2019

2019

sábado, 29 de junho de 2019

ERLON CHAVES - MILLENIUM - 20 MÚSICAS DO SÉCULO XX (1999)

Para encerrar o mês de junho, apresentamos o álbum "Millenium - 20 Músicas do Século XX", do pianista, arranjador, maestro e cantor Erlon Chaves (Para mais detalhes, veja em nossa postagem de 08/nov/2017).

O disco foi lançado no Brasil, em 1999, pela gravadora Universal, pelo selo Mercury. A seleção contém os principais sucessos da carreira precoce de Erlon Chaves, a seguir listados:

01. Eu também quero mocotó;
02. Mrs. Robinson;
03. MacArthur park;
04. I say a little prayer (Digo uma pequena prece);
05. I love you baby / Crying;
06. Pop concerto show / Summer holiday;
07. Rock and roll lullaby / Song sung blue;
08. Shirley sexy / Sex-appeal;
09. You are the sunshine of my love / Where is the love;
10. The dock of the bay (Sentado na beira do cais);
11. Push together / Cisco kid;
12. Long train runnin / Soul makossa;
13. My love / Live and let die;
14. Killing me softly with his song / Lost horizon;
15. Menina da ladeira;
16. We can make it happen again / It ain't no use;
17. Love's theme / Never never gonna give you up;
18. Goodbye yellow brick road / Me and you;
19. Rock the boat / Rock your baby;
20. Cosa nostra.


















Links:




sexta-feira, 28 de junho de 2019

ORQUESTRA SERENATA TROPICAL - SOMENTE SUCESSOS (1972)

Dando continuidade as nossas comemorações de 8 anos do blog, apresentamos mais um álbum inédito na rede. Trata-se do disco "Somente Sucessos", da Orquestra Serenata Tropical, que foi lançado no Brasil em 1972, pela gravadora CBS, pelo selo Entré. 

Para quem não sabe, essa orquestra é mais uma daquelas compostas por músicos de estúdio, neste caso da gravadora CBS. Nessa mesma gravadora, outras orquestras de estúdio famosas se destacaram, entre elas a Orquestra Brasileira de Espetáculos e a Orquestra Tropicana, que era lançado pelo selo Tropicana. 

A seleção que compõem o álbum desta postagem é montada em sucessos internacionais da época, com a inclusão de uma canção de composição de Roberto e Erasmo Carlos. A seguir a lista das músicas:

01. I saw the light;
02. Popcorn;
03. Everything I own;
04. Alone again (Naturally);
05. Concerto pour un eté;
06. Song sung blue;
07. Beautiful sunday;
08. Baby don't get hooked on me;
09. Long ago tomorrow;
10. Without you;
11. Sheila es asi;
12. Por amor.
















Links:





quinta-feira, 27 de junho de 2019

SUPERSONICS - INTERPRETA ROBERTO E ERASMO CARLOS (1979) REPOST

O grupo musical desta repostagem, denominado Supersonics, é na verdade o mesmo grupo que gravou alguns álbuns no inicio dos anos 1970, denominado The Supersonics. 

Na verdade seus integrantes eram os mesmos da banda The Fevers. Sempre que era conveniente eles utilizavam pseudônimos para gravar em outro selo e até em outra gravadora.

Esses albuns alternativos, na maioria das vezes visava apresentar apenas o lado instrumental do grupo. Alguns desses pseudônimos do grupo The Fevers foram: The Supersonics, Supersonics, Os Milionários, Cardinale, Peter, SOS, Vacations, We, Hot Machine, News Fashion Band, Máquina Quente, Age Of Venus, The Big Seven e The Lotus Sound.

Os integrantes do The Fevers, também participaram dos discos dos Os Super Quentes , Década Explosiva e Som Bateau, juntamente com integrantes de outros grupos ou de participações especiais, como por exemplo, Lafayette, Golden Boys e Trio Esperança.

Os "The Fevers" costumavam participar de coletâneas encomendadas pelas gravadoras com forte apelo comercial, em cima de sucessos do momento. Algumas dessas coletâneas foram: "Parada de Sucessos", "Maneiríssimo", "Young Lovers", "Curtição Internacional", "No Mundo das Novelas", "Peace, Faith e Harmony", entre outras coletâneas diversas.

