2019

2019

terça-feira, 27 de novembro de 2018

DUNCAN LAMONT - BEST OF THE BOSSA NOVAS (1970)

Nesta postagem, apresentamos um belo álbum instrumental, do saxofonista Duncan Lamon, lançado na França, em 1970, pela gravadora EMI, pelo selo Mfp. O disco se destaca pelas seleção e interpretação, a "La Stan Getz", de 7 canções brasileiras, a maioria composições de Antonio Carlos Jobim. 

Duncan Lamont nasceu em 4 de julho de 1931 em Greenock, na Escócia. Iniciou sua carreira musical, como trompetista,  liderando sua própria banda, na Escócia, o que lhe valeu o reconhecimento da ilustre publicação “Melody Maker” em 1951.

Após uma temporada com os afros cubista de Kenny Graham, em Londres, Duncan acabou trocando o trompete pelo saxofone tenor e logo se estabeleceu como um músico de estúdio de jazz altamente proficiente.

Além de atuar em numerosas bandas de dança e grupos de jazz britânicos populares,
incluindo os liderados por Basil e Ivor Kirchin, Ken Mackintosh, Jack Parnell, Geraldo, Eric Delaney e Vic Lewis, com quem excursionou pela América em 1958.

Nos anos 1960, ele tocou com Pat Smythe, Kenny Baker e outros, bem como freelancer na banda de Benny Gooman, em uma turnê europeia. Na sequência liderou várias pequenas bandas em paralelo com as suas atividades em estúdio.

Lamont trabalhou com diversos artistas musicais de topo, tais como: Paul McCartney, Mel Tormé, Harry Mancini, Peggy Lee, Nelson Riddle, Rosemary Clooney, Fred Astaire, Count Basie, Henri Mancini, Bing Crosby. Benny Carter, Frank Sinatra, Benny Goodman, Gil Evans, Spike Milligan, Kenny Wheeler e Willis Holman.

Entre as músicas que Duncan compôs estão a premiada I told you so, Carousel, I told you so, Not you again e Manhattan in the rain. Também compôs compôs vários trabalhos mais longos, incluindo "O Guia do Jovem para a Orquestra de Jazz", "Soho Suite" e "Sherlock Holmes Suite", este último uma colaboração com Spike Milligan. Ele também escreveu músicas para a televisão infantil, para o Spot, indicado ao Grammy e para vários vídeos da Walt Disney.

Além disso, Lamont não só trabalhou como maestro e arranjador para a BBC, por muitos anos, mas também liderou uma banda de dança por onze anos para arrecadar dinheiro para a pesquisa do câncer.

Em 1999, Duncan Lamont ganhou o prêmio “John Dankworth Jazz Award” de talentos de longa data. Em 2016, comemorou aniversário de 86 anos em apresentações especiais.

A seleção do álbum "Best Of The Bossa Novas" é composta das seguintes canções instrumentais:

01. Desafinado;
02. A man and a woman;
03. Sunny;
04. Meditation (Meditação);
05. Carnival (Manhã de carnaval);
06. How insensitive (Insensatez);
07. The girl from Ipanema (Garota de Ipanema);
08. Quiet night of quietr stars (Corcovado);
09. One note samba (Samba de uma nota só);
10. The shadow of your smile;
11. Call me;
12. Fly me to the moon.





































Links:






domingo, 25 de novembro de 2018

NORMAN GREENBAUM - SPIRIT IN THE SKY (1969)

O cantor e compositor americano Norman Greenbaum, nasceu em Malden, no estado de Massachusetts, no dia 20 de novembro de 1942 e era formado em música pela Universidade de Boston.

Greenbaum é mais conhecido pela sua composição Spirit in the sky, cujo compacto simples vendeu 2 milhões de cópias, entre 1969 e 1970. A canção, uma combinação do som pesado de guitarra, batida de mãos e com letras espirituais foi um “one top hit”, ou seja, de um único sucesso, sendo utilizada em vários filmes, comercial e programas de televisão.

