2019

2019

domingo, 31 de março de 2019

SIDNEY - ISTO É DANÇA - VOLUME 5 (1965)

Há poucas informações a respeito do músico, compositor e pianista Sidney. Segundo pesquisado na internet, seu nome verdadeiro era Sidney Marzullo, falecido em 2005, aos 65 anos de idade, no Rio de Janeiro. Seu auge de sucesso ocorreu nas décadas de 1950 e 1960, principalmente com a série de discos instrumentais “Isto é Dança”, onde contava com a direção do maestro Astor Silva.

Já o maestro, arranjador e compositor, Astor Silva, nasceu no Rio de Janeiro em 10/maio/1922 e morreu precocemente em 12/fevereiro/1968, no Rio de Janeiro. Foi importante maestro na época e sua orquestra ficou famosa pela força dos metais.

Iniciou sua atividade artística como trombonista de dancings. Por volta de 1940, passou a atuar no Cassino da Urca, e em outros, como os situados em Copacabana e Icaraí. Em 1946, com o fechamento dos Cassinos, passou a integrar a Orquestra Tabajara, dirigida por Severino Araújo, que realizou excursões pelo Brasil, Argentina, Uruguai, França, etc. Ainda como integrante da Orquestra Tabajara, apresentou-se na Rádio Tupi.

Posteriormente, transferiu-se para a orquestra do maestro Carioca que atuava na mesma emissora. Exibiu-se ainda na boate carioca Night and Day e na TV Rio. Foi diretor musical de diversas gravadoras. Na CBS desempenhou também a função de arranjador-chefe.

No início dos anos 1950, formou seu próprio conjunto com o qual atuou na Todamérica fazendo acompanhamentos para Flora Matos, Garotos da Lua, Virgínia Lane, Zilá Fonseca, Ademilde Fonseca e Raul Moreno.

Entre 1960 e 1963, atuou com seu conjunto e sua orquestra na Columbia. Em 1960, foi um dos responsáveis pelo sucesso do samba Beija-me, de Roberto Martins e Mário Rossi, gravado por Elza Soares com arranjos seus.

Em 1961, acompanhou com seu conjunto um das primeiras gravações do então iniciante cantor Roberto Carlos num 78 rpm com as músicas Louco por você e Não é por mim. Acompanhou também gravações de Risadinha, Wanderléa, também em começo de carreira, Cyro Monteiro, Rossini Pinto e Elis Regina, em uma de suas primeiras gravações, com as músicas A virgem de Macareña e 1, 2, 3, balançou.Foi um dos principais arranjadores da segunda metade dos anos 1950 e 1960.

O raro álbum desta postagem, intitulado "Isto é Dança - Vol. 5", foi lançado em 1965, pela gravadora CBS, com coro e orquestra sob a direção de Astor. Este competente trabalho instrumental tem influências claras de Ray Conniff, que predominava como sucesso na época. 

Um fato curioso e que era comum na época, principalmente na gravadora CBS era o o aproveitamento das capas em diversos discos. Isso aconteceu com o disco "Louco Por Você, de Roberto Carlos, em discos da Orquestra Brasileira de Espetáculos, Lafayette, entre outros. No caso da capa do disco desta postagem, eu tive oportunidade de vê-la na rede, em um álbum de coletâneas, da Argentina ou México, que agora não me recordo, porque infelizmente não anotei. Se alguém souber, por favor, me informe.

Tenho certeza que irão apreciar este material. Não esqueçam de deixar os seus comentários.

A seleção de canções instrumentais do disco são as seguintes:

01. Blowing in the wind;
02. Piel canela;
03. Se muy bien que vendra;
04. Diz que fui por aí;
05. Solitude;
06. Mi sono innamoratto di te;
07. Frenesi;
08. Wonderful land;
09. A luz do dia;
10. It had better be tonight;
11. My foolish heart;
12. Canzone d'amore.





















 Sidney Marzullo





Astor Silva

Links:


Um comentário:

Antonio Magalhães disse...

"Álbum Isto é Dança volume 5 sim o último da Série. Visto contrato da CBS
6º trabalho diversificado com arranjos de José Menezes: Ritmo Jovem/1965"

Postar um comentário