O raro álbum desta postagem intitulado "Supersonics interpreta Roberto e Erasmo Carlos" foi lançado em 1979, pela EMI, com o selo Jangada e contém as seguintes músicas:

01. Quero que vá tudo pro inferno;
02. Por isso corro demais;
03. Sentado a beira do caminho;
04. Quando;
05. Detalhes;
06. Como é grande o meu amor por você;
07. A volta;
08. Debaixo dos caracóis dos seus cabelos;
09. Eu estou apaixonado por você;
10. Eu te amo, te amo, te amo;
11. A distância;

GERRY MARSDEN - A TRIBUTE TO LENNON AND MCCARTNEY - 1995

Nesta postagem, apresentamos o álbum "A Tribute to Lennon And McCartney", do cantor inglês Gerry Marsden e lançado em 1995, na Inglaterra, pela gravadora Ktel.

Para quem não sabe, Gerry Marsden, nascido em Liverpool, no dia 24 de setembro de 1942, é conhecido por ter sido o líder da banda britânica Gerry & The Pacemakers, que fez sucesso nos anos 1960, antecedendo os Beatles.

Gerry & The Pacemakers foi o segundo grupo assinado por Brian Spstein, que foi empresário dos Beatles. Seu primeiro single de sucesso foi How do you do it, canção que antes foi recomendada por George Martin aos Beatles.
Após esse sucesso, veio a cancção I like it, seguido de You're never walk alone. Outros singles surgiram tais como: It's gonna be alright, I'm the one, Don't let sun catch you crying e finalmente Ferry cross the mersey.

Após deixar o grupo The Pacemakers, Gerry Marsden manteve uma carreira discreta na televisão, estrelando o musical do West End, Charlie Girl ao lado de Derek Nimo e Anna Neagle.

Dos seus sucessos com o grupo, ele é mais lembrado pela música I like it e sua versão de You never walk alone, que foi adotada como hino de vários clubes de futebol na Inglaterra, sendo o Liverpool, o seu clube, o mais notabilizado. Inclusive, em 1989, quando o Liverpool enfrentou o Everton, pela taça da Fifa, ele cantou a música no estádio de Wembley, logo após o desastre de Hillsborough.

Gerry Marsden retornou as paradas de sucesso durante a década de 1980, com regravações de dois de seus antigos sucessos, destinando a arrecadação para fins de caridade. Em 1985, após a tragédia do estádio Bradford Football Club, em que 56 foram mortos, ele formou um grupo chamado "The Crowd", que incluía outros músicos, cantores e disc-jóqueis de radio, para produzir uma nova versão de You are never walk alone.

O álbum desta postagem é um tributo às canções de Lennon & McCartney, da época dos Beatles e da fase solo de cada um. A seleção do disco é composta das seguintes canções:

01. Pipes of peace;
02. Yellow submarine;
03. Fool on the hill;
04. Silly love songs;
05. Yesterday;
06. Woman;
07. Ebony and Ivory;
08. Let it be;
09. The long and winding road;
10. My love;
11. With a little luck;
12. Imagine;
13. It's for you;
14. Love;
15. You've got to hide your love away;
16. (Just like) starting over;
17. Mull of Kintyre;

Bônus:
18. Give peace a chance.






























Links:




quarta-feira, 26 de junho de 2019

ORQUESTRA BRASILEIRA DE ESPETÁCULOS - ALÉM DO HORIZONTE E OUTROS SUCESSOS DE ROBERTO CARLOS (1975)

Ainda comemorando os 8 anos de blog, apresento um álbum que acredito não ter sido ainda compartilhado na internet. Se foi, isso ocorreu há muito tempo atrás.

Trata-se do disco da Orquestra Brasileira de Espetáculos, intitulado "Além do Horizonte e Outros Sucessos de Roberto Carlos", lançado no Brasil, em 1975, pela gravadora CBS. Posteriormente, foi relançado pela mesma gravadora, porém com o selo Veleiro.  

Orquestra Brasileira de Espetáculos - OBE, era composta por músicos do estúdio da gravadora CBS Brasil e se notabilizou por fazer arranjos orquestrais dos principais discos do cantor Roberto Carlos, lançados simultaneamente na década de 1970. Infelizmente em nenhum dos álbuns há referência de quem seriam esses músicos. Em alguns deles há referências dos arranjadores e regentes, entre eles, os irmãos maestros Radamés e Alexandre Gnattali, Renato de Oliveira e Waltel Blanco.

