público, principalmente no circuito universitário.

O álbum desta postagem, há tempos atrás, por blog que não me recordo, já foi colocado na rede com algumas limitações de áudio e do material gráfico. Apesar de poucas melhorias, estamos repostando-o.

O disco foi lançado no Brasil, em 1969, pela RCA Victor. A obra resgata músicas da Renascença inglesa, francesa e da Idade Média como um todo.

As músicas instrumentais que compõem este disco são as seguintes, dispostas por segmento de local e época:

Música da Renascença Inglesa
1 - Holborne, A.: 4 Danças: Pavan; Hoel's Galliard; The Honeysuckle; Heigh ho Holiday
2 - Gibbons, O.: In nomine para 4 Violas da Gamba
3 - Simpson, T. (1582-1630): Alman para 3 Flautas, viola baixo e Cravo
4 - East, M.: And I as well as thou für 3 Violas da Gamba
5 - Simpson, T.: Ricercar - Bonny sweet Robin para Viola soprano, flauta tenor, flauta baixo, viola baixo e cravo

Música da Renascença Francesa
6 - Desprez, J.: Vive le Roy, Corneto und 3 Sackbutts
7 - Pierre Attaignant (1552): 4 danças - Pavane, La brosse, Tourdion, La scarpa my faict mal

Idade Média e Renascença
8 - Küffer, Wolfgang: 3 Carmina für 4 Krummhörner - Propter bonos geschwenkos; Mit hohem Fleiss; Gallicum sine nomine
9 - Anonymus Séc. XIII: Instrumental Motette - In Seculum f. 2 Rauschpfeifen und Sachbutt
10a - Anonymus Séc. XV: La spagna para 2 Sackbutts
10b - de La Torre, Francisco (1469-1518):Danza alta "La spagna" para Flöte, Sackbutts u. Viola
11 - Anonymus Séc. XIV: Saltarello
12 - Senfl, Ludwig: Carmen "Fortuna desperata", p. Viola soprano, sackbutt alto, viola basixo e Krummhorn baixo
13 - Anonymus Séc. XIII: Estampie - dança real














Links:







MADRUGADA E SEU CONJUNTO - SÓ SUCESSOS - VOLUME 11 - 1970 - REPOST

A pedido, estamos reapresentando o álbum instrumental "Só Sucessos - Volume 11", da Orquestra ou grupo chamado Madrugada e Seu Conjunto, que postamos em 13 de maio de 2014. Para maiores informações veja a nossa Postagem Original.

O disco foi lançado no Brasil em 1970, pela gravadora CBS e a sua seleção é composta pelas seguintes músicas:

1. Espera um pouco...um pouquinho mais (La nave del olvido);
2. Eu amo tanto, tanto (Ti voglio tanto bene);
3. Mi viejo;
4. Hoje;
5. Gente humilde;
6. Até amanhã (Sometimes);
7. Fumaça nos olhos (Smoke gets in your eyes);
8. Minha coisas;
9. Adeus meu grande amor (Adieu jolie candy);
10. Largo da igrejinha;
11. Nadita de nada;
12. Te direi te quero (Te diré te quiero).














Links:







sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

BILLY VAUGHN - CAPELA A BEIRA MAR (CHAPEL BY THE SEA) - 1962

A Orquestra de Billy Vaughn sempre teve boa aceitação no mercado brasileiro, sendo uma das orquestras mais vendidas. Quando se ouvia o solo do instrumental já se sabia que era Billy Vaughn, pois seu estilo era uma marca registrada. 

Já postamos vários álbuns, mas infelizmente muitos deles estão o com os links desativados. A medida que for possível vou resgatá-los. Por isso, a garantia garantimos o material na rede por 30 dias. Depois disso, vamos repondo gradativamente, a medida que saem do ar.

O álbum desta postagem, intitulado "Capela a Beira Mar (Chapel by The Sea)" já foi postado anteriormente na internet. Porém, considerando que já postei outros discos desse arranjador,  mesmo assim, resolvi incluí-lo.

Esse trabalho foi lançado no Brasil, em 1962, pela gravadora RGE Discos, com o selo original Dot. Em minha opinião, o destaque deste disco é o arranjo para a música Petite fleur.

As músicas que compõem este disco são as seguintes:

1. Chapel by the sea;
2. Petitte fleur
3. Exodus;
4. Can't help falling in love;
5. Moon river;
6. Don't break the heart that loves you;
7. Midnight Moscow;
8. The twist;
9. Tuff;]
10. Route 66 theme;
11. Bonaza;
12. Wonderland by night.

FRANCK POURCEL - UM MUNDO DE MELODIAS - L' ENFANT ROI - VOLUME 14 - 1972 - REPOST

Atendendo a um pedido muito antigo, do amigo Leonardo Brito, reapresentamos o álbum "L'Enfant Roi - Volume 14", da Orquestra de Franck Pourcel, lançado no Brasil, em 1972, pela gravadora EMI/Odeon.

O disco possui uma excelente seleção de músicas da época, com arranjos que predominam as cordas, principalmente os violinos, o que já é uma característica dessa orquestra. Além da bela fotografia do garoto na capa, são várias músicas que se destacam. 

Em minha opinião as principais canções de destaque são Don't Let It Die, com realce de metais, Opus 35 Tchaikovsky, The Fool e Butterfly

As músicas que compõem este álbum são as seguintes:

1. L'enfant roi; 
2. Mamy blue; 
3. Don't Let It Die; 
4. Opus 35 Tchaikovsky; 
5. We Shall Dance; 
6. Io e te; 
7. Jesus Christ Superstar; 
8. Venise va morir (Anonimo Veneziano); 
9. Charlie; 
10. Comme Juliette et Romeo; 
11. The fool; 
12. Butterfly





 Capa (Front) - Edição Brasil - 1972





Capa do álbum lançado na Europa com o selo Columbia. 
Há países em que o mesmo álbum foi lançado em parceria EMI e RCA Victor.






 Capa (Front) - Edição Brasil -  2ª Tiragem - 1972





  Contracapa (Back) - Edição Brasil - 1972




Selo (Label) - Edição Brasil - 1972

Links:






quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

JOHN BASILE - PENNY LANE - 2015

Seguindo a postagem anterior da Salena Jones, mais um álbum tributo dos Beatles. Desta vez, apresentamos um disco instrumental de John Basile contendo dez composições de Lennon & McCartney e uma de George Harrison. Para detalhes sobre o artista veja o nosso Blog LaPlayaBeatles. Espero que apreciem.

As músicas do álbum são as seguintes:

1. Eleanor rigby;
2. A fool on the hill;
3. Penny lane;
4, And I love her;
5. A day in the life;
6. While my guitar gently weeps;
7. Here, there and everywhere;
8. I want to hold your hand;
9. Can't buy me love;
10. Norwegian wood;
11. in my life.














Links:







SALENA JONES - LET IT BE - 1988

Além deste blog, também venho postando material tributo exclusivo dos Beatles no Blog LaPlayaBeatles. A partir de hoje, todo material lá postado será simultaneamente postado neste blog, pois nem tudo mundo acessa os dois blogs.

Desta vez, foi postado um excelente álbum da cantora de jazz Salena Jones, intitulado "Let it be", que foi lançado exclusivamente no Japão, em 1988, pela gravadora JVC.

As músicas da seleção do disco são as seguintes:

1. Let it be;
2. Norwegian wood;
3. Here comes the sun;
4. The long and winding road;
5. Got to get you into my life;
6. If I fell;
7. Something;
8. Get back;
9. Hey Jude;
10. Don't let me down;
11. The fool on the hill;
12. Here, there and everywhere.














Links: