segunda-feira, 6 de julho de 2020

ENA BAGA - HAPPY HAMMOND PLAYS LENNON & MCCARTNEY (1970)

Esta postagem é destinada para os aficcionados dos Beatles e de tributos. Resgato o álbum "Happy Hammond Plays Lennon & McCartney, da pianista e organista inglesa Ena Baga, lançado na Inglaterra, em 1970, pela Hallmark Records.

Ena Baga era instrumentista de teatro. Ficou muito conhecida por improvisar acompanhamentos para filmes mudos, na década de 1920, quanto durante o renascimentos do interesse em filmes mudos que iniciou na década de 1970.

Ela nasceu no dia 05 de janeiro de 1906, em Clerkenwell, na cidade de Londres, Reino Unido e faleceu no dia 15 de julho de 2004, em Londres.

A seleção das canções de Lennon & McCartney desse disco é composta das seguintes canções, instrumentalizadas no famoso órgão Hammond:

01. Ob-la-di, ob-la-dá;
02. With a little help from my friends;
03. Here, there and everywhere;
04. Can't buy me love;
05. World without love;
06. From me to you;
07. Hey Jude;
08. A hard day's nigh;
09. Eleanor rigby;
10. Michelle;
11. Yesterday.






























===============================================================

LINK ATUALIZADO (Click Here)



sábado, 4 de julho de 2020

MARK DAVIS (FABIO JR) - I WANT TO BE FREE AGAIN (1975)

Quem não se lembra da fase no Brasil de cantores cantando em inglês. Naquela época,não existia os recursos de comunicação que existem atualmente, como a internet e Whatsapp. Sendo assim, muitas pessoas pensavam que alguns desses cantores fossem realmente de outros países.

Cantores como Terry Winter, Mark Davis (Fávio Jr), Morris Albert), Michael Sullivan, Patrick Dimon, Steve Maclean (Hélio E. Costa Manso), Dave Mclean, Paul Denver, Pete Dunaway, Tony Stevens (Jessé), Chystian (do Cristian & Ralf), Pholhas, Menphis, Sunday, Tony Valdez, Dave. Robinson, Don Elliot (Ralf do Cristian & Ralf), The Playings, The Mystics, Napoleon, Light Reflections, Richard Young (Ricardo Feghali do Roupa Nova), Manchester, Lee Jackson, Edward Cliff (Jean Carlo), Glenn Michael, Julian Grey, entre outros. 

Nesta postagem, apresento o único álbum em inglês do cantor Mark Davis, que na verdade era Fábio Júnior (Fábio Correa Ayrosa Galvão), lançado no Brasil, em 1975, pela gravadora Phonogran, pelo selo MGM.
  
O cantor, compositor, multi-instrumentista e ator Fábio Jr. nasceu na cidade de São Paulo, em 21 de novembro de 1953). Nos anos 1960, junto com seus irmãos formou um conjunto que tocava no programa Mini-Guarda na TV Bandeirantes, no auge da Jovem Guarda, o nome do grupo era Os Namorados, depois passou a se chamar Bossa 4 e finalmente Arco-Íris. Chegaram a se apresentar  como calouros no programa do Chacrinha.

Ainda na Rede Bandeirantes, aos 13 anos passou a fazer teleteatro ao lado de Cacilda Becker e na TV Cultura, atuou no episódio “Um pássaro em meu ombro”, ao lado de Etty Frazer e Paulo Autran. 

Em 1971 já em carreira solo gravou canções em inglês (como vocalista do grupo Uncle Jack, de Pete Dunaway e pseudônimo de Mark Davis), sendo que como Mark Davis obteve sucesso com o hit Don't let me cry, que tocou em trilha de novela "Barba Azul", da TV Tupi.

Adotou o pseudônimo de Fábio Júnior para não ser confundido com o ator Flávio Galvão e começou a apresentar o programa Hallelluyah! na extinta TV Tupi ao lado do cantor Sílvio Brito. 

A televisão foi um meio fundamental para a carreira de Fábio Jr. Gravou seu primeiro disco compacto como Fábio Júnior em 1975 e em 1976 foi convidado para participar da novela "Despedida de Casado" na Rede Globo de Televisão, tendo a mesma censurada, mas o elenco foi aproveitado para novela Nina em 1977 na mesma emissora. 

No episódio "Toma que o Filho é Teu" do seriado "Ciranda Cirandinha" em 1978 cantou sua composição Pai e Janete Clair escolheu a canção como tema de abertura de sua nova novela, intitulada "Pai Herói". Em 1979 atuou no filme "Bye Bye Brasil", de Cacá Diegues.

