2017

2017

terça-feira, 15 de maio de 2018

LYRIO PANICALI - ITALIANO (1966) REPOST

Nesta postagem, reapresento o álbum orquestral "Italiano", do maestro, arranjador, compositor e diretor musical, Lyrio Panicali (1906 - 1984), lançado no Brasil, em 1966, pela EMI Odeon, pelo selo Fênix, que foi postado pelo blog, pela primeira vez, em 01/agosto/2011. 

Para quem não conhece, Lyrio Panicali, de origem italiana, foi considerado um dos grandes maestros da Era de Ouro da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, tendo frequentado, no começo de sua carreira, os teatros Lírico e Municipal aonde ia acompanhado muitas vezes por Lamartine Babo.


Em 1922, morando no Rio de Janeiro, ingressou no Instituto Nacional de Música e em seguida atuou como maestro e pianista da Companhia Negra de Revistas na revista "Preto e branco", de Wladimiro di Roma no teatro Rialto.


Em 1938, voltou para o Rio de Janeiro, contratado da Rádio Nacional, onde estreou no programa "Canção antiga", de Almirante. Formou a Orquestra Melódica Lyrio Panicali e começou a compor temas musicais para as novelas transmitidas pela emissora, destacando-se as valsas Encantamento e Magia, em parceria com Raimundo Lopes, e Ternura, com Amaral Gurgel. Ainda nesse ano, compôs sua primeira trilha sonora para o cinema para o filme "Aves sem ninho", de Raul Roulien. 

Em 1950, Dick Farney gravou seu samba-canção Naquele tempo, parceria com Klécius Caldas e Ari Ferreira, na flauta, gravou o choro Ari no choro na gravadora Sinter. Foi um dos fundadores da Sinter, ainda nesse ano, atuando também como diretor artístico da gravadora, onde lançou, com sua orquestra as músicas Canção de aniversário e Maringá, de Joubert de Carvalho e o samba-canção Somos dois, de Klécius Caldas, Armando Cavalcanti e Luiz Antônio. 

Nos anos seguintes das décadas dos anos 1950 a final dos anos 1970 participou ativamente no meio musical, participando como compositor e arranjador em gravações de artistas e de trilhas sonoras de filmes e novelas brasileiras.

Ele foi a base de várias obras de artistas brasileiros, tais como: João Dias, Cauby Peixoto, Sérgio Murilo, Dick Farney, Os Cariocas, Wilson Simonal,  Edu da Gaita, Carlos José, Lana Bitencourt, Tito Madi, Orquestra Zacarias, Ribamar, Peri Ribeiro e diversos outros artistas do "cast" da EMI Odeon e da Columbia (CBS)

É comumente afirmado que a forma como tratou a música e como realizava os arranjos das melodias, merece atenção e admiração. Entre tantas obras, em particular, são citados os álbuns "Nova Dimensão" e "Italiano", objeto desta postagem.

Neste disco, ele preparou arranjos especiais para um tributo à música italiana, a seguir listadas:


1. L'ultima telefonata, 

2. Nessumo mi puo giudicare, 
3. Il mondo,  
4. Comiciamo ad amarci, 
5. Ho capito che ti amo, 
6. Dio come ti amo, 
7. Io ti daro di piu, 
8. Una casa in cima al mondo, 
9. Nessuno di voi, 
10. Se piangi se ridi, 
11. Se fa sera, 
12. Se non avessi piu te.















Links:







Nenhum comentário:

Postar um comentário