2019

2019

domingo, 31 de março de 2019

SIDNEY - ISTO É DANÇA - VOLUME 5 (1965)

Há poucas informações a respeito do músico, compositor e pianista Sidney. Segundo pesquisado na internet, seu nome verdadeiro era Sidney Marzullo, falecido em 2005, aos 65 anos de idade, no Rio de Janeiro. Seu auge de sucesso ocorreu nas décadas de 1950 e 1960, principalmente com a série de discos instrumentais “Isto é Dança”, onde contava com a direção do maestro Astor Silva.

Já o maestro, arranjador e compositor, Astor Silva, nasceu no Rio de Janeiro em 10/maio/1922 e morreu precocemente em 12/fevereiro/1968, no Rio de Janeiro. Foi importante maestro na época e sua orquestra ficou famosa pela força dos metais.

Iniciou sua atividade artística como trombonista de dancings. Por volta de 1940, passou a atuar no Cassino da Urca, e em outros, como os situados em Copacabana e Icaraí. Em 1946, com o fechamento dos Cassinos, passou a integrar a Orquestra Tabajara, dirigida por Severino Araújo, que realizou excursões pelo Brasil, Argentina, Uruguai, França, etc. Ainda como integrante da Orquestra Tabajara, apresentou-se na Rádio Tupi.

Posteriormente, transferiu-se para a orquestra do maestro Carioca que atuava na mesma emissora. Exibiu-se ainda na boate carioca Night and Day e na TV Rio. Foi diretor musical de diversas gravadoras. Na CBS desempenhou também a função de arranjador-chefe.

No início dos anos 1950, formou seu próprio conjunto com o qual atuou na Todamérica fazendo acompanhamentos para Flora Matos, Garotos da Lua, Virgínia Lane, Zilá Fonseca, Ademilde Fonseca e Raul Moreno.

Entre 1960 e 1963, atuou com seu conjunto e sua orquestra na Columbia. Em 1960, foi um dos responsáveis pelo sucesso do samba Beija-me, de Roberto Martins e Mário Rossi, gravado por Elza Soares com arranjos seus.

Em 1961, acompanhou com seu conjunto um das primeiras gravações do então iniciante cantor Roberto Carlos num 78 rpm com as músicas Louco por você e Não é por mim. Acompanhou também gravações de Risadinha, Wanderléa, também em começo de carreira, Cyro Monteiro, Rossini Pinto e Elis Regina, em uma de suas primeiras gravações, com as músicas A virgem de Macareña e 1, 2, 3, balançou.Foi um dos principais arranjadores da segunda metade dos anos 1950 e 1960.

O raro álbum desta postagem, intitulado "Isto é Dança - Vol. 5", foi lançado em 1965, pela gravadora CBS, com coro e orquestra sob a direção de Astor. Este competente trabalho instrumental tem influências claras de Ray Conniff, que predominava como sucesso na época. 

Um fato curioso e que era comum na época, principalmente na gravadora CBS era o o aproveitamento das capas em diversos discos. Isso aconteceu com o disco "Louco Por Você, de Roberto Carlos, em discos da Orquestra Brasileira de Espetáculos, Lafayette, entre outros. No caso da capa do disco desta postagem, eu tive oportunidade de vê-la na rede, em um álbum de coletâneas, da Argentina ou México, que agora não me recordo, porque infelizmente não anotei. Se alguém souber, por favor, me informe.

Tenho certeza que irão apreciar este material. Não esqueçam de deixar os seus comentários.

A seleção de canções instrumentais do disco são as seguintes:

01. Blowing in the wind;
02. Piel canela;
03. Se muy bien que vendra;
04. Diz que fui por aí;
05. Solitude;
06. Mi sono innamoratto di te;
07. Frenesi;
08. Wonderful land;
09. A luz do dia;
10. It had better be tonight;
11. My foolish heart;
12. Canzone d'amore.





