Em 1967, fez sucesso com a canção The eggplant that ate Chicago, da banda Dr. West's Medicine Show and Junk Band, da qual fez parte, no período de  1966 a 1968.

Após o sucesso de Spirit in the sky, teve um sucesso menor com a canção Canned ham, que atingiu a 26ª posição na lista dos compactos mais vendidos do Canadá e a 46ª posição na Billboard Hot 100.

Em 1971, a canção California earthquake foi sua última música a entrar na Hot 100, na 93ª posição. Entre 1973 e 1974, Norman Greenbaum interpretou, com a banda “Crossfire”, que tinha Mitchell Froom e Gary Pihl como membros.

Em 1986, o grupo “Doctor and the Medics” regravou a canção Spirit in the sky, conseguindo o seu único grande sucesso. Posteriormente, em 2003, uma nova versão, foi gravada com “Gareth Gates” e pelos integrantes do programa de televisão britânico “The Kumars, atingiu a 1ª posição na UK Singles Chart.

Greenbaum vive atualmente em Santa Rosa, Califórnia, sobrevivendo dos royalties de suas canções. Apesar de Spirit in the sky ser considerada um clássico do gênero gospel, devido a suas referências a Jesus Cristo, como no verso "I've got a friend in Jesus" (Eu tenho em Jesus um amigo), Greenbaum era, e ainda é, um judeu praticante. De acordo com ele, a inspiração para compor Spirit in the sky veio das performances de canções religiosas de artistas de música country, tais como, Dolly Parton e Porter Wagoner, que ele tinha assistido na televisão.

Nesta postagem, apresentamos o Compacto simples, “Spirit in the sky”, lançado nos Estados Unidos, em 1969, pela gravadora Reprise.

Lado A:
01-Spirit in the sky;

Lado B:
02- Tars of India




































Links:







sábado, 24 de novembro de 2018

MAURICE MONTHIER - VOLUME 8 (1975)

Conforme pedido, resgatamos o álbum Volume 8, da Orquestra de Maurice Monthier, que na era o maestro brasileiro Carlos Monteiro de Souza (Veja mais informações nas postagens dos volumes anteriores).

O disco foi lançado no Brasil, em 1975, pela gravadora Odeon, com o selo London. O destaque do disco ficou por conta das músicas de artistas brasileiros que cantavam em inglês, naquele período, tais como Feelings, We said goodbye, Tears e Don't let me cry.

As músicas que compões o álbum são as seguintes:

01. Feelings;
02. Soleado;
03. We said goodbye;
04. Only you;
05. A very special love songs;
06. She;
07. Tears;
08. Theme from "Summer of 42";
09. Murder on the Orient Express;
10. What'll I do;
11. Des mots si tendres;
12. Don't let me cry.

















Links:






sexta-feira, 23 de novembro de 2018

JOHN DUMMER'S FAMOUS MUSIC BAND - NINE BY NINE (1970)

A banda John Dummer teve várias denominações em sua trajetória musical, sendo também conhecida como John Dummer's Blue Band, John Dummer's Famous Music Band, John Dummer's Oobleedooble Band e The John Dummer Band - Apresentando Nick Pickett.

Ela foi um grupo britânico de blues, dos anos 1960 e 1970 e ficou conhecida pela extensa lista de integrantes da banda, lista que incluiu Graham Bond, Dave Kelly, JoAnn Kelly, Tony McPheeBob Hall, John O'Leary e Pick Withers. Também apoiou os bluesmen americanos Howlin 'Wolf e John Lee Hooker em turnês pelo Reino Unido.

A banda foi formada pelo baterista John Dummer (nascido Anthony John Dummer, 19 de novembro de 1944, Surbiton, Surrey). Ele formou o Lester Square e o G.T em 1963 com Chris Trengove (sax alto e vocal) e Elton Dean (sax tenor, depois do Soft Machine) e excursionou pelo Reino Unido e Alemanha por dois anos.

Dummer formou o John Dummer Blues Band em 1965. A formação original foi John Dummer (vocal, gaita), Roger Pearce (guitarra) e Pete Moody (baixo) - ambos recrutados da banda London R'n'B The Grebbels - plus Bob Hall (piano) e Dave Bidwell (bateria). Moody mais tarde deixou de ser substituído por Tony Walker (baixo) e sua irmã Regine Walker se juntou a Dummer como segundo vocalista. O guitarrista de destaque foi Tony 'Top' Topham, o guitarrista original da Yardbirds.

A banda mudou sua formação e começou uma temporada regular na tarde de domingo no Studio 51 Club, no West End de Londres. Dummer entrou na bateria, e Dave Kelly e Tony McPhee se juntaram como guitarristas / vocalistas, com Iain "Thump" Thomson (baixo) e John O'Leary (gaita). A irmã de Dave, Jo-Ann Kelly, também era uma vocalista regularmente apresentada nessas sessões.

A banda escolheu os seguidores no clube com artistas como John Mayall, Keef Hartley, Champion Jack Dupree, Long John Baldry, Duster Bennett e Alexis Korner. A banda assinou com a Mercury Records e seu primeiro álbum, Cabal, foi lançado em 1968.

Dave e Jo-Anne Kelly e Tony McPhee eram artistas de destaque, e a banda era a mesma que tocava regularmente no Studio 51 Club. Tony McPhee deixou a banda pouco depois para reformular The Groundhogs.

O segundo álbum, The John Dummer Blues Band, contou com Dummer, Hall, Thomson, Dave e Jo Ann Kelly (vocal), com um novo guitarrista, Adrian "Putty" Pietryga, do The Deep Blues Band, de Bristol. Esta banda excursionou extensivamente na Grã-Bretanha e na Europa por dois anos.

Pelo terceiro álbum, Famous Music Band de John Dummer (1970), Dave Kelly e Bob Hall foram substituídos por Nick Pickett (guitarra, violino e vocal) Pietryga e Thomson permaneceram, sendo aumentados por Chris Trengove (sax alto).

Após o terceiro álbum, a banda "se separou", apenas para reformar para gravar novamente quando seu instrumental Nine by nine, com o violinista Nick Pickett, era o número 1 na França.

O álbum “Blue”, de 1972, lançado como John Dummer Band, trazia um cover de Roger Dean, enquanto a banda se reduzia a uma banda de blues-rock composta por Dummer, Pickett, Pietryga e Thomson.

O quinto álbum da banda, “Oobleedoobleejubilee”, de 1973, lançado como Oobleedooblee Band, de John Dummer, tinha estilo country, enquanto que a formação, novamente incluía o Kellys, junto com Michael Evans (violino) e Roger Brown (vocal).

O último álbum da banda, gravado em 1973, incluiu Graham Bond (saxofone), Pick Withers (bateria), Pete Emery (guitarra) e Colin Earl (Foghat) (teclados), mas o álbum foi arquivado, e a banda se separou em 1974. Este álbum final foi lançado em 2008, como o álbum Lost 1973.

Nesta postagem, apresentamos o disco compacto simples (EP), lançado em 1970, pela gravadora Philips, pelo selo Fontana, contendo os seguintes singles:

Lado A:
01. Nine by nine;

Lado B:
02. Move me, don't leave me.




























Links:







quinta-feira, 22 de novembro de 2018

JOÃO LUIZ - ANTOLOGIA (2015) REPOST

Atendendo a pedidos, repostamos a coletânea "Antologia", do cantor e compositor João Luiz (João Luiz Wildner). Para maiores informações sobre o artista, veja a nossa postagem original de 19/fevereiro/2016.

O álbum desta postagem é uma compilação elaborada pelo blog LaPlayaMusic, de sucessos gravados, principalmente, no período dos anos 1960 e 1970. A seleção é composta das seguintes canções:

1. Cara de pão
2. Estou feliz (puppet on string)
3. Gina
4. Não chores meu amor
5. Dê uma rosa
6. Por seu amor (pedro)
7. A turma (tell the boys)
8. Hoje ainda mais (ora piu che mai)
9. Minha amada (watashi dukano amata)
10. Feriado (holiday)
11. Daniela
12. Suzaninha
13. Se faz verão (on days like these)
14. Pode fechar seu guarda chuva
15. Tanto amor sem ter ninguém pra dar
16. Zingara
17. Nesta noite tão só (are you lonesome tonight)
18. Ah! aquela flor era mulher (f...comme femme)
19. Eu quero alguem pra amar (i wish i had somebody to love)
20. Não faz sentido você me deixar
21. Você crê em mim (she believes in me)
22. Aquela paixão
23. Eu amo tanto tanto (ti voglio tanto bene)
24. Vou me libertar
25. Oh! meu bem, responda sim (oh! babe what would your say)
26. Super mulher
27. Sambaré
28. Quem é você (this one’s for you)





















Links:





quarta-feira, 21 de novembro de 2018

LOS ROLIN - GIPSY BEATLES (1991)

Nos anos 1990, com o sucesso do grupo espanhol "Gipsy Kings", vários grupos similares surgiram no mercado, apresentando gravações inéditas ou simplesmente lançando releituras (covers).

Um desses grupos era o Los Rolin, que lançaram no Brasil, em 1991, pela gravadora CBS, com o selo EPIC, o álbum "Gipsy Beatles". Esse mesmo disco, também foi lançado em formato Compact disc - Cd, com outra capa e título, "Por Rumbas". Como destaque, a capa idealizada por Elifas Andreato.

A seleção de canções dos Beatles, em estilo "gipsy", que compõem o álbum  são as seguintes:

01. Help;
02. She loves you;
03. Yellow Submarine;
04. Yesterday;
05. Nowhere man;
06. And I love her;
07. I should have known better;
08. Medley: yellow submarine / she loves you / Michelle / All you need is love / All together now / yesterday;
09. Ob-la-di, ob-la-da;
10. All my loving;
11. And I love her (Versão: J. Corcega);  
12. Help (Versão: J. Corcega);
13. Something;
14. Yellow submarine (Versão: J. Corcega) .



























 Links:







terça-feira, 20 de novembro de 2018

TED BARYSON - HOW DO YOU SAY GOODBYE (1981 EP)

Não obtive muita informação do cantor Ted Baryson,  compositor e intérprete da música How do you say goodbye, que foi lançada no Brasil, em 1981, ao fazer parte da trilha sonora da novela "O Amor é Nosso", da Rede Globo de Televisão. 

Nesta postagem, apresentamos o compacto simples, contendo a música How do you say goodbye, na versão cantada e instrumental. Foi lançada no Brasil, pela gravadora CID, com o selo Crazy Cat. Na França o mesmo compacto, com capa diferente, foi lançada em 1982, pela Horse Records.

Lado A:
01-How do you say goodbye (vocal Ted Haryson);

Lado B:
02-How do you say goodbye (instrumental).































Links:






domingo, 18 de novembro de 2018

L. J. & BROTHERS PROJECT - ACÚSTICO INTERNACIONAL (2005)

Para quem gosta de covers, segue mais uma postagem. O álbum "Acústico Internacional", do L.J. & Brothers Project é um trabalho pioneiro que reúne um grupo de talentosos músicos que ainda buscam seu espaço no cenário artístico.

O álbum foi gravado e mixado no estúdio Musica Bacana em setembro de 2005 e lançado nesse mesmo ano pela UltraDisc. 

O disco foi muito bem gravado, com lindas interpretações. Outro ponto alto são os instrumentistas, Jotinha (violões, baixo e programações), Pepa D'Ella (bateria) e Beto Paciello (pianos). O único ponto que não gostei muito foi a parte de design gráfico, no que se refere as cores com predominância azul e preta. Acho que um colorido ficaria melhor. 

Com relação aos intérpretes, muitas versões me surpreenderam pela qualidade do artista e da releitura. Os músicos que participaram na interpretação das canções foram: Tom, Aldo Gouveia, Izabê, Marcio Silva, Silvera, Francine e Vanessa Jackson.

Das canções do disco, que predominaram os anos 1980, gostei muito das releituras de Baby come back, Slave to love, Ebony eyes e Angel. Não gostei muito da versão de Hunting high and low.

As músicas e respectivos intérpretes que fizeram parte dessa seleção do L. J. & Brothers Project foram as seguintes:

01. Baby come back (Silvera);
02. Crusin (Francine);
03. Father figure (Aldo Gouveia);
04. Slave to love (Vanessa Jackson);
05. Woman in chains (Aldo Gouveia e Vanessa Jackson);
06. Save me now (Tom);
07. Is this love (Izabê);
08. Coming around again (Vanessa Jackson);
09. True (Márcio Silva);
10. You better be home soon (Tom);
11. If you leave me now (Márcio Silva);
12. Ebony eyes (Tom, Márcio Silva, Aldo Gouveia e Izabê);
13. Angel (Tom);
14. Total eclipse of the heart (Vanessa Jackson);
15. Hunting high and low (Márcio Silva).































BRASIL PRA LEMBRAR - VOLUMES 1 E 2 (2010) REPOST

A pedido do amigo Nelson, reapresentamos uma coletânea de 37 músicas nacionais que preparei em 2003 para ouvir em minhas viagens a trabalho e posteriormente foi reeditado em 2010, com um material gráfico. 

Uma das melhores coisas que o Brasil tem é a sua música. O título remete justamente a isso, o que temos de bom pra lembrar. Espero que vocês apreciem a compilação e quem saiba saia um volume 3.

Essa edição exclusiva do Blog LaPlayaMusic, compõem um cd duplo. Tenho certeza que muitas dessas canções o farão relembrar bons momentos de sua vida e que certamente ainda vagam pelo tempo. Foram selecionadas as seguintes músicas:

Disk 1:
1. Alegre menino (Claudio Nucci); 
2. Romaria (Renato Teixeira) 
3. Entra e sai do amor (Altay Veloso); 
4. Campo minado (Jessé); 
5. Serafim e seus filhos (Ruy Maurity); 
6. Casinha branca (Gilson); 
7. Alguem me disse (Gal Costa); 
8. Chão de giz (Elba Ramalho); 
9. Sereia (Lulu Santos); 
10. Borbulhas de amor (Fagner); 
11. Do fundo do meu coração (Fafá de Belém); 
12. Todo sujo de batom (Belchior); 
13. Batendo a porta do céu (Zé Ramalho); 
14. Vela aberta (Walter Franco); 
15. Prá não dizer que não falei das flores (Geraldo Vandré); 
16. O sal da terra (Beto Guedes); 
17. Paixão (Kleiton & Kledir); 
18. Pingos de amor (Paulo Diniz)

Disk 2:
1. A massa (Raimundo Sodré); 
2. Amigo é pra essas coisas (Mpb4); 
3. Bem te vi (Renato Terra); 
4. Canção da meia noite (Almôndegas); 
5. Casaco marrom (Evinha); 
6. Caso você case (Marilia Barbosa); 
7. Demais - Yes it is (Verônica Sabino); 
8. Dona (Sá & Guarabira); 
9. Folia de reis (Baiano & Os Novos Caetanos); 
10. Frisson (Tunai); 
11. José (Rita Lee); 
12. Menina do mato (Márcio Lott); 
13. Menina (Paulinho Nogueira); 
14. Nuvem passageira (Hermes Aquino); 
15. O bem amado (Coral Som Livre); 
16. Pelo sim, pelo não (Cláudio Nucci & Zé Renato); 
17. Rua ramalhete (Tavito); 
18. Toada (Boca Livre); 
19. Viola enluarada (Marcos Valle).