Seu primeiro álbum Long Playing - LP, como Fábio Jr. foi lançado em 1979, mas ele não abandonou a carreira de ator, trabalhando nas novelas "Cabocla", em 1979, "Água Viva", em 1980, "O Amor é Nosso" em 1981 e "Louco Amor", em 1983, todas na Rede Globo de Televisão. 

Em 1983 gravou seu primeiro especial para a TV, denominado "Nunca Deixe de Sonhar" e passou a se dedicar somente à carreira de cantor, cuja tradição em baladas românticas já lhe haviam dado o epíteto de sucessor do cantor Roberto Carlos. 

Em 1985 voltou à televisão com a novela "Roque Santeiro" e trocou de gravadora, da Som Livre pela CBS. Na nova gravadora, passou a dedicar-se à sua carreira em espanhol, que culminou em 1987, ao ganhar o prêmio Antorcha de Plata (Tocha de Prata), no festival chileno de Viña del Mar. 

Nesse mesmo ano gravou a canção Sem limites pra sonhar, em dueto com a cantora britânica Bonnie Tyler, onde ele cantava em português e ela em inglês).

O álbum "I Want To Be Free Again", apresentado nesta postagem, é composta por uma seleção de 10 faixas. Para complementar, incluímos mais 4 músicas bônus, sendo duas do tempo de vocalista do Uncle Jack e uma apresentação no programa "Fantástico", da Tv Globo, em 1977:

01. I Need You Forever
02. Rain And Memories
03. Don't Let Me Cry
04. Aria For The Lovers
05. It's Time For Us
06. Take It Easy
07. Open The Window
08. I Want To Be Free Again
09. Lady
10. Please Girl Don't Say Goodbye

Bônus:
11. You Must Remember;
12. In My Song (Com o Uncle Jack) 1973;
13. My baby (Com o Uncle Jack) 1973
14. It's time for us (Apresentação no programa "Fantástico" - TV Globo) 1977.


































Mark Davis (Fábio Jr.)


Links:





sexta-feira, 3 de julho de 2020

KRAFTWERK - THE ROBOTS (1979)

Confesso que a música eletrônica não é o meu forte, em termos de gosto musical. Mas, em tudo há exceções. Neste caso, as exceções é o grupo alemão Kraftwerk e Wendy Carlos (antigo Walter Carlos).

Assim, nesta postagem apresento um disco compacto duplo, que aprecio muito, intitulado "The Robots". Ele foi extraído do álbum "Man Machine", de 1978. Esse compacto foi lançado no Brasil, em 1979, pela Capitol Records, que no Brasil era a EMI Odeon.  

Comentando um  pouco sobre o Kraftwerk: em junho de 1967, os alemães Ralf Hutter e e Florian Schneider Esleben começam a tocar juntos no Quinteto Organization. No ano seguinte criam o Kraftwerk, ao lado de Klaus Dinger e Andreas Hohmann, executando programações eletrônicas, além de tocar vários instrumentos acústicos. 

Essa formação foi responsável pelos dois primeiros álbuns LPs "Kraftwerk 1" e "Kraftwerk 2". Esse grupo foi responsável pela nova forma de tocar música eletrônica e responsável por influenciar gerações posteriores de artistas e grupos de música eletrônica pop.

Em 1973, já sem Dinger e Hohmann, com a incorporação de dois novos integrantes, Wolfgang Flur e Klaus Roeder gravam os discos "Ralf e Florian" e "Autoban" que foi o primeiro grande sucesso do Kraftwerk, no mercado norte americano. 

Em 1975, com Karl Bartos no lugar de Klaus Roeder lançam o "RadioActivy". Dois anos depois foi a vez de "Trans-Europe", com o hit Hall of mirrors. Com o disco de 1978, "The Man Machine" obtiveram a primeira colocação nas paradas inglesas com a música The model

Posteriormente, lançaram mais dois álbuns mais significativos denominados "Computer World (1981)" e "Techno Pop (1986)". A seguir as canções do compacto duplo "The Robots":

Lado A:
1. The Robots; 
2. Spacelab;

Lado A:
4. The Model; 
5. Neon Lights; 























Links: 




quarta-feira, 1 de julho de 2020

DAVE GORDON - LATINO (1969)

Para iniciar o mês, apresento o raro álbum intitulado "Latino", do cantor Dave Gordon, ou King Dave como também era conhecido. Esse disco foi lançado no Brasil em 1969, pela gravadora Continental. 

Apesar de fazer sua carreira artística no Brasil, Dave Gordon (Neville Gordon), nasceu na Guiana Britânica, no dia 13 de agosto de 1932 e faleceu no dia 26 de dezembro de 2016. 

Seus primeiros estudos musicais foi na Freeburg Church, da England School, em Georgetown, Guiana Britânica e com apenas 10 anos de idade participou do Coral da Igreja Anglicana local.  Já aos 19 anos ganhou um concurso de calouros, recebendo uma medalha de ouro e um contrato de um ano com a Radio de Georgetown, além de viajar pelo Caribe, recebendo o título de Mr. Caribe, como o melhor cantor do Caribe.

Em 1958, Dave Gordon formou o grupo "The Four Lords", composto por Cy Manifold (27/Abril/1929 - 23/Dezembro/2008), Billy Moore e Johnny Bradford, partindo de Georgetown para o Brasil, em excursão realizando apresentações nas cidades de Boa Vista, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo.

No Rio de Janeiro, abriram o show de Sarah Vaughn, na boite Fred', em Copacabana. Em São Paulo se apresentaram na TV Record e restaurante Fasano. Ao retornarem ao Rio de Janeiro cantaram no Plaza, antes que cada membro seguisse seu próprio caminho.

Como cantor solo, Dave Gordon viajou pela América Latina, acompanhado por músicos brasileiros, tais como: Luiz Chaves, Sabá, Rubinho, Edson Machado e Fred Feld , um pianista americano radicado no Brasil. A partir daí, Dave Gordon radicou no Brasil, estando nos Estados Unidos por um período de seis meses.

No Brasil, ele casou-se com Denise Duran, irmã da famosa cantora brasileira Dolores Duran e tiveram um casal de filhos Izzy e Tony Gordon, ambos artistas cantores talentosos. Tanto Dave Gordon quanto a esposa Denise cantaram na boite Djalma's, de Djalma Ferreira, sendo que Dave era acompanhado de Sabá (baixo), Milton (bateria) e Fred Feld ao piano, ao passo que ela era acompanhada por Luiz Melo ao piano. Ambos excursionaram pelo Chile, em 1961.

Fonte: http://brazil-1970s.blogspot.com Julho/2020

O material desta postagem foi obtida do blog Toque Musical, do Augusto, que agradeço imensamente e posteriormente foram realizadas algumas melhorias no áudio e no material gráfico

A seleção do álbum "Latino" é composta das seguintes canções:

01. Vered tropical;

02. El reloj;

03. Alguien cantó;

04. Que murmuren;

05. Llorarás;

06. Tudo passará;

07 Sentado a vera del camino;

08. Pecadora;

09. Quiereme mucho;

10. Como fué;

11. Jurame;

12. Day after day.










Links:

DAVE GORDON - LATINO


CONTINENTAL - BRASIL 1969


segunda-feira, 29 de junho de 2020

FRANCK POURCEL - NOSTALGIA MOOD (1983)

O álbum desta postagem já foi apresentado na rede em vários blogs. Infelizmente, alguns não estão mais disponibilizando os links de acesso. Assim, atendendo ao pedido de um amigo do blog, incluímos o ótimo álbum "Nostalgia Mood", da Orquestra de Franck Pourcel.

O disco foi lançado em 1983, pela gravadora EMI, pelo selo Pathé Marconi. Gosto da seleção desse disco, mas destaco a canção September in the rain, que aprecio muito, independente das versões elaboradas.

A seleção do álbum instrumental editado no Japão é composta de canções clássicas, que vale a pena ouvir:

01 - Cry me A river 
02 - Putting on the Ritz 
03 - Flamingo 
04 - Tweedle dee 
05 - Fascination 
06 - Mona Lisa 
07 - All of me 
08 - Answer me my Love 
09 - In a nostalgia mood 
10 - I'm getting sentimental over you 
11 - I Love You 
12 - September in the rain 
13 - Unforgettable 




































Franck Pourcel


Links:





domingo, 28 de junho de 2020

ORQUESTRA ROMÂNTICOS DE CUBA - QUIEREME MUCHO (1959) REPOST

Atendendo a pedidos, reapresentamos o álbum "Quiereme Mucho", da Orquestra Românticos de Cuba, que postamos anteriormente em 03/agosto/2012.

A primeira edição desse disco foi lançado no Brasil em 1959, pela gravadora Musidisc, tendo como produtor Nilo Sérgio e posteriormente relançado pela mesma gravadora e pela RCA, cujas capas estão ilustradas na postagem.

A seguir apresentamos a lista das faixas que compõem a seleção do disco de 1959 e mais três faixas bônus que foram incluídas na edição no formato Compact Disc - CD, nos anos 1990:

1. Fascination / Ecstasy; 
2. Amapola / Siete notas de amor; 
3. Maria Elena / Indica; 
4. Suas mãos / Eu não existo sem você; 
5. Esperame en el cielo / Tu me acostumbraste; 
6. Se alguem telefonar / Castigo; 
7. Siboney / Desesperadamente; 
8. Aquellos ojos verdes / Noche de ronda; 
9. Cuando tu me quieras / Regalo de viaje; 
10. Till / Love letters; 
11. Balada triste / Ontem e hoje; 
12. Quiereme mucho / Vereda tropical

Bônus
13. Trio en el alma / Hipocrita; 
14. Abrazame asi / Inultimente; 
15. Sinceridad / Amado mio.





 Capa (Front) - 1ª Edição Musidisc - Brasil 1959






 Contra Capa (Back Cover) - 1ª Edição Musidisc - Brasil 1959






 Contra Capa (Back Cover) - Edição CD Musidisc - Brasil 1994






 Selo (Label) - 1ª Edição Musidisc - Brasil 1959







 Capa (Front) - Edição Musidisc - Brasil 1983






 Contra Capa (Back Cover) - Edição RCA - Brasil 1983






Capa (Front) - Edição CD - Brasil 1994


Links:




sábado, 27 de junho de 2020

ORQUESTRA SOM BATEAU - ATACA PARA OS NAMORADOS - VOLUME 2 (1981)

Hoje apresento mais um volume da Orquestra Som Bateau, com o álbum "Orquestra Som Bateau Ataca Para os Namorados - Vol. II". O álbum foi lançado no Brasil, em 1975, pela gravadora Polygram, pelo selo popular Polyfar.

Como já mencionei em postagens anteriores, na década de 1970 era comum as gravadoras criarem grupos de estúdio, que cantavam covers de sucessos, com o objetivo estritamente comercial. 

No caso do disco da postagem, sua formação variava de álbum para álbum, mas apesar de anônimos, sempre contavam com artistas famosos, alguns de outras gravadoras e justamente por isso não se identificavam. Cada novo disco havia novos artistas, novos arranjos e ideias diferentes. Para se ter uma ideia, passaram por essas gravações, nomes do tipo: Trio Esperança, Hildon, Azimuth, The Fevers, Gerson Combo,  The Golden Boys, entre outros.

A compilação que era um mix de músicas de diversas épocas e estilos continha as seguintes canções:

01. Fool / Love me tender / The impossible dream;
02. It's impossible / Ruby;
03. You've got a friend / Killing me softly with his song;
04. The great pretender / For once my life;
05. Just the way you are;
06. And I love you so / It's too late;
07. Alfie / people;
08. I just wanna stop / That's the way of the world;
09. The masquerade.













Contracapa (Back Cover) - Versão Original






Contracapa (Back Cover) - Versão LaplayaMusic





sexta-feira, 26 de junho de 2020

THE MODERN TROPICAL QUINTET - THE MODERN TROPICAL QUINTET (1966)

Hoje reapresento um raro álbum que postei em 25/novembro/2011, justamente no ano de criação do blog. Trata-se do disco do grupo The Modern Tropical Quintet, lançado no Brasil, em 1966, pela gravadora RCA Victor.

O excelente The Modern Tropical Quintet foi um grupo vocal instrumental composto por quatro brasileiros e uma holandesa, que foi formado em Copenhagen, Dinamarca, no final dos anos 1950. 

Sua formação era composta por Plínio Metropoulos (piano), Wilson Ribeiro (guitarra), Edgar Teixeira (bateria), Waldemar Ribeiro (contrabaixo) e a holandesa Sara (vocalista). 

O repertório musical do grupo mesclava vários estilos, que iam do Jazz moderno, Bossa nova, música latina e outros estilos da época.

A banda fez poucos shows no Brasil, sendo mais consagrado nos palcos da Europa. Lá se apresentou em locais consagrados para a época, tais como: Castellana Hilton (Madrid), Gran Casino (Bélgica), Miller's Jazz Club (Holanda), Kaiser Keller (Alemanha) e Grand Hotel (Suiça), entre outros locais. 

Das poucas apresentações no Brasil destacam-se os shows em bailes e formaturas e a sua participação como banda de apoio do cantor e compositor Sérgio Ricardo, no maior festival da música da Record.

A seguir as canções que fazem parte do repertório desse álbum de 1966: 

01. Midnight in Moscow; 
02. Sabor a mi; 
03. Daar big die moolen; 
04.Don't dream of anybody but me; 
05. Suavecito; 
06. Fascinating rhythm; 
07. Samba colorido; 
08. Luna caprese;  
09. All my loving; 
10. Baubles bangles and beads; 
11. I Love Paris; 
12. Hello Dolly;

























The Modern Tropical Quintet

Links: