2017

2017

domingo, 29 de julho de 2012

ORQUESTRA ROMÂNTICOS DE CUBA - NO CINEMA - VOLUMES 1 e 2 - 1961 / 1962

Nesta postagem, resgatamos mais duas obras da grande Orquestra Românticos de Cuba. Desta vez, apresentamos em formato "2 em 1", os dois volumes "No Cinema", lançados respectivamente em 1961 e 1962, pela gravadora Musidisc, do produtor Nilo Sérgio. 

Para maiores detalhes sobre a orquestra ver postagem do dia 15/02/2012.

Os dois álbuns já foram postados individualmente no excelente site: http://www.baudelongplaying.com

As músicas dos álbuns são:

Volume 1:
1. Smile / Limelight; 
2. C'est magnifique / With a song in my heart; 
3. Love is many splendored thing / Unchained melody; 
4. the song from moulin rouge / The last time I saw Paris; 
5. Que sera, sera / Gigi; 
6. Around the world / Tammy; 
7. Spellbound / Invitation; 
8. An affair to remember / Moonglow; 
9. Manhã de carnaval / Mulher rendeira; 
10. As time goes by / A woman in love; 
11. Three coins in the fountain / Laura; 
12. Colonel bogey / Love me or leave me

Volume 2:
13. Tonight / Never on sunday; 
14. Ben-hur / Summertime in venice; 
15. Midnight lace / The magnificient seven; 
16. Spartacus / Reis dos reis; 
17. Ebb tide / Moon river; 
18. The exodus song / El Cid; 
19. Theme from "The apartment" / Again; 
20. My funny valentine / Cry me a river; 
21. Pic nic / I love you Samantha; 
22. The green leaves of summer / Written on the wind



















sábado, 28 de julho de 2012

TECNOLOGIA E ESTRATÉGIA - UMA VISÃO GERAL DA INDÚSTRIA FONOGRÁFICA MUNDIAL - ARTIGO - 2003

Ao pesquisar diversos materiais arquivados no meu computador, me deparei com um artigo muito interessante, que foi editado em 2003, pela Revista Spei, uma publicação acadêmica, de autoria de Eduardo Henrique M. L. de Scoville. Trata-se do artigo "Tecnologia e Estratégica: Uma Visão Geral da Indústria Fonográfica Mundial. Apesar do tempo já decorrido dessa publicação, acredito que ainda vale a pena ler para visualizar o ponto de vista do autor naquela época.

O artigo pretendia apresentar uma breve análise da indústria fonográfica até aquele momento. Iniciou com um panorama histórico dessa indústria, identificando o processo de fusão e aquisição (concentração) e  os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, como elementos fundamentais para o desenvolvimento daquele setor. Na segunda parte do artigo, mostrou o crescimento da indústria fonográfica mundial, na década de 1990 e o desempenho insatisfatório do setor no início dos anos 2000. Certamente a partir dessa exposição o leitor poderá avaliar esse contexto com o posterior (2003 a 2012).



JACKIE GLEASON - PRESENTS VELVET BRASS - 1957

Conheci a música de Jackie Gleason quando ia ao cinema do meu bairro. Agradava-me desde o inicio o som equilibrado dos metais, cordas e piano. Até hoje quando quero relaxar eu coloco a sua música. 

Herbert John Gleason, ou melhor Jackie Gleason nasceu em 26/02/1916, no Brookliyn, cidade de Nova York e morreu em 24/06/1987, em Miami, Flórida. Antes de ser músico, J. Gleason iniciou sua carreia no final dos anos 1930, como comediante, atuando em rádio e em filmes. 

Logo participou de uma série de TV, “The Life Of Riley” e em seguida, em 1949, obteve o seu próprio programa de variedades, “Cavalcade Of Stars”, onde introduziu a maioria de seus personagens em esquetes (Sketches)  no show.

A partir de 1953, apesar de não saber ler ou escrever música, ele tinha idéias sobre a gravação de músicas que combinava com canções populares, com a utilização de cordas e metais nas orquestrações. 

Assim, ele contratou sua própria orquestra e estúdio, introduziu passagens de piano e partiu para as gravações musicais. Para começar fez um contrato de risco com a gravadora Capitol, assumindo os prejuízos em caso de insucesso, caso o número de cópias vendidas fosse inferior a 60.000 cópias. 