 Sidney Marzullo





Astor Silva

Links:


sábado, 30 de março de 2019

MUSICA DE BORDO - VOLUME 1 (1999)

A postagem de hoje se refere ao álbum orquestral intitulado "Música de Bordo - Vol. 1", onde se destaca a orquestra The Magnetic Sounds, que interpreta 10 das 15 faixas do disco. Também conta com a participação de Portinho & sua Orquestra, Paulo Freire e a desconhecida Orquestra Ipanema Som.

Não sei se compartilham dessa opinião, mas eu aprecio muito o The Magnetic Sounds, que para quem não sabe era formado pelos integrantes do grupo "Os Carbonos" e músicos de estúdio que completavam a orquestra. Se fossem músicos de outros países, provavelmente seriam mais reconhecidos. Não ficam nada a dever a muitas orquestras mais famosas. Vou citar como exemplo a orquestra de Anthony Ventura. 

Mas vamos ao álbum da postagem. Provavelmente, muitos dos amigos do blog já baixaram esse material, pois ele já foi postado há alguns anos atrás, porém compactado em Mp3 256 kbps. Não tenho visto postagem recente disponível para baixar. 

O disco foi lançado, em 1999, nos formatos Lp e Cd, pela gravadora Copacabana, com o selo Magazine e contém as seguintes canções instrumentais, compactados em Mp3 320 kbps e com material gráfico refeito:

01. Airport love theme (The Magnetic Sounds);
02. Rio de Janeiro (Portinho & Orquestra);
03. Tema 747 (Orquestra Ipanema Som);
04. Je t'Aime... moi non plus (The Magnetic Sounds);
05. Theme for young lovers (The Magnetic Sounds);
06. Concerto pour une voix (The Magnetic Sounds);
07. Noi ci amiamo (The Magnetic Sounds);
08. Ballade pour Adeline (The Magnetic Sounds);
09. Conto de areia (Paulo Freire);
10. Tema DC-10 (Orquestra Ipanema Som);
11. Aquarela do Brasil (Portinho & Orquestra);
12. Allouete - Tema de Carina (The Magnetic Sounds);
13. Chanson D'amour (The Magnetic Sounds);
14. Devotion (The Magnetic Sounds);
15. Wigman (The Magnetic Sounds).
















Links:





quarta-feira, 27 de março de 2019

MEMORY TIME - FOLGE 2 - 1959/61 (1988)

Após vários pedidos, estou postando o volume 2, da coletânea "Memory Time - Folge 2 1959-61", lançado na Alemanha, em 1988, pela gravadora Warner, com o selo WEA, parte de uma série de 15 discos, de vários períodos. 

Aproveito para agradecer ao amigo Anthony Favoretto que corrigiu a informação da última postagem, que apresentava o volume 1, quanto ao país de lançamento.  Já foi corrigido.

Provavelmente não vou conseguir postar todos os volumes, pois como já mencionei em postagens anteriores, eu perdi as informações de um HD que continha o material que eu postei e que iria postar. 

Quanto ao volume desta postagem, que dedico para os amigos nascidos no período de 1959 a 1961, segue a mesma sequência musical do volume anterior, inclusive destacando, praticamente, os mesmos intérpretes. A seleção desta compilação contém as seguintes canções:

01. What'd I say - Part 1 e 2 (Ray Charles);
02-Stand by me (Ben E. King);
03-Dream lover (Bobby Darin;
04-Kookie kookie (Edward Byrnes & Connie Stevens);
05-Teen beat (Sandy Nelson);
06-Save the last dance for me (The Drifters);
07-Till I kissed you (The Everly Brothers);
08-Runaround Sue - Live (Dion & The Belmonts);
09-Sweets for my sweets (The Drifters);
10-Sixteen reasons (Connie Stevens);
11-Ebony eyes (The Everly Brothers);
12-Gee whiz (Carla Thomas);
13-Last night (Mar-Keys);
14-Multiplication (Bobby Darin);
15-Charlie Brown (The Coasters);
16-Teenager in love - Live (Dion & The Belmonts);
17-Bumble boogie (B. Bumble & The Stingers);
18-Just out of reach (Solomon Burke);
19-Spanish Harlem (Ben E. King);
20-Teach me tiger (April Stevens);
21-Cathy's clown  (The Everly Brothers);
22-I like it like that - Part 1 (Chris Kenner);
23-Make the knife (Bobby Darin);
24-So sad (The Everly Brothers);
25-Lovey dovey (Clyde McPhatter);
26-Take Five - Versão EP (Dave Brubeck).


































Links:






domingo, 24 de março de 2019

MEMORY TIME - FOLGE 1 - 1955-58 (1988)

Para os amigos nascidos no período de 1955 a 1958, apresentamos uma coletânea com os sucessos das paradas no período, intitulada "Memory Time - Folge 1 - 1955-58", lançado na Alemanha, em 1988, pela gravadora Warner, com o selo WEA, que compunha uma série de discos, de vários períodos.  

São 28 canções e para os fãs da Jovem Guarda, neste disco contém a canção original de Splish Splash, com Bobby Darin, cuja versão Roberto Carlos gravou no Brasil. Observando a lista de músicas é possível destacar o sucesso da dupla The Everly Brothers, que detinham 5 canções nas primeiras colocações das paradas desse período. 

A seguir, a lista das canções que compõem essa coletânea. 

01. Wake up little Susie (The Everly Brothers);
02. Corrina, Corrina (Joe Turner);
03. Drip drop (The Drifters);
04. C. C. Rider (Chuck Willis);
05. Tequila (The Champs);
06. Splish, splash (Bobby Darin);
07. Blueberry hill - Live (Fats Domino);
08. Yakety Yak (The Coasters);
09. Bird dog (The Everly Brothers);
10. Mr. Lee (The Bobbettes);
11. Since I met you baby (Ivory Joe Hunter);
12. The door is still open (The Cardinals);
13. A fool for you (Ray Charles);
14. Rock around the clock (Bill Haley);
15. The little girl of mine (Ray Charles);
16. Tweedle dee (La Vern Baker);
17. Adorable (The Drifters);
18. Searchin' (The Coasters);
19. What am I living for (Chuck Willis);
20. Devoted to you (The Everly Brothers);
21. Lucky lips (Ruth Brown);
22. Smokey Joe's cafe (The Robbins);
23. Queen of the hop (Bobby Darin);
24. Love, love, love (The Clovers);
25. All I have to do is dream (The Everly Brothers);
26. A lover's question (Clyde McPhatter);
27. Youngblood (The Cloasters);
28. Bye bye love (The Everly Brothers).




























Links:






TRIO DÓ RÉ MI - TRIO DÓ RÉ MI (1966) REPOST

Em 2012, pela primeira vez na rede, postamos o raríssimo álbum do Trio Dó Ré Mi, que reapresentamos nesta postagem, com uma versão melhorada, quanto ao áudio e material gráfico. 

O trio atuou por pouco tempo na década de 1960 e era formado por Alcântara, Souza e Foster. Tinham como características a harmonia vocal, a homogeneidade e a simplicidade no cantar. Infelizmente, como da primeira postagem, ainda não há muitas informações na internet a respeito do trio.

As poucas informações que destaco foram coletadas do próprio álbum. O álbum desta postagem foi lançado em 1966, pela gravadora Companhia Brasileira de Discos, que depois viria a ser a Polygram, com o selo Fantasia. A produção deste álbum coube ao conhecido cantor e compositor Osmar Navarro. 

A seleção do disco é composta das seguintes canções: 

1. Não tem problema; 
2. Meu tempo é nunca mais; 
3. Traição; 
4. Despedida; 
5. Inveja; 
6. Mentira; 
7. Valsa da debutante; 
8. Menino do morro; 
9. Chão de estrelas; 
10. Garota Z. N.; 
11. Você passou; 
12. a vida trouxe vida.










Links:






sábado, 23 de março de 2019

FRANCK POURCEL - FRANCK POURCEL (1984)

Quero compartilhar um álbum da Orquestra de Franck Pourcel que ouvi recentemente e que contém canções maravilhosas, destacando-se principalmente as músicas Il était une fois...la revolution, composição do espetacular Ennio Morricone, Too beautiful to last, a clássica dos Beatles, Here, there and everywhere e a famosa Concorde, composição do próprio Franck Pourcel, em homenagem ao supersônico avião francês Concorde. Só essas canções instrumentais já valeram o disco.

Trata-se de uma coletânea lançada no Brasil em 1984, pela Sigla, com o selo Som Livre. Um fato inusitado é que praticamente toda a discografia do arranjador Franck Pourcel lançada no Brasil foi realizada pela gravadora EMI/Odeon. 

Posso estar enganado, mas esse disco foi o único lançado pela Som Livre. Também me chamou a atenção a má qualidade da resolução gráfica da capa e contra capa, demonstrando mais uma vez a falta de apreço das gravadoras no Brasil para com os  seu clientes.

A seleção deste álbum contém as seguintes músicas, incluindo dois bônus oferecidos pelo blog:

01. Chariot (I will follow him);
02. Il était une fois...La revolution;
03. Speak softly love (Love theme from "The Godfather");
04. The last waltz;
05. Johnny guitar;
06. La boheme;
07. The long and winding road;
08. Love and music (Amour et musique);
09. Hymne a l'amour;
10. Dolannes melodie;
11. Un homme, et une femme;
12. All by myself;
13. Too beautiful to last;
14. Cry me a river;
15. Here, there and everywhere;
16. Concorde

Bônus:

17. Chariot (I will follow him);
18. Un homme, et une femme.
















Links:




terça-feira, 19 de março de 2019

LOVEMETERS - LOVEMETERS (1994)

Nesta postagem, apresentamos um álbum dos anos 1990, contendo releituras de musicas consagradas no estilo da época. O disco foi lançado no Brasil em 1994, pela gravadora Movieplay.

Há poucas informações na internet sobre esse grupo. O que obtive consta no verso do próprio disco, onde informa que os vocais ficaram por conta de Lady Alex e a mixagem por Dr. Beat. Pode ser que seja mais uma produção italiana. Nessa época surgiram vários grupos italianos de dance music e de canções pop. Outra hipótese é que seja apenas um grupo de estúdio. 

As releituras que compõem o álbum são as seguintes:

01. I'm not in love;
02. Your song;
03. A song for you;
04. My cherie amour;
05. Light my fire;
06. (They long to be) Close to you;
07. The end of the world;
08. How deep is your love;
09. Scarborough fair;
10. A whiter shade of pale.















Links:






segunda-feira, 18 de março de 2019

MICHAEL LLOYD - MICHAEL LLOYD (1986) REPOST

Nesta postagem, reapresentamos um álbum que foi postado em nosso primeiro ano de blog, precisamente no dia 17/jan/2012. Trata-se do raro álbum do produtor, arranjador, engenheiro de mixagem, editor, compositor, multi-instrumentalista e cantor americano Michael Jeffrey Lloyd, ou simplesmente Michael Lloyd.

Ele nasceu em 03 de novembro de 1948, na cidade de Nova York. Tem uma obra extensa e desde 1971, tem em seu currículo a participação, em algumas das atividades descritas, em mais de 120 filmes, programas e séries de TV. 

Como destaque de sua carreira, foi a sua participação como produtor musical, compositor e cantor em algumas faixas da trilha sonora do filme “Dirting Dancing”, lançado em 1987, onde os principais atores eram Patrick Swayze e Jennifer Grey.

O álbum que apresentamos em versão melhorada, em relação a nossa postagem de 2012, foi lançado no Brasil, em 1986, pela gravadora Top Tape e contém releituras de músicas antigas e consagradas, mescladas com cinco músicas de sua própria composição. O curioso é que não encontrei na rede a menção desse disco na versão americana. 

Destaco as músicas Very Special LoveA World Without Love e Wanted. O disco contém as seguintes músicas:

1. Happy Together;
2. Very special love;
3. There’ a kind of hush;
4. A world without love;
5. Because;
6. Only because of love;
7. Rhythm of the rain;
8. Let me love you;
9. Wanted;
10. I only want to be with you;
11. Take me in; 1
12. Love is here (That’s summertime).


















Links:






DICK DALE - CALLING UP SPIRITS (1996)

Morre o guitarrista Dick Dale, aos 81 anos, considerado o "pai" do surf rock e autor da música Misirlou, tema do filme "Pulp Fiction", de Quentin Tatantino. 

Dale nasceu em maio de 1937, e foi batizado como Richard Anthony Monour. Começo a praticar o surf nos anos 1950. Na década seguinte, se tornou o "piloto de teste" das guitarras Fender, trabalhando diretamente com o fundador da empresa, Leo Fender.

Em 1962, criou a canção Misirlou, considerada seu maior hit. A música voltou a ser sucesso com o lançamento do filme "Pulp Fiction", em 1994. Dick Dale é considerado um dos 100 maiores guitarristas de todos os tempos, pela Revista Rolling Stone, situando-o na 74ª posição.

Para homenageá-lo, resgatamos o álbum de 1996, intitulado "Calling Up Spirits", lançado no Brasil, pela gravadora Paradoxx Music. A seguir as canções do disco:

01. Nitrus;
02. The wedge paradiso;
03. The pit;
04. Fever;
05. Doom box;
06. Catamount;
07. Window;
08. Calling up spirits;
09. Temple of Gizeh;
10. Bandito;
11. Third stone from the sun;
12. Peppermint man;
13. Gypsy fire.






















 Contra Capa (Back Cover) - Edição Brasil 1996





Contra Capa (Back Cover) - Edição USA 1996














 Links:






domingo, 17 de março de 2019

FRANCK POURCEL - SHE'S A LADY - VOLUME 13 (1971) REPOST

Hoje estamos repostando um álbum que apresentamos no inicio do blog LaPlayaMusic, mais precisamente  em 08/out/2011. Acredito que fomos os primeiros a postar esse disco na rede.

Trata-se do álbum "She's a Lady - Volume 13", da Orquestra de Franck Pourcel, lançado no Brasil em 1971, pela gravadora EMI Odeon. Das 12 faixas do disco da postagem, 9 faixas foram extraídas do disco intitulado "Amour, Danse et Violins Nº 37", originalmente lançado na França, no mesmo ano,  que continha uma capa diferente.

As músicas que compõem a seleção desse disco são as seguintes:

01. She's a lady;
02. Friends;
03. My sweet lord;
04. Cecilia;
05. Anonino veneziano (To be one you love);
06. Mourir d'aimer;
07. Wild word (Fleur sauvage);
08. Love story;
09. Sad Lisa;
10. Un banc, un arbre, une rue;
11. Ja pense a toi;
12. Make it easy on yourself.
















Links:







sábado, 16 de março de 2019

STAR INC MUSIC - SYNTHESIZER SPECTACULAR - VOLUME 2 (1988)

Atendendo a um pedido antigo, apresento o álbum instrumental "Synthesizer Spectacular", da Star Inc., que segundo o amigo Tiago Alves, que acompanha o blog, era a The London Starlight Orchestra, cuja produção estava a cargo de Ed Starink. Originalmente foi lançado na Holanda e no Brasil em 1988, pela gravadora Movieplay. 

O disco apresenta uma seleção de canções que fizeram sucesso nos anos 1980, todas instrumentais por sintetizadores. Por sinal foi a década que predominou os teclados nas canções. 

Particularmente, gosto mais dos sintetizadores pioneiros, de Walter Carlos (Wendy Carlos), Krafwerk e do rock progressivo. Dessa seleção eu gosto da canção Never ending story, tema do filme "História Sem Fim".

As músicas instrumentais do disco são as seguintes:

01. Whenever you need somebody;
02. Say I'm your number one;
03. Diamonds;
04. The way you make me feel;
05. Sweet freedom;
06. What have you done for me lately;
07. It's a sin;
08. Never ending story;
09. P-machinery;
10. I just can't stop loving you;
11. Never gonna give you up;
12. Into the groove;
13. When I think of you
14. West end girls;
15. Duel;
16. Like a virgin;
17. Bad;
18. Showing out;
19. Nothing's gonna stop me now;
20. Pump up the volume.





















Links: