2016

2016

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

THE AVALONS & REGIANE - CHINA ROCK - 1958


Finalmente finalizamos a primeira compilação de uma série de três do selo Young, lançado no final dos anos 1950. Vale pela raridade e também por fazerem parte dos personagens que foram pioneiros no rock nacional e assim fazem parte da história musical brasileira. 

Nessa primeira seleção apresentamos o conjunto The Avalons e a cantora Regiane, uma vez que a maioria de suas gravações contava com o acompanhamento do grupo. A seguir algumas informações sobre The Avalons, Regiane e a Young.  


THE AVALONS

O conjunto The Avalons era de São Paulo e foi um dos pioneiros do rock instrumental no Brasil. A formação do grupo era composta por Francisco Eduardo de Souza Pereira – Dudu (Guitarra solo), Paulo Hermínio de Souza Pereira (Baterista) e Daniel Grizanti (Contrabaixista).

Tudo começou em uma festa, em 1959, quando os dois irmãos Dudu e Paulo conheceram Grizanti e conseguiram convencê-lo a formar um trio instrumental, recebendo o nome Avalons. Tendo projeção e prestígio junto ao público jovem que apreciava música americana, passaram a tocar em shows, festas e programas de TV.

No decorrer dessas apresentações, novo vocalista passou a integrar o grupo, o jovem José Gagliardi Júnior, mais conhecido como Gally Jr e posteriormente em carreira solo passou a se chamar Prini Lorez.

O estilo das músicas do grupo The Avalons era inconfundível. Um fato interessante e curioso é que o maior sucesso do grupo foi a música com vocal, chamada Valentina.
A música Rebel Rouser também foi um sucesso, mas a execução da música China Rock é espetacular, com solo belíssimo de guitarra e o disco é um dos mais raros da época.

Fonte: Laércio Pacheco Martins, O Rock And Roll: origem, mitos e o rock instrumental no Brasil e em outros países, 2001.


REGIANE:

A cantora brasileira Regiane (Célia Regina Bellochi) é uma daquelas raras cantoras de voz privilegiada. Foi uma das pioneiras do rock brasileiro, tendo gravado pelo selo Young, alcançado um breve sucesso final dos anos 1950 e inicio de 1960.

Apesar do preconceito da mídia, em 1960, Regiane ganhou o prêmio Chico Viola, na categoria revelação, pela balada I’m Yours, que segundo ela foi inspirado na versão da cantora Eydie Gorme. Foi sem sombra de dúvida o maior sucesso do selo Young.

Por cantar em inglês costuma abrir os shows internacionais realizados no Teatro Record, ao lado dos seus colegas da Young, sob produção de Miguel Vaccaro Neto.

Segundo o jornalista e crítico da antiga Revista Bizz, “ouvir Regiane é sempre emocionante, puro deleite. A voz encantadora e calorosa tem registro alto. A comparação mais próxima que consegue fazer é com a cantora Timi Yuro e nos tons mais baixos com a cantora Helen Shapiro, não ficando a dever para nenhuma das duas”.

Da mesma forma considero que as releituras de Regiane para as músicas To Know Him is to Love Him, Frankie e Broken Hearted Melody se não são superiores estão em mesma igualdade as versões originais cantadas respectivamente por Teddy Bears, Connie Francis e Sarah Vaughn. Da mesma forma, considero superior as versões das mesmas músicas cantadas por Celly Campello.

Em 1961, Regiane foi contratada pela gravadora Odeon e se esperava que fosse dar o impulso na carreira que levaria a projeção nacional e talvez até uma carreira internacional. Entretanto, não foi isso que ocorreu. Chegou a gravar a canção Emotions, uma versão do hit da cantora norte americana Brenda Lee, porém nem chegou a ser editada. Não se sabe o que aconteceu com as matrizes dessa gravação. Meses depois, abandonava a música, encerrando precocemente a carreira e não permitindo que uma das melhores vozes do Brasil proporcionasse uma obra mais extensa.