Para sua sorte, o álbum inicial “Music For Lovers Only” vendeu 500.000 cópias, tornando-se um estilo para se ouvir em momentos de tranquilidade (Easy Listening). Jackie Gleason lançou mais de 20 álbuns entre os anos 1953 e 1969, todos lançados pela gravadora Capitol Records.


Um dos álbuns que mais aprecio é o motivo desta postagem “Jackie Gleason Presents Velvet Brass”. Para quem não conhece Jackie Gleason e aprecia o estilo “Easy Listening”, vale a pena ouvir o álbum desta postagem. 

Esse disco foi lançado nos EUA, em 1957, pela gravadora Capitol Records e relançado em 1987, em Compact Disc. As músicas que compõem a seleção do disco são as seguintes:


1. You’re driving me crazy (What did I do?); 
2. Skyliner; 
3. But not for me; 
4. The man I love; 
5. Cherokee; 
6. Me and my shadow; 
7. Take the “A” train; 
8. By the beautiful sea; 
9. Am I blue; 10. What’s new?; 
11. Girl of my dreams; 
12. My buddy; 
13. I can’t believe that you’re in love with me; 
14. September song; 
15. Out of nowhere; 
16. Chinatown, my Chinatown.

























Links:


sexta-feira, 27 de julho de 2012

LUIZ CLÁUDIO - BEM JUNTINHOS - 1959

Segue a oitava postagem do cantor Luiz Cláudio. Desta vez, apresentamos para apreciação e conhecimento o álbum "Bem Juntinhos", lançado em 1959, pela gravadora Columbia. O grande destaque do disco continua sendo a interpretação das canções na voz suave e romântica do cantor. Das músicas do disco eu fico com a canção Eu Sem Você, composta por Oscar Bellandi. 

O único incoveniente foi a limitação de qualidade de audio, imposta pelas péssimas condições que encontrei no disco que obtive, principalmente na última faixa. Ainda vale a pena pela raridade do material. Se alguem possuir esse disco em melhores condições, favor repassar, para que possamos postar uma versão melhorada. As músicas do disco são:

1. Bem Juntinhos;
2. Amar em segredo;
3. Meu Deus não sei;
4. Foi num trem;
5. Quero-te assim;
6. Suas mãos;
7. Joga a rede no mar;
8. Olhe-me, diga-me;
9. Eu sem você;
10. Saudade chegando;
11. Folhas soltas;
12. Abandono.













LIVROS DE MÚSICA RECOMENDÁVEIS - 2012

Quando se trata de livros sobre músicas escritos em português e editados no Brasil, verificamos que há pouca coisa lançada. Felizmente nos últimos cinco anos, houve uma preocupação maior e principalmente uma demanda de leitores ávidos por esse nicho de leitura. Há muita coisa a ser publicada sobre a história da música brasileira em todos os estilos.

Aliado a esse fator de poucas edições, quando se trata de biografias, há um agravante em nosso sitema judicial que dificulta e censura os escritores que tem interesse de divulgar um pouco sobre a história desse ou daquele artista. Tomemos como exemplo o caso do livro "Roberto Carlos em Detalhes", do autor jornalista Paulo Cesár de Araujo. Seu livro acabou sendo proibido pela justiça, se tornou raridade e só é localizado na internet.

Nesta postagem, aproveito para apresentar uma lista de referências de livros sobre música, principalmente abrangendo a Jovem Guarda, que constam em minha coleção. particular. São livros , que valem a pena conhecê-los. Caso algum amigo do blog queira contribuir incluindo nessa lista outras obras não citadas, ficarei agradecido. Dessa lista, são vários os livros que se destacam. Entretanto, eu inicio a lista de destaques com um livro muito importante, denominado "300 Discos Importantes da Música Popular Brasileira", principalmente  pela seleção do material e da qualidade gráfica ali apresentada.








Link da listagem com as capas dos livros: http://www.4shared.com/office/42YZuG4S/livros_de_musica_v3.html

quinta-feira, 26 de julho de 2012

THE WORLD OF EASY LISTENING - VOLUME 5 - 1973

Para quem está gostando da série The World Of Easy Listening, lançada em 1973, na Inglaterra, pela gravadora Decca Records, segue agora o Volume 5, penúltimo álbum da série. A seleção musical e os arranjos continuam consistentes, agradáveis de se ouvir e de preferência admirando a modelo da capa. Confira as músicas do disco:

1. Lollopops and roses (The Johnny Howard Orchestra); 
2. My blue heaven (The Ivor Raymonde Orchestra & Chorus); 
3. Rififi (Gordon Francks and his Orchestra); 
4. Tip-toe through the tulips (Bert Melia and his Orchestra); 
5. Till the end of time (Roberto Mann and his Orchestra); 
6. Lara's theme from Doctor Jivago (The Johnny Howard Orchestra); 
7. The more I see you (Gordon Francks and his Orchestra); 
8. Quiet nights (Les Reed Orchestra); 
9. Love is blue (The Johnny Howard Orchestra); 
10. See you in september (Primo Scala and his Accordion Band); 
11. Caravan (The Hawaiians); 
12. Our day will come (Les Reed Orchestra.










quarta-feira, 25 de julho de 2012

THE WORLD OF EASY LISTENING - VOLUME 4 - 1973

Dando sequência na série The World Of Easy Listening, agora postamos o Volume 4, lançado na Inglaterra, em 1973, pela gravadora Decca Records. Assim como os outros da série, é um álbum muito agradável de se ouvir, tanto pela seleção das músicas da época, quanto pela competência dos arranjos das orquestras que fazem parte dessa coleção, sem contar com a beleza artística da capa. Confira as postagens anteriores. Esse álbum é composto das seguintes músicas:

1. Moonlight serenade (The Johnny Howard Orchestra); 
2. I'm always chasing rainbows (The Ivor Raymonde Orchestra and Chorus); 
3. Amapola (The David Withaker Orchestra); 
4. Moon river  (The Johnny Howard Orchestra); 
5. Music to watch girls by (The Hawaiians); 
6. Les parapluies de cherbourg (Gordon Franks and his Orchestra); 
7. Joanna  (The Johnny Howard Orchestra);  
8. Nicola (Les Reed Sound); 
9. Sweet georgia brown (Gordon Franks and his Orchestra); 
10. Beyond the blue horizon (The Ivor Raymonde Orchestra & Chorus); 
11. Lonely ballerina (Roberto Mann his Orchestra & Chorus); 
12. Meditation (The David Whitaker Orchestra)










MARCOS ROBERTO - SUCESSOS DE OURO - 2004

Morreu no sábado dia 21/07, aos 71 anos, em decorrência de insuficiência renal, o cantor e compositor Marcos Roberto. O músico estava internado desde o final de junho no Hospital Municipal Antonio Giglio, em Osasco, na grande São Paulo. Fez uma série de exames a fim de diagnosticar perda de peso, falta de apetite e fraqueza.

Segundo relatos de amigos, Marcos Roberto passava por uma fase de depressão desde a morte da sua mulher, Márcia, por câncer, no ano passado. Desenvolveu, então, um sério quadro de alcoolismo. Foi enterrado no cemitério Santo Antonio, em Osasco.

O cantor e compositor Marcos Roberto esteve vinculado ao universo do Movimento Jovem Guarda, tendo surgido com gravações em 78 Rpm, em 1960, cantando em inglês. Lançou o seu primeiro álbum em 1966, pela gravadora Continental. Ganhou mais popularidade na segunda metade dos anos 1960, quando passou a frequentar o programa Jovem Guarda, na TV Record, comandado por Roberto Carlos.

Seu maior sucesso foi a canção A Ùltima Carta, com parceria de Vicente Dias, lançado em disco Compacto Simples, de 1980, pela gravadora Copacabana Discos, vendendo mais de dois milhões de discos. 

Seu grande parceiro de composições foi o saudoso cantor e compositor Dori Edson, com a criação das músicas Perto dos Olhos, Longe do Coração e Veja Se Me Esquece. É dele uma das primeiras gravações da música Fio de Cabelo, canção de estilo Guarânia, cantada por Marciano e posteriormente obteria fama nacional nas vozes de Chitãozinho e Xororó. Outros sucessos fora, Fim de Sonho e Vai Embora Daqui, na voz de Sérgio Reis, que também obteve boa repercussão nas rádios. Gravou mais de 40 discos entre Long Playings, Compactos Simples, Compactos Duplo, Compact Disc e Coletâneas.

Fonte: Folha de São Paulo, 24/07/2012
Para homenagear essa voz que se cala, mas que está eternizado para os fãs da Jovem Guarda, apresentamos nesta postagem um álbum de coletânea dos seus sucessos, lançada em Compact Disc, em 2004, pela gravadora Atração Fonográfica, com as seguintes músicas:

1. A última Carta; 
2. Nó na garganta; 
3. Brigas de amor; 
4. Agora é tarde; 
5. Fio de cabelo; 
6. Será; 
7. Escreva-me; 
8. Que me importa a saudade; 
9. Perto dos olhos, longe do coração; 
10. Amor, amor, amor; 
11. Veja se me esquece; 
12. Mil quilometros de saudade.












sábado, 21 de julho de 2012

RENATO E SEUS BLUE CAPS - 1963

Nesta postagem vamos mencionar uma das bandas pop rock mais antigas do Brasil e talvez do mundo. O grupo Renatos e Seus Blue Caps foi formado em 1959, no Rio de Janeiro, por Renato Barros e seus dois irmãos Paulo César e Edson (Ed Wilson). Foi uma das bandas do Movimento Jovem Guarda, tendo como influência básica os cantores Elvis Presley, Little Richard e Bill Halley. Esse conjunto sempre será lembrado pelas músicas versões dos Beatles e principalmente pelos seus grandes sucessos tocados em bailes, tais como Menina Linda, Não te Esquecerei, Primeira Lágrima, entre diversas outros sucessos ao longo da carreira.

Os irmãos Barros eram jovens moradores do bairro da Piedade, no Rio de Janeiro e o primeiro nome do grupo foi “Bacaninhas do Rock da Piedade” Esse nome foi censurado e o radialista Jair de Taumaturgo sugeriu o nome definitivo, inspirado no conjunto norte-americano Gene Vicent And His Blue Caps.

Tocaram no rádio e em programas de televisão, como “Os Brotos Comandam”, da TV Rio, apresentado por Carlos Imperial. Seus componentes eram Renato Barros (guitarrista e vocal), Paulo César Barros (baixo elétrico e vocal) e Paulo Simonal (sax). Também participaram da banda os bateristas Cláudio Barboza (1º LP), Carlos Antonio Pinheiro- Tônio (2º LP) e Gilson. Como guitarrista base tocaram Ed Wilson (1º LP), Erasmo Carlos “O tremendão” (2º LP) e Carlos Alberto Costa Vieira “Carlinhos”. Além desses fizeram parte do grupo o sax tenor Cid Rodrigues Chaves, o “Cid”, ficando há mais tempo no grupo e o tecladista Mauro Motta.

Segundo o pesquisador Laercio Pacheco Martins, a primeira gravação do grupo “Renato e Seus Blue Caps” foi em 1959, pela etiqueta Ciclone, onde acompanharam o grupo vocal “Os Adolescentes”. Em 1962, gravaram o primeiro Compacto Simples pela gravadora Copacabana, onde focavam mais a música instrumental. Posteriormente, já a partir do segundo álbum, os vocais predominaram e na sequência se notabilizaram pela realização de versões de músicas de língua inglesa (a maioria britânica) e de composições do seu líder Renato Barros individuais e com parceiros.

Em 1963, Edson Barros saiu do grupo e iniciou sua carreira solo, com o nome artístico de Ed Wilson. Foi substituído por Erasmo Carlos que teve uma breve participação no grupo, gravando apenas um álbum. Em 1964, graças à insistência de Roberto Carlos, a banda assinou contrato com a gravadora CBS, gravando logo em seguida um Compacto Duplo e participando no acompanhamento de vários artistas durante as suas respectivas gravações. Logo fizeram sucesso se apresentando continuamente no programa da “Jovem Guarda”, além de concorrida agenda de shows, festas e bailes.

Em 1966, apareceram em dois filmes “Na Onda do iê-iê-iê (P&B) e Rio, Verão & Amor (Color). Entre 1965 a 1969, foi o auge do grupo, tendo gravado 6 álbuns Long Playing – LP, todos com enorme sucesso, atingindo altos índices de vendagem e execução nas rádios. Em 1968, o tecladista Mauro Motta passa a integrar a banda.

Depois de 28 anos na gravadora CBC, em 1982, a banda se transfere para a gravadora RCA, lançando inicialmente um compacto simples e no ano seguinte o álbum “Pra Sempre”. Posteriormente, em 1987, já na gravadora Continental lançaram o álbum “Batom Vermelho”. De lá pra cá os lançamentos de álbuns se restringiram em coletâneas de grandes sucessos.

Para homenagear Renato e Seus Blue Caps, apresentamos o seu segundo álbum “ lançado em 1963, pela gravadora Som com o selo Copacabana Discos, em 1981, com o selo Beverly e em 1992 relançado em Compact Disc, pela gravadora MoviePlay. 

Os destaques desse disco são a participação do cantor Erasmo Carlos, principalmente na música Estrelinha (Little Star) e as performances instrumentais. As músicas do disco são:
1. Limbo Rock; 
2. Walking My Baby Back Home; 
3. Estrelinha (Little Star); 
4. The Wanderer (O Lobo Mau); 
5. Comanche; 
6.Boogie do Bebê; 
7. Ford de Bigode; 
8. What’d I Say; 
9. Relax; 
10. Stand Up.

Fontes de Pesquisa:
1-Livro “O Rock And Roll –Origem, Mitos e o Rock Instrumental no Brasil e em Outros Países, do autor Laércio Pacheco Martins, Editora Própria.
2-Blog Bau Musical e Marcelo Luis - htpp://renatoeseusbluecaps.vilabol.uol.com.br











Capa da edição em Compac Disc - 1991






sexta-feira, 20 de julho de 2012

OS SUPER QUENTES E OS SUCESSOS - VOLUME 7 - 1973

O álbum desta postagem já foi mostrado em outros blogs, porém o bitrate de conversão para Mp3 dessas postagem eram de 128kbps. Antes de repostar o mesmo material, que considero valer a pena repetir, eu procuro pesquisar o vinyl LP para poder converter novamente em bitrate 256kps ou 320kbps e também extrair um material gráfico melhor. Nem sempre se consegue isso.

Mas consegui melhorar o álbum que estamos postando agora. Trata-se do Volume 7, do grupo de estúdio Os Super Quentes, lançado em 1973, pela gravadora CBS, com o selo Entré. Para obter mais informações sobre o grupo veja a primeira postagem deste blog. As músicas do disco são:

1. Me amas? (Do you love me?); 
2. Você mentiu (Friend and a lover); 
3. Vamos sacudir; 
4. Eu quero um xodó; 
5. Não sei porque; 
6. Hoje estou sofrendo; 
7. Sou tão feliz (Black and white); 
8. Eu bebo sim; 
9. Deixa a tristeza prá lá (The Locomotion); 
10. A espere; 
11. Vou viver a chorar; 
12. Eu passo as noites pensando.












Link:
or

THE WORLD OF EASY LISTENING - VOLUME 3 - 1973

Dando sequência a série de discos "The World of Easy Listening", da gravadora Decca Records, agora postamos o Volume 3, lançado em 1973, na Inglaterra. O que chama atenção é que em todos os disco da série constam músicas de compositores brasileiros. Outro ponto é que as orquestras praticamente sempre são as mesmas. Praticamente eu não as conhecia e achei bem interessante os arranjos e estilos. Algumas das orquestras que participam são The Johnny Howard, The Ray Miranda, The Les Reed Sound, Gordon Franks, José Pirata, The Ivor Raymonde e The David Whitaker. As músicas do disco são:

1. Moonlight and roses (The Johnny Howard Orchestra); 
2. Tico tico no fubá (The Ray Miranda Orchestra; 
3. Autumn leaves (The Les Reed Sound); 
4. It's nice to go trav'ling (Gordon Franks and his Orchestra); 
5. A man without love (The Johnny Howard Orchestra); 
6. I'm sitting on top of the world (The Ivor Raymonde Orchestra & Chorus); 
7. Samba de verão - Summer samba (The David Withaker); 
8. Imogene (Les Reed Orchestra); 
9. Never on sunday (Gordon Franks and his Orchestra); 
10. Over the rainbow (The Ivor Raymonde Orchestra & Chorus); 
11. I'm forever blowing bubbles (José Pirata and his Orchestra); 
12. J'attendrai (The Johnny Howard Orchestra).











quinta-feira, 19 de julho de 2012

LUIZ CLÁUDIO - ENCONTRO COM - 1956

Com o intuito de continuar apresentando a obra do cantor Luiz Cláudio, segue a sétima postagem. Desta vez, trata-se de um dos primeiros albuns, intitulado "Encontro com Luiz Cláudio", lançado em 1956, em 10 polegadas pela gravadora Columbia, posteriormente CBS.

Deste disco, destaco as canções Como é Bom Dançar, Os Pobres de Paris e Não Morro Sem Ver Paris. Infelizmente a qualidade de áudio deixa a desejar, em virtude do péssimo estado do vinyl LP que consegui. Entretanto, para quem vem conhecendo a obra, vale a pena ouvir. As músicas do álbum são:

1. Como é bom dançar;
2. Foi num trem;
3. Saudade chegando.
4. Os pobres de Paris;
5. História de amor;
6. Madsemoiselle de Paris;
7. Joga a rede no mar;
8. Não morro sem ver Paris.

















TRIO DÓ RÉ MI - 1966

Desta vez apresento uma raridade que acabei de achar em uma loja de discos usados. Trata-se de um álbum do grupo vocal Trio Dó Ré Mi, que atuou por pouco tempo na década de 1960. Infelizmente não obtive muitas informações a respeito. Espero que os amigos do blog possam contribuir com mais informações.

As poucas informações que destaco foram coletadas do prórprio álbum. O grupo era formado por Alcântara, Souza e Foster e tinham como característica a harmonia vocal, homogeneidade e simplicidade no cantar. O álbum desta postagem foi lançado em 1966, pela gravadora Companhia Brasileira de Discos, que depois viria a ser a Polygram, com o selo Fantasia. A produção deste álbum coube ao conhecido cantor e compositor Osmar Navarro. Para quem não conhece, recomendo que ouça com atenção. As músicas do disco são:

1. Não tem problema; 
2. Meu tempo é nunca mais; 
3. Traição; 
4. Despedida; 
5. Inveja; 
6. Mentira; 
7. Valsa da debutante; 
8. Menino do morro; 
9. Chão de estrelas; 
10. Garota Z. N.; 
11. Você passou; 
12. a vida trouxe vida.








or

EDU DA GAITA - UMA GAITA PARA MILHÕES - 1959

Edu da Gaita foi um dos maiores instrumentistas de sua época, porém pouco reconhecido na época e principalmente nos dias atuais. Com exceção de uma edição da gravadora Eldorado, a maioria dos seus álbuns nunca foram lançados em Compact Disc - CD. 

Em minha opinião, como instrumentista de harmônica, denominado pelo senso comum de gaita de boca, foi o maior que o Brasil já teve nessa categoria, rivalizando com os grandes instrumentistas mundiais. 

Uma curiosidade que descobri em minhas pesquisas, se refere ao primeiro registro na carteira de trabalho como músico. Na época, como não estava previsto músico para esse instrumento, indicaram na carteira de trabalho como "Músico Excêntrico". Para ver mais detalhes sobre o instrumentista, veja a postagem de 09/AGO/2011.

O álbum desta postagem "Uma Gaita Para Milhões", foi lançado em 1959, pela gravadora Som, com o selo Beverly. Infelizmente a fonte deste material não estava em perfeitas condições, impactando na qualidade da conversão da matriz em vinyl. 

Mas mesmo assim, recomendo que ouçam e verifiquem a qualidade desse espetacular instrumentista brasileiro. As músicas do disco são:

1. Le Grisbi (A gaita); 
2. Noturno nº2; 
3. Humoresque; 
4. Meu silencio; 
5. Xamego da yaya; 
6. Dança