2019

2019

domingo, 13 de outubro de 2019

IN A ROMANTIC MOOD - VARIOUS ORCHESTRAS (1975)

Há tempos atrás, tive acesso ao álbum de compilação de músicas instrumentais orquestradas e muito o apreciei, principalmente a versão diferente da Sinfonia nº 40, de Mozart, interpretada por The Cascading Strings, que eu desconhecia a sua existência.  

Trata-se do disco "In a Romantic Mood", lançado na Holanda, em 1975, pela gravadora Philips.

A seguir a lista das músicas que compõem o disco:

1- Nostalgia (Francis Goya)
2- Love theme Spartacus (The Norman Newell Orchestra)
3- Barcarolle (The Cascading Strings)
4- Meditation (The Cascading Strings)
5- Jeux interdites (Paul Mauriat Orchestra)
6- Mozart 40th (The Cascading Strings)
7- Sleepy shores (The Norman Newell Orchestra)
8- Traumerei (The Cascading Strings)
9- Ave Maria (The Cascading Strings)
10- A walk in the black forest (Horst Jankowski)
11- Elisabeth serenade (Der Starlet Chor)
12- Tosselli serenade (Horst Jankowski)



















Links:




CLAUDIO FONTANA - SÉRIE COLAGEM (1972)

O cantor e compositor brasileiro, Cláudio Fontana, nasceu na cidade de São Luís, no Maranhão, no dia 14 de junho de 1945. Fez sucesso na década de 1960, principalmente com a canção Adeus ingrata, lançada pela gravadora Copacabana Discos.

Começou a carreira artística participando de programas infantis e ganhando concursos de canto. Apresentou, ao lado de Leonor Filho, o programa "Bar de melodias", exibido entre 1963 e 1964, pela TV Difusora do estado do Maranhão, cantando bossa nova.

No Rio de Janeiro, conheceu e mostrou seu trabalho para pessoas como Carlos Imperial, Wilton Franco, então produtor da TV Excelsior, e Osmar Navarro, então produtor da gravadora Phillips, entre outros.

Em 1967, ao apresentar-se no programa "Festa do Bolinha", comandado por Jair de Taumaturgo, na TV Rio, foi ouvido pelo empresário Genival Melo, que gostou da composição Doce de coco, e a levou para ser gravada pelo cantor Wanderley Cardoso, então em grande sucesso. Essa composição foi lançada em compacto duplo por Wanderley Cardoso e logo se tornou um sucesso nacional. O sucesso de "Doce de coco" foi tão grande que permaneceu longo tempo como epíteto de apresentação do cantor Wanderley Cardoso.

Em 1968, teve as composições Aliança de brinquedo e Pequenina lágrima, parcerias com Wanderley Cardoso, gravadas por este último em álbum Lp, pela Copacabana Discos.

No mesmo ano, mudou-se para São Paulo, onde gravou seus dois primeiros discos pela Gravadora Copacabana Discos. Foram dois compactos simples com as músicas Alegria da volta; Ninguém me fará desistir de gostar de você e A chave, com Wanderley Cardoso, e A irmã da minha namorada, de sua autoria.

Sua carreira consolidou-se de vez quando começou a participar do quadro "Os galãs cantam e dançam", dentro do programa Sílvio Santos, na TV Globo, do qual participavam nomes como Paulo Sérgio, Antonio Marcos, Wanderley Cardoso, Tony Angely, Ary Sanchez, Djalma Lúcio, Jerry Adriani, Arturzinho e Paulo Henrique, entre outros.

Em 1969, Antônio Marcos gravou Vieram me dizer, em seu primeiro álbum Lp, pela gravadora RCA. No mesmo ano, fez grande sucesso com a balada Adeus ingrata, de Geraldo Nunes, que ficaria marcada como grande sucesso popular, em disco que incluiu ainda as músicas Ninguém me fará desistir de gostar de você, em co-autoria de Wanderley Cardoso, e A irmã da minha namorada e Esta noite vou fazer o que eu quiser, de sua autoria.

O compacto duplo com Adeus ingrata vendeu, na época mais de 100 mil cópias e lhe valeu o "Troféu Viola". Vale lembrar que essa vendagem era muito expressiva para a época. Ainda por conta do sucesso de Adeus ingrata, recebeu no Programa do Chacrinha, em dois programas, a 14 de maio no Rio de Janeiro, e em 15 de maio em São Paulo, o diploma de "Ídolo da Juventude". Ainda em 1969, gravou seu primeiro álbum Lp, que contou com o acompanhamento do grupo Os Impossíveis.

Em 1970, compôs Homem de Nazaré, que se tornaria grande sucesso, em 1973, na voz de Antônio Marcos. Nesse mesmo ano, Antônio Marcos gravou Sozinho, em álbum Lp lançado pela gravadora RCA e Minha amiga, minha namorada, parceria com Antônio Marcos.

Em 1972, sua música Mi amor es más joven que yo foi gravada pelo cantor espanhol Julio Iglesias, e tornou-se sucesso internacional.

Nas décadas de 1970 e 1980 fez sucesso como compositor além de participar de Festivais Internacionais. Em 1973, participou do Festival Internacional de La Cancion, de Piriápolis, no Uruguai com a composição Se Jesus fosse um homem de cor, defendida pelo cantor Tony Tornado. No mesmo ano, lançou álbum Lp pela Copacabana Discos, com seu nome como título.

Em 1974, atingiu a primeira posição nas paradas de sucesso latino-americanas, com a musica de sua autoria Feliz Cumpleãnos, Querida Mia, gravada por Nelson Ned e Claudio Roberto.

Em 1975, voltou a participar do Festival Internacional de La Cancion, de Piriápolis, no Uruguai obtendo o quarto lugar com a composição Amor pela primeira vez, com Antonio Marcos, defendida pelo cantor Claudio Roberto. Com o declínio do movimento da Jovem Guarda, começou a compor músicas para artistas sertanejos. No mesmo ano, lançou o álbum Lp pela gravadora Copacabana Discos.

Em 1976, obteve o primeiro lugar no XI Festival Internacional de La Cancion Costa a Costa, com a música Vamos caminhar juntos, defendido pela cantora Sonia Maia. Nesse mesmo ano, a cantora Carmen Silva apresentou sua composição Que seas feliz, no I Festival da Canção do Panamá, obtendo o terceiro lugar.

Em 1981, lançou, pela gravadora Copacabana Discos, o álbum Lp "Parabéns, Parabéns Querida" e o livro "São Luis: Ilha do amor". Em 1982, lançou, pela West Side Latino Records, um álbum Lp em espanhol.

Em 1984, Antônio Marcos gravou "Romântico", no álbum Lp "O sonho não acabou", lançado pela gravadora RCA. Em 1988 a dupla Lourenço e Lourival gravou a canção Separados.

Nos anos 1990, foi líder do Grupo Chocolate ao lado da esposa Malu e dos dois filhos, apresentando-se em programas de televisão. Entre 1997 e 2001, apresentou um programa especial na Rede Vida de Televisão.

Em 2000, lançou o álbum no formato CD que incluía diversas composições próprias, inclusive O homem de Nazaré, que somou 42 regravações, por diversos artistas, não só em português, como também em inglês, francês e espanhol.

Em 2007, foi atração especial no programa de Nerivan Silva, na Rede TV. Na ocasião, contou um pouco de sua trajetória e interpretou Adeus ingrata e O homem de Nazaré. Ao longo da carreira, teve músicas gravadas por outros nomes, como Antonio Marcos, Agnaldo Timóteo, Jair Rodrigues, Altemar Dutra, Originais do Samba, Eliana, João Mineiro e Marciano, Cascatinha e Inhana, Irmãs Galvão, Lourenço e Lourival, As Mineirinhas, Grupo Karametade, Mococa e Paraíso, Raimundo José, e Fat Family.

Em 2012, apresentou-se no Programa do Gugu, na TV Record. Em 2013, apresentou-se cantando durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. Em 2014, apresentou na Rádio 9 de Julho, de São Paulo, o programa "Devoto de Frei Galvão".

O material desta postagem, apesar de já ter sido postado por outros blogs, melhoramos significativamente a qualidade do áudio, em comparação com o material postado anteriormente pelos outros blogs. 

Assim, resgatamos o álbum "Série Colagem", lançado em 1972, pela gravadora Copacabana Discos, pelo selo Beverly. O disco contém os principais sucessos de Cláudio Fontana, até 1972. Para completar, o blog LaPlayaMusic incluiu, como bônus, mais 4 canções da mesma época, a seguir listadas:

01. Adeus ingrata;
02. Menina de trança;
03. Não toco mais minha guitarra;
04. Os passos errados da minha vida;
05. Estou amando uma garota de cor;
06. Meus ídolos;
07. De quem será;
08. Eu não lhe telefono mais;
09. Tchau amore;
10. Ninguém me fará desistir de gostar de você;

Bônus:
11. Aniversário de meu bem;
12. Diga tudo o que você quiser;
13. Eu penso sempre em você;
14. Fim de baile.
































Links:




RAY CONNIFF - THE WAY WE WERE (1974) REPOST

Nesta postagem, reapresentamos o álbum "The Way We Were", da Orquestra de Ray Conniff, lançado no Brasil, em 1974, pela gravadora CBS. Originalmente foi lançado no mesmo ano, nos Estados Unidos, pela gravadora Columbia.

Dessa fase, é um dos meus discos preferidos. Destaca-se pela ótima seleção de músicas que faziam sucesso nas paradas radiofônicas daquele período, principalmente pela música título do disco. 

Da nossa postagem original, de julho de 2012, incluímos mais cinco canções bônus, extraídas daquele mesmo período. Espero que gostem e também comentem as nossas postagens, pois esse feedback é importante para nos motivar. 

As canções que compõem o disco e bônus são as seguintes:

1. The most beautiful girl; 
2. Loves me like a rock; 
3. Leave me alone; 
4. Paper roses; 
5. Goodbye yellow brick road; 
6. Who's in the strawberrry patch with Sally; 
7. The way we were; 
8. Photograph; 
9. Beyond tomorrow; 
10. Top of the world; 
11. Medley: Dear father / Be

Bônus:
12. Clair;
13. If don't know me by now;
14. Sleepy shores;
15. Harmony;
16. How can I tell her.







 Capa (Front) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição Brasil - CBS 1974






  Contra Capa (Back Cover) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição USA - Columbia 1974






Selo (Label) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição Brasil - CBS 1974






 Contra Capa (Back Cover) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição LaPlayaMusic







 Selo (Label) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição USA - Columbia Quadraphonic 1974






  Selo (Label) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição USA - Columbia 1974






  Selo (Label) - Ray Conniff - The Way We Were - Edição Holland - CBS 1974






  Selo (Label) - Ray Conniff - EP - Edição Germany - CBS 1974












Links:





sábado, 12 de outubro de 2019

BILLY VAUGHN - LOOK FOR A STAR (1960 BRASIL)

Dando sequencia ao meu momento para música orquestral e instrumental, resgato o raro álbum "Look For a Star", da Orquestra de Billy Vaughn, lançado no Brasil, em 1960, pela gravadora RGE, pelo selo Dot. 

O que chama atenção é que a capa que foi lançada no Brasil é totalmente diferente da capa original lançada nos Estados Unidos. Eu gostei do design do selo do disco.

Considero um belo álbum, mostrando a qualidade de Billy Vaughn, que foi sucesso nas décadas de 1960 e 1970.  A seleção do disco é composta das seguintes músicas:

01. Look for a star (do filme "O Circo dos Horrores");
02. Snowfall;
03. Monalisa;
04. Paper roses;
05. Greenfields;
06. Beyound the sunset;
07. Because they're young;
08. He'll have to go;
09. The apartment (do filme "Se meu apartamento falasse");
10. La montana;
11. Just a closer walk with thee;
12. Marta.





 Capa (Front) - Edição Brasil 1960





Contra Capa (Back Cover) - Edição Brasil 1960






Selo (Label) - Edição Brasil 1960






 Capa (Front) - Edição USA 1960






Contra Capa (Back Cover) - Edição Brasil 1960







Links:





terça-feira, 8 de outubro de 2019

SERGIO ENDRIGO - I PIU' GRANDI SUCCESSI DI (1969) REPOST

É sabido sobre a força da música italiana romântica, principalmente aquelas lançadas nas décadas de 1960 e 1970. Aprecio muito a musica italiana daquela época, pois me traz boas recordações.

Da minha lista de preferências, entre diversos cantores e cantoras daquele tempo, tenho uma admiração especial pelas composições românticas e proposta simples de cantar do italiano Sérgio Endrigo.

Para todos que não conhecem o cantor e compositor italiano Sérgio Endrigo, ele nasceu em 15/06/1933, na cidade de Pula, Istria, atual Croácia e morreu em 07/09/2005. Sua trajetória começa com a perda precoce do pai, que era um cantor de pouco destaque de ópera. Com dificuldades da época, foi trabalhar como guia de cinema (lanterninha), office boy, agente de censo, carregador de malas em hotel e em outras atividades mais simples para poder ter condições de sobreviver.

O contato com a música surgiu em um concurso de calouros realizado no Teatro Malibram, onde acabou sendo contratado como cantor lírico no Lido, localizado na cidade de Veneza. A partir desse momento, ele inicia o seu estilo romântico.