Entretanto o amigo Wander Salgado, em um comentário no nosso blog informou que em uma entrevista do tecladista Lafayette, que era participou de várias gravações em estúdio, no site da Jovem Guarda, declarou que aqueles músicos da Orquestra Brasileira de Espetáculos eram professores e mestres da Orquestra do Teatro Municipal e que ele Lafayette e o grupo Renato & Seus Blue Caps também tocavam juntos com a orquestra 

Para nossa sorte, mesmo com o apelo comercial da gravadora em lançar esses discos, o nível dos músicos aliados com a excelência dos maestros geraram ótimos álbuns, que até hoje são procurados pelos aficionados desse estilo e do cantor Roberto Carlos. 

A seleção do álbum "Além do Horizonte", da Orquestra Brasileira de Espetáculos é o mesmo do disco do cantor e compositor Roberto Carlos, lançado no mesmo ano, pela mesma gravadora. A única diferença está na sequência das músicas que é diferente. A seguir a lista das canções que compõem esse disco:

01. Além do horizonte;
02. Inolvidable;
03. El humahuaqueño;
04. Amanheceu;
05. Desenhos na parede;
06. Olha;
07. Quero que vá tudo pro inferno;
08. Elas por elas;
09. Existe algo errado;
10. Seu corpo;
11. O quintal do vizinho;
12. Mucuripe.


















 ContraCapa (Back Cover) - versão LaPlayaMusic para Cd 





 Selo (Label) - 1ª Edição CBS Lp (1975)





 Selo (Label) - 2ª Edição CBS / Veleiro Lp (1975)





Capa (Front) - Álbum Roberto Carlos CBS Lp (1975)


Links:





terça-feira, 25 de junho de 2019

LOS NATIVOS - LOS NATIVOS (1972)

O álbum desta postagem, provavelmente, é mais um daqueles discos realizados por músicos de estúdio, visando o lado comercial. Tanto na capa e na contracapa do disco não há menção de quem seriam, exceto pela informação do coordenador geral, Ramalho Neto. Em pesquisa na internet, não encontrei nada a respeito.

Assim, resgatando esse trabalho e homenageando as pessoas que o elaborou apresentamos o  álbum instrumental "Los Nativos", lançado no Brasil, em 1972, pela gravadora RCA Victor.

A seleção desse disco é composta por composições brasileiras e internacionais, a seguir listadas:

01. Oração de um jovem triste;
02. the white fox;
03. It's impossible;
04. Nicholas and Alexandra;
05. Dio, come ti amo;
06. Detalhes;
07. Passion love theme;
08. Soley, soley;
09. Foot prints on moon;
10. Estranho triângulo;
11. Sonora;
12. The end.

















Links:





segunda-feira, 24 de junho de 2019

VERA NEGRI - FASCÍNIO (1997)

Nesta postagem, para quem gosta do estilo Country, apresentamos o álbum "Fascínio", da cantora brasileira Vera Negri, que foi lançado no Brasil, em 1997, pela gravadora Paradoxx, cujo destaque é a a produção e arranjos do cantor americano Doug Waine.

O disco foi gravado no período de janeiro a fevereiro de 1997, nos estúdios americanos da Syncro Sound, Quad Studios e New River Studio, todos localizados em Nashiville, Tenesse, USA.

Na seleção das músicas escolhidas para compor o álbum "Fascínio", foram incluídas canções brasileiras consagradas, em ótimas releituras de Vera Negri, tais como Maria Solidária (Beto Guedes), Mesmo de brincadeira (14 Bis) e Todo azul do mar (Flavio Venturini). 

A seguir listamos as músicas do disco:

01. Nasci pra você (Luck in my eyes);
02. Maria solidária;
03. Um certo estranho;
04. Fascínio;
05. Mesmo de brincadeira;
06. Nessas horas;
07. Notícias de você;
08. Tempo sem rumo;
09. Companhia;
10. Coração em greve;
11. Além de nós (Maybe it was Memphis);
12. Todo azul do mar.
 































Links:




domingo, 23 de junho de 2019

MARCUS PITTER - 2em1 - CENAS DE CIÚME (1973) E MARCUS PITTER (1974) REPOST

No finak dos anos 1960, com o enfraquecimento do movimento Jovem Guarda, mas influenciado por ele, surgiu o cantor brasileiro Marcus Pitter (pseudônimo de Pedro Marcílio), nascido no Rio de Janeiro.