Fontes: René Ferri e http://brazilianhitparade.blogspot.com.br

YOUNG:

The Young Years foi a fase de músicas gravadas pelo selo Young, criado por Miguel Vaccaro Netto (produtor musical, radialista e jornalista), em parceria com Enrique Lebendiger, da gravadora Fermata do Brasil. Ele prospectou jovens músicos paulistas que costumavam participar de programas para a juventude nas rádios Panamericana e Record, de São Paulo. Muitos desses jovens eram estudantes de cursos de inglês, comissários de bordo, secretárias bilinques ou simplemente fãs do rock and roll, surgido no Brasil a partir de 1957.

Assim foram realizadas gravações com interpretações de sucessos norte americanos, principalmente, dos anos de 1958 e 1959. As gravações eram verdadeiras maratonas musicais, que duravam até 48 horas, já que o estúdio da gravadora Continental era alugado para o final de semana e tudo tinha que ser finalizado em fitas magnéticas antes da meia noite do domingo. As músicas gravadas eram em inglês de sucessos americanos e também de de autores brasileiros, só que versadas para o inglês.

O selo (label) Young lançou nomes como Demetrius, Marcos Roberto, Nick Savoia, Hamilton Di Giorgio, The Avalons, Dori Edson, The Teenagers, The Beverlys, Gato, The Rebels, The Youngs, Regiane e outros. 

As músicas desta compilação realizada pelo blog LaPlayaMusic são as seguintes:

1. Valentine my Valentine_The Avalons (1959);
2. China rock_the Avalons (1959); 
3. All the time_The Avalons (1958); 
4.  Rebel Rouser_The Avalons (1958); 
5. Believe me_The Avalons (1959); 
6. Here comes the avalons_The Avalons (1958); 
7. Baby talk_The Avalons (1959); 
8. Come softly to me_The Avalons (1959); 
9. Frankie_Regiane & The Avalons (1959); 
10. To know him is love him_Regiane & The Avalons (1958); 
11. Tum ba lov_Regiane & The Avalons (1959); 
12. Fallin_Regiane & The Avalons (1958); 
13. I'm yours_Regiane (1952); 
14. O dio mio_Regiane (1960); 
15. Broken heart melody_Regiane (1959); 
16. Willie boy_Regiane (1960).




















5 comentários:

  1. Segundo uma surpreendente entrevista concedida por Regiane em sua própria casa - fora da capital paulista - a uma jornalista encarregada de fazer uma matéria acadêmica sobre as experiências profissionais das cantoras paulistas de rock dos anos 50/60 Celly Campello, a própria Regiane e Meire Pavão, ela revelou, enfim, a razão de seu abandono repentino e irrevogável da carreira artística: incompatibilidade pessoal com o "modus vivendi" dos bastidores do "show-business". Ela, estudante de colégio de freiras e, embora abraçando o mundo do rock (para os que não simpatizavam com o gênero, uma anarquia musical) tinha - assim como Celly Campello e Meire Pavão - padrão conservador referente ao comportamento social e sexual, algo talvez pouco comum nesse meio, considerado por muitos como promíscuo. Ela informa que Celly era assessorada pelo irmão, Tony Campello; Meire Pavão, pelo seu irmão, Albert Pavão e ela não tinha ao seu lado algo tão próximo para resguardá-la de possíveis investidas inconvenientes. Assim, incomodada por eventualidades desagradáveis, preferiu seguir seu caminho de cidadã comum (não tão comum assim). De qualquer forma, ela terá sempre o respeito de seus fãs e admiradores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Druca
      Sempre com comentários apropriados e que enriquece nossos comentários.
      Obrigado
      Hedson LaPlaya

      Excluir
  2. Muito Obrigado. Na realidade, eu sou um fã de sua página. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Hedson e Druca, obrigado pelas informações! sou fã da Regiane desde que a descobri na Bizz, acho que era uma das mais fantásticas vozes que já tivemos, e costumo ouvir bem alto no carro as poucas gravações que foram realizadas.

    ResponderExcluir
  4. Grande Dudú do Banjo (fundador do The Avalons) agora está em Florianópolis onde toca com os filhos, a Família PAPADÚ. China Rock ainda faz parte do Repertório.

    ResponderExcluir