2016

2016

domingo, 26 de julho de 2015

LES REED - THE NEW WORLD OF - 1973

O compositor, músico, arranjador e maestro Les Reed  (Leslie David Reed) nasceu em 24 de julho de 1935, em Woking, Surrey, Inglaterra). Seus principais parceiros compositores foram Gordon Mills, Barry Mason e Geoff Stephens, embora tenha escrito canções com diversos outros compositores, tais como Roger Greenaway, Roger Cook, e Johnny Worth.

Les Reed, em sua carreira ganhou inúmeros discos de ouro, prêmios Ivor Novello e, em 1982, o “Gold Badge of Merit” da Academia Britânica de Música. Les Reed foi um dos grandes músicos do estilo “Easy Listening”.

Sua carreira começou cedo com a idade de quatorze anos, tocando piano, acordeão e vibrafone. Ele estudou na London College of Music, antes de se juntar a Willis Reed Group, com quem excursionou por quatro anos. Tendo sido chamado para as forças armadas, ele tocou piano e clarinete na Banda Militar Real East Kent. Na sequência, se tornou profissional, como pianista residente no Lido Nightclub, no West End de Londres.

Em 1959, como pianista, Reed se juntou ao The John Barry Seven. Atuou com o grupo em Drumbeat da BBC, tocando muitos dos sucessos, incluindo James Bondt theme, Hit and Miss e  Walk, do not run. Também tocou piano no Chart Topping Hits para Adam Faith (Poor Me e What do you want?), Forget me not, para Eden Kane e Be mine, para Lance Fortune.

Em meados dos anos 1960, ele começou uma parceria musical bem sucedida com Geoff Stephens, que produziu sucessos como Tell me when, para os Applejacks; Here it comes again, para The Fortunes, Leave a little love, para Lulu e There’s a kind of hush, para a banda Herman’s Hermits, em 1967. No ano de 1964, também tinha escrito e preparado o arranjo de It’s not unusual, emparceria com Gordon Mills, sucesso de vendas na Inglaterra, do cantor Tom Jones.

No decorrer do tempo, Les Reed iniciou outra parceria musical com Barry Mason. Eles escreveram uma canção para Kathy Kirby, I’ll try not to cry, para participar no “A Song for Europe 1965”, concurso da BBC para escolha de uma música para representar o Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção daquele ano, em Nápoles.

Em 1967, a parceria Les Reed/Barry Mason tinham um hit chamado Everybody Knows, para o grupo The Dave Clark Five. Outro sucesso, de 1968, foi a canção Delilah, que originalmente tinha sido escrita para o cantor PJ Proby, mas acabou sendo a Top Ten do ano, com o cantor Tom Jones.
Ainda nesse mesmo ano, no mês de setembro, também escreveram a canção The last waltz, que vendeu mais de  um milhão de cópias, no Reino Unido, na voz de Engelbert Humperdinck. Em 1968, a dupla marcou no Reino Unido um outro hit número 1, com a gravação de "I Pretend" de Des O'Connor.

Também em 1968, saiu a canção I’ve got my eyes on you, que foi composta por Les Reed e Jackie Rae, que foi gravada pela cantora Petula Clark, Ray Conniff, P.J. Proby e The Vogues. Após a versão original de Petula Clark, Connie Francis gravou Kiss me goodbye, no álbum intitulado “Connie Francis Sings the Songs of Les Reed”, que contou com o próprio Les Reed como produtor e pianista, cujo álbum foi lançado em novembro de 1969.

No período de 1970 a 1974, a Orquestra de Les Reed gravou a canção Man of action, que foi utilizada como tema musical do programa radiofônico “Radio North Sea International. Les Reed também é responsável pela co-autoria de Marching on together, que é o hino do time de futebol Leeds United AFC.

Em 1971, saiu a canção When there’s no you, com co-autoria de Jackie Rae, que foi gravada por Engelbert Humperdinck e se tornou um grande sucesso das paradas do estilo Easy Linstening.

Algumas premiações podem ser citadas, começando com o Tokyo Music Festival 1973, Les Reed e Stephens venceram o “Silver Star”, com a canção Sandy Sandy. Em 1977, Les Reed e Tony Macaulay triunfaram no Concurso Internacional da Canção, em Maiorca, na Espanha com a música You and I. Já com  Roger Greenaway foram agraciados com o prêmio Grand Prix, em Seul para Everytime you go.

Como já citados anteriormente, as composições de Les Reed foram gravadas por inúmeros artistas, entre eles Elvis Presley, com Girl of mine e This is our dance, Shirley Bassey, com Does anybody miss me e Bing Crosby, com That’s what life is all about.

No quesito trilha sonora de filmes são creditados a Les Reed as trilhas para  The Girl on a Motorcycle” (1968), “The Bushbaby” (1969), “One More Time” (1970), “George and Mildred” (1980), “Creepshow 2 (1987) e Parting Shots” (1999). Além disso, compôs para produções musicais, incluindo “The Show Magic” (1974), “American Heroes”, “Then I Wrote”  e “Beautiful and Dammed” (2004). Em 1994, a Reed produziu um álbum de Max Bygraves para arrecadar dinheiro para a “Lest We Forget Association”.

Em 1998, ele foi homenageado como um “Freeman of the City of London”, por suas contribuições à indústria da música. Na sequência, nesse mesmo ano, Les Reed foi premiado com uma Ordem do Império Britânico. 

Fonte: wikipedia, julho 2015

O álbum desta postagem, ainda não foi apresentado na rede, com o seu material gráfico. Trata-se do disco intitulado "The New World of Les Reed", lançado no Brasil em 1973, pela gravadora Odeon, com o selo (label) London. O principal destaque desse trabalho é a releitura das músicas dos grandes autores clássicos, tais como, Strauss, Tchaikovsky, Bizet, Rachmaninoff, Prokofiev, Dvorak e Chopin. Ouça, aprecie e comente o que achou.

A seleção de clássicos do álbum com arranjos de Les Reed é composta das seguintes músicas:

1. Also Sprach Zarathustra (Strauss);
2. Romeo and Juliet (Tchaikovsky);
3. Habanera - sguidilla, de "Carmen" (Bizet);
4. The eighteenth variation (Rachmaninoff);
5. Swan lake (Tchaikovsky);
6. Sleighrie FA Lt. Kijé Suite (Prokofiev);
7. New world symphony - ultimo movimento (Dvorak0;
8. Samson & Delilah (Saint-Saens e Lemaire);
9. Segundo movimento da quinta sinfonia (Tchaikovsky);
10. Nocturne in "E" Flat (Chopin).



















Capa (Front) - Edição Japan - 1973 
 Cortesia: http://forgottenmasterpieces.blogspot.com.br/







 Tom Jones e Les Reed

 Links:



2 comentários:

  1. Muito bom !
    Interessante que já tinha ouvido esses arranjos inumeras vezes, em comerciais, programas de radio, tv, etc...
    Agora fiquei conhecendo o dono da arte!
    Parabens ao Les Reed! Arranjos diferentes e muito bem orquestrados!

    Abraços !

    ResponderExcluir
  2. Oi Ismar
    O objetivo é esse mesmo. Disseminar...
    Hedson LaPLaya

    ResponderExcluir