Contratado pela sucursal italiana da gravadora RCA, gravou seus primeiros discos com o selo Camden e fez parte do grupo de interpretes populares italianos que estavam em moda na época, tais como Domenico Modugno, Gigliola Cinquetti, Bobby Solo, Nico Fidenco, Pepino Di Capri, Rita Pavone, entre outros. Esse sucesso se estendeu para outros países, principalmente no Brasil, onde manteve contato próximo, gravando composições de artistas brasileiros, tais como Chico Buarque, Toquinho e Vinícius de Morais.

Essa proximidade possibilitou, em 1968, oferecer a canção Canzone Per Te para o cantor Roberto Carlos interpretá-la no Festival de San Remo, um dos mais importantes festivais do mundo, onde obteve o primeiro lugar.

Apesar de ser famoso e para um músico que vendeu, até 1969, mais de 1 milhão de cópias de discos, um verdadeiro recorde para a época, Sérgio Endrigo estava artisticamente em decadência em seus últimos anos de vida. Entre seus projetos estava tentando escrever a sua autobiografia, mas não teve tempo de concluí-lo, devido ao câncer no pulmão, que acabou interrompendo a sua trajetória artística.

Como fã desse cantor, acredito que independente do momento da sua carreira nos últimos anos, Sérgio Endrigo deixou registrado canções maravilhosas que o eternizam, tais como, Canzone Per TeTi Amo, Io Che Amo Solo TeAnnaMariaTeresaIo e La Mia Chitarra e A Casa

Nesta postagem, para homenagear esse grande cantor e compositor italiano, compartilhamos o álbum “I Piu’ Grandi Sucessi Di”, lançado no Brasil em 1969, pela gravadora RCA Victor. 

Além das 12 faixas originais do LP Vinyl, o blog acrescentou mais 12 canções, incluindo a belíssima Canzone Per Te, composição que ganhou o Festival de San Remo 1968, com interpretação de Roberto Carlos.

As músicas que compõem o álbum, incluindo os bônus são as seguintes:

01. Io che amo solo te; 
02. Se le cose stanno cosi; 
03. Basta cosi; 
04. Oggi e domenica per noi; 
05. Era d'estare; 
06. Ave Maria; 
07. AnnaMaria; 
08. Ti Amo; 
09. La rosa bianca; 
10. Ora che sai; 
11. Canta pierrot; 
12. Aria di neve;

Bônus

13. Chiedi al tuo cuore; 
14. Mani bucate; 
15. Come stasera mai; 
16. La donna del sud; 
17. La ballata dell'ex; 
18. Girotondo intorno al mondo; 
19. Teresa; 
20. Dimmi la verita´; 
21. Adesso si; 
22. Io e la mia chitarra; 
23. Questo amore per sempre; 
24. Canzone Per Te.

























 Sergio Endrigo - Sucessos







 Sergio Endrigo






Sergio Endrigo & Roberto Carlos - Festival de San Remo 1968

Links:







segunda-feira, 7 de outubro de 2019

ORQUESTRA SOM BATEAU - NOSTALGIA - VOLUME 2 (1977 / 1978)

Nesta postagem, resgatamos um álbum lançado pela Orquestra Som Bateau, intitulado "Nostalgia - Volume 2", editado no Brasil, em 1977, pela gravadora Phonogram, pelo selo Polyfar e em 1978 pelo selo Polydor, que eram os selos utilizados pela gravadora para lançamento de discos de estilos mais populares e comerciais. Por exemplo, os discos da MPB, dessa mesma gravadora eram lançados pelo selo Philips.

Na década de 1970 era comum as gravadoras criarem grupos de estúdio, que cantavam releituras (covers) de sucessos, com o objetivo estritamente comercial. Muitos dessas gravações foram realizadas nos intervalos de uma gravação de um disco mais importante ou em horários de espera. 


A formação desses grupos de estúdio variavam de álbum para álbum, mas apesar de anônimos, sempre contavam com artistas famosos, alguns de outras gravadoras e justamente por isso não se identificavam. 

Para cada novo disco, havia novos artistas nos vocais, nos instrumentos, novos arranjos e ideias diferentes. Para se ter uma ideia, passaram por essas gravações, nomes como o Trio Esperança, Azimuth, Hildon, The Fevers, Marcus Pitter, Gerson Combo, entre outros

A seleção deste álbum é uma compilação no formato medley (mix) de músicas de diversas épocas e estilos, predominando músicas de estilo bolero no lado A do disco e de outros estilos no lado B.