Ele surgiu para o grande público em 1969, por meio do seu primeiro álbum "A Voz do Sucesso", lançado pela gravadora Phonogram, com o selo popular Polydor. Desse disco, destacaram-se as canções Pingos de chuva, uma versão de Raindrops keep fallin in my head, composta por Burt Bacharach e lançada pelo cantor americano B.J. Thomas, Você partiu, Eu fiquei assim e O que os olhos não vêem o coração não sente.

Em 1970, emplacou um grande sucesso, A ponte Rio Niterói e a balada Vou voltar, versão de Yellow river, lançada pelo cantor Christie e banda. Nessa mesma década vieram outros sucessos, tais como Por onde o vento faz a curvaEla é casadaSe meu coração falasse e a emblemática Eu queria ser negro (balada de protesto contra o racismo), motivando o cantor a aparecer em diversos programas de auditório na televisão, incluindo com assiduidade o programa do Silvio Santos e do apresentador Chacrinha. 

Já nos anos 1980, com a queda do sucesso, se afastou dos microfones, porém manteve atividades como produtor e compositor no meio musical. Em 1987, retornou com um mix duplo, pela gravadora Continental, com bons arranjos e produção cuidadosa de Jairo Pires. Foram quatro músicas próprias, Feliz com quem quiserÉ pra valerO mundo é uma guerra Meu jeito de ser

Entre os músicos que o acompanhou, com intervenções ajustadas, constavam o bom guitarrista Jaime Alem e o saxofonista Sérgio Cleto. Lamentavelmente, a partir dos anos 1990, seu nome foi caindo no esquecimento da mídia.

Infelizmente há poucas informações disponíveis em livros e internet sobre a carreira do cantor Marcus Pitter. Sabe-se que gravou vários discos pelas gravadoras Copacabana, CBS/EPIC, Phonogram/Polydor  e Continental, destacando-se a série “A Voz Do Sucesso”.

Nesta postagem, resgatamos o cantor e compartilhamos com uma compilação “2 em 1”, preparada pelo blog LaPlayaMusic, contendo os álbuns “Cenas de Ciúme – 1973” e “Marcus Pitter – 1974”, ambos lançados pela gravadora Phonogram, com o selo Polydor, que era destinado para os lançamentos mais populares. 

Em virtude do estado do material do primeiro disco, no que se refere a qualidade do áudio, ressaltamos a limitação em algumas faixas. A seguir seguem a lista das músicas que compõem os dois álbuns:

LP 1 – Cenas de Ciúme (1973):
01. Cenas de ciúme; 
02. Eu queria ser negro; 
03. Quando o sol se esconder; 
04. Playboy fracassado; 
05. Mera ilusão; 
06. Outro mundo; 
07. Coração vagabundo; 
08. Vou tirar o pé da lama; 
09. Ela é casada; 
10. Sai de baixo gente boa; 
11. Chove lá fora; 
12. No dia do seu aniversário; 
13. Eu sou você; 
14. Eu vou pra Barra.

LP 2 – Marcus Pitter (1974):
15. Você precisa de um homem; 
16. Se eu não fosse seu amigo; 
17. Sem destino; 
18. Morreremos amantes; 
19. Preciso esquecer você depressa; 
20. Te amo sim...te amo; 
21. A escola; 
22. Onde o vento faz a curva; 
23. Me dá um dinheiro aí; 
24. Busca; 
25. A lua e a rosa; 
26. Cabecinha no ombro.



































Links:







sexta-feira, 21 de junho de 2019

GIANE - ESTA É GIANE (1964)

A cantora brasileira Georgina Morozini dos Santos, ou melhor Giane, nasceu em Ribeirão Preto e é considerada como uma das precursoras da Jovem Guarda, sendo considerada na época um dos rostos mais bonitos do meio artístico musical.

Iniciou sua carreira em meados da década de 1960, durante o início da Jovem Guarda. O seu grande êxito musical ocorreu em 1964, com a gravação da versão da música francesa Dominique

Outro grande feito foi vencer o Festival de San Remo, realizado na Itália em 1972, interpretando a música Estrada do Sol, samba-canção de Antonio Carlos Jobim e Dolores Duran. Quando se trata de Festival de San Remo, infelizmente, os brasileiros só lembram-se da vitória de Roberto Carlos, em 1968, com a música Canzone per Te.

O álbum que resgatamos nesta postagem se intitula "Esta é Giane - A Voz Doçura", lançado no Brasil, em 1964, pela gravadora Chantecler.

Na sequência a lista com as canções que compõem o disco da postagem:

01. Dominique;
02. Longe de ti;
03. Recorda (Ricorda);
04. Quero;
05. Minha alegria, minha tristeza;
06. Quem sou eu;
07. Saudade, tristeza e ninguén;
08. Não sou ninguém (Uno dei tanti);
09. Saudade que não foi sequer saudade;
10. Mente-me (mienteme);
11. Sem querer;
12. Dois pecadores;
13. Por acaso;
14. Quem me dera (A lonesome heart).















Links:






quarta-feira, 19 de junho de 2019

LYNN ANDERSON - ROSE GARDEN & OTHERS HITS (1971) REPOST

Uma das músicas que me marcou na minha adolescência foi Mar de Rosas, gravada no Brasil pelos The Fevers e que era uma versão de Rose Garden, originalmente gravada pela cantora americana Lynn Anderson. Até hoje quando a ouço me traz boas recordações.

A pedido, reapresentamos a nossa postagem de jul/2012, com o álbum da cantora Lynn Anderson, que traz a canção Rose Garden, lançado no Brasil em 1971, pela gravadora CBS. Como novidade, incluímos outros sucessos da cantora e uma versão da contra capa para o formato cd.

A cantora norte americana Lynn Anderson nasceu em 26/09/1947, em Grand Forks, no Estado de Dakota. Notabilizou-se como cantora no gênero country e obteve grande sucesso na década de 1970, com o sucesso (I Never Promised You A) Rose Garden, ganhando, em 1971, o prêmio Grammy, na categoria “Melhor Performance Vocal Feminino Country”. Foi uma das cantoras country mais bem sucedidas naquela época, sendo eleita por duas vezes a “Cantora do Ano”, pela Country Music Association e sendo a primeira mulher, em 1974, a vencer o American Music Award, na categoria country.

Ela estreou na carreira musical em 1966, com a idade de 19 anos, lançando o álbum “Ride, Ride, Ride”. Após uma série de singles nas paradas do país, em 1970, assinou contrato com a Columbia Records, vindo a gravar o seu maior sucesso da carreira. Ao longo da carreira lançou 29 álbuns de estúdio e 13 compilações de seus sucessos musicais.

A versão do seu grande sucesso, Rose Garden, como normalmente é conhecida no Brasil, recebeu inúmeras gravações e para sua apreciação apresentamos as canções desse disco, incluindo mais 12 canções bônus selecionadas e preparadas pelo Blog LaPlayaMusic. Espero que gostem:

1. Rose Garden; 
2. For the good times; 
3. Another lonely night; 
4. I don’t want to play house; 
5. Snowbird; 
6. Your sweet love lifted me; 
7. Sunday morning coming down; 
8. I still belong to you; 
9. I wish I was a little boy again; 
10. It’s only make believe; 
11. Nothing between us;

Bônus: 
12. Proud Mary;
13. Cry;
14. Top of the world;
15. Close to you; 
16. We've only just begun;
17. You don't have to say you love me;
18. Words;
19. Tell me a lie;
20. Killing me softly with his song;
21. Fairytale;
22. Poor side of town;
23. Feelings.






























Links:







terça-feira, 18 de junho de 2019

SHIRLEY BASSEY - STILL (1998)

Desta vez, apresentamos mais um álbum da ótima cantora inglesa Shirley Bassey. Trata-se do disco intitulado "Still", lançado na Inglaterra, em 1998, pela gravadora MCPS, com o selo Thing. Os destaques ficam por conta da bela fotografia da capa e da versão da música italiana Dio come ti amo, originalmente interpretada por Gigliola Cinquetti.

Em minha modesta opinião, Shirley Bassey, é uma das maiores cantoras mundiais, cujo ápice do seu sucesso ocorreu nos anos 1970, principalmente quando interpretou a música Diamonds are forever, da trilha sonora do filme de James Bond 007, de mesmo título.

A seleção do disco contém 12 canções a seguir listadas:

01. How do you keep the music playing;
02. He was beautiful;
03. The power of love;
04. Still;
05. All I ask of you;
06. I want to know what love is;
07. The wind beneath my winds;
08. Yesterday;
09. That's what friends are for;
10. Sorry seems to be the harvest word;
11. The greatest love of all;
12. Dio come ti amos (Oh god how much I love you).

















Links: