2018

2018

quinta-feira, 12 de julho de 2018

AUSCULTATE - GREGORIAN CHANTS SONGS OF SIMON & GARFUNKEL (2003)

O canto gregoriano, também chamado de cantochão, é um gênero de música vocal monofônica, monódica (só uma melodia), não acompanhada, ou acompanhada apenas pela repetição da voz principal com o órgão, com o ritmo livre e não medido, utilizada pelo ritual da liturgia católica romana.

As características foram herdadas dos salmos judaicos, cantados nas antigas Sinagogas, em conjunto com costumes locais, como das Igrejas Orientais, assim como dos chamados modos (conjunto intervalos musicais) gregos.

Somente este tipo de prática musical podia ser utilizado na liturgia ou outros ofícios católicos. Só nos finais da Idade Média é que a polifonia (harmonia obtida com mais de uma linha melódica em contraponto) começou a ser introduzida nos ofícios da cristandade de então, e a coexistir com a prática do canto gregoriano.

Diversos cantos eclesiásticos, de melodias simples, foram desenvolvidos em meio aos Séculos III e IV baseados nos recitativos da liturgia das primeiras gerações de cristãos. Cada região desenvolvia seu próprio repertório, bem como sua forma particular de execução.

Dessa forma, antecedendo o que viria a ser tornar o canto gregoriano, têm-se diversos tipos de cantos litúrgicos praticados em regiões diversas, como, por exemplo, o Ambrosiano (em Milão e norte da Itália), Romano (em Roma), Moçárabe (na Península Ibérica), Beneventano (no sul da Itália) e o Galicano (na Gália).

Por volta do século VI, Gregório Magno selecionou, compilou e sistematizou os cânticos eclesiásticos e diferentes liturgias ocidentais espalhados pela Europa com o objetivo de unifica-los para serem utilizados nas celebrações religiosas da Igreja Católica. É de seu nome que deriva o termo gregoriano.

Além da compilação e sistematização dos cânticos, o Papa Gregório fundou a “Schola Cantorum”, instituição cuja finalidade era ensinar e aprimorar o canto litúrgico. Mosteiros e abadias de toda a Europa enviavam religiosos para Roma no intuito de adquirir a necessária formação musical para, posteriormente, levar tais ensinamentos para a comunidade local.

Com a unificação e padronização realizada pelo Papa Gregório I, o canto gregoriano não apenas se propagou pelas Igrejas e Mosteiros da Europa, tendo seu auge na alta Idade Média, como também deixou de ser apenas recitações dos Salmos e trechos bíblicos, monges de mosteiros por toda Europa começaram a compor músicas e poesias com o canto gregoriano.

Um dos nomes que mais se destacou no que diz respeito à composição do canto gregoriano é o da freira beneditina Hildegarda de Bingen (1098-1179). Hildegarda se destacou com sua música, dentre outras áreas, e com seus versos que transcendem o texto meramente religioso e beiram a poesia.

Com o surgimento da polifonia no fim da Idade Média, o Canto gregoriano foi caindo em desuso e, consequentemente, no esquecimento. Foi o abade beneditino Prosper Guéranger (1805–1875) da Abadia de Solesmes, quem teve a iniciativa de, através do estudo de antigos manuscritos, iniciar o processo de restauração do canto gregoriano.

Tal processo paleográfico (estudo de textos e manuscritos antigos) ocorre até os dias de hoje, muitas vezes em parceria com Universidades, buscando não só a perfeita compreensão de manuscritos antigos como também o estudo performático para a execução mais apropriada do canto ritualístico.

O canto gregoriano não é um gênero musical no sentido estrito do termo. Desde seu surgimento que a música cristã é uma oração cantada, a qual devia realizar-se não de forma puramente material, mas com devoção ou, como dizia Paulo (Apóstolo): "cantando a Deus em vosso coração". O texto era, pois, a razão de ser do canto gregoriano. Na verdade, o canto do texto se baseia no princípio – segundo Santo Agostinho - de que "quem canta, ora duas vezes".

Nos dias atuais, ainda se pratica o canto gregoriano em mosteiros e outras instituições eclesiásticas. Entretanto, seu renascimento se deu por volta dos anos 1990, quando o do Mosteiro de Santo Domingo De Silos alcançou o primeiro lugar de vendas, em vários países, alcançando a marca de 5 milhões de cópias vendidas. Esse sucesso foi em decorrência de adaptarem músicas populares em estilo canto gregoriano.

Nesta postagem, como exemplo, apresentamos o álbum “Gregorian Chants – Songs Of Simon & Garfunkel”, interpretado pelo grupo Auscultate, lançado no Brasil, em 2003, pela gravadora MoviePlay.

O disco contém 12 faixas dos maiores sucessos da dupla folk “Simon & Garfunkel”, a seguir listados:

1. The sound of silence;
2. Homeward bound;
3. Scarborough fair;
4. Mrs. Robinson;
5. America;
6. The boxer;
7. Bridge over trouble water;
8. Old friends;
9. Bookends theme;
10. I am a rock;
11. Cecilia;
12. The only living boy in New York.































Gregorian Chants - Bridge Over Troubled Water (Simon & Garfunkel)




Gregorian Chants - Sound of Silence (Simon & Garfunkel)

Links:




Nenhum comentário:

Postar um comentário