O disco é composto das seguintes canções:

01. Contigo / Siete notas de amor / Amor;
02. Ceresier rose et pommer blanc / Patricia;
03. História de un amor / Jurame / Vaya con dios;
04. Mambo nº 8 / Al compas del mambo;
05. Tu me acostumbraste / Si me comprendieras / La ultima noche;
06. Misty / It's not for me to say / The end;
07. Pennsylvania 6.5000 / In the mood;
08. Laura / An affair to remember / Love is a many spelendored thing;
09. Dio come ti amo / Quando m'innamoro;
10. Ho capito che ti amo / Io che amo solo te / Tereza;






https://laplayamusic.blogspot.com




















Links:







domingo, 6 de outubro de 2019

LOVE AND PEACE - VARIOUS ARTISTS (1972)

O lançamento deste álbum na época não tinha grandes pretensões. A intenção da gravadora era exclusivamente comercial. 
Como era de praxe na época, gravadoras que não detinham os direitos das canções que estavam bombando nas rádios, procuravam criar cópias (covers), utilizando nomes semelhantes aos originais, visando confundir o consumidor ouvinte e pegando-os pelo preço menor daquele disco que continha esses covers.

O caso do disco desta postagem, por exemplo criou o Guilbertte Sulivan, na canção No matter how I try, composição de Gilbert O' Sullivan. Outra cópia utilizando a canção (Is this the way to) Amarillo, original de Tony Christie, com o Anthony Christian, entre outras.

Acredito que vale mais pela curiosidade e esforço desses intérpretes em fazer o seu melhor para se aproximar as versões originais. Também não podemos tirar o mérito desses artistas, que estavam tentando ganhar a vida com esse recurso.

O álbum "Love And Peace" foi lançado no Brasil, em 1971, pela gravadora Beverly, pelo selo Flag e continha as seguintes canções:

01. Jeepster (The Rex);
02. (Is this the way to) Amarillo (Anthony Christian);
03. Summer holiday (Terry Winter);
04. Loop di love (Sidney Harrison);
05. Theme from Shaft (The I. Hayes Group);
06. Soley, soley (Hum-A-Bum);
07. No matter how I try (Guilbertte Sulivan);
08. Tokoloshe man (Johnny Congos);
09. Anabella (Sonny Ellington);
10. Sing a song of freedom (The Clif Richard Congregation);
11. I'd like to teach the world to sing (Deep America);
12. Sleepy shores (Royal Philharmonic).




https://laplayamusic.blogspot.com













Links:




quinta-feira, 3 de outubro de 2019

PETER NERO - SUMMER OF'42 (1972) REPOST

Há tempos que eu estava para repostar o álbum "Summer Of '42", do pianista e maestro Peter Nero, que foi apresentado neste blog em setembro de 2011. 

Peter Nero, nasceu no Brooklyn, em Nova York, como Bernard Nierow. Iniciou a sua formação musical com sete anos de idade e estudou piano com Frederick Bried. 

Gravou seu primeiro álbum em 1961 e ganhou um prêmio Grammy daquele ano para "Best New Artist". Desde então, ele recebeu outro Grammy, dez indicações adicionais e lançou 67 álbuns. 

Seu disco de sucesso "Summer Of'42" foi realizado pela gravadora Columbia Records e resultou na venda de mais de um milhão de discos. 

Ao longo dos anos, Peter Nero trabalhou com vários músicos de renome, tais como: Frank Sinatra, Mel Tormè, Andy Williams, Ray Charles, Dizzy Gillespie, Diane Schuur, Johnny Mathis, Roger Kellaway, Elton John, entre outros.

Assim, nesta postagem reapresento o álbum de maior sucesso da carreira de Peter Nero, que foi lançado em 1972, pela gravadora Columbia, intitulado “Summer of”42”. Nesta repostagem incluímos mais 3 faixas bônus, que foi disponibilizado na versão em cd, lançada em 2005, pela Collectables Records.

A seleção dos hits populares da época que compõem o disco são as seguintes:

1. Theme from Summer Of’42; 
2. Love; 
3. Close to you; 
4. How can you mend a broken heart; 
5. You’ve got a friend; 
6. Go away little girl; 
7. For all we Know; 
8. Make it with you; 
9. We’ve only just begun; 
10. Theme from Love Story; 
11. Never my love;

Bônus:
12. Theme from Jesus Christ Superstar;
13. El condor pasa;
14. Never can say goodbye.




https://laplayamusic.blogspot.com



Capa (Front) - Edição Lp Columbia USA 1972







  Contra Capa (Back Cover) - Edição Lp Columbia USA 1972








 Contra Capa (Back Cover) - Edição CD LaPlayaMusic 2011





 Selo (Label) - Edição Lp Columbia USA 1972






 Versão Capa Alternativa - Edição Lp Quadraphonic





 Selo (Label) - Edição Lp CBS England 1972





 Cartucho (Cartridge) - Edição USA 1972





Peter Nero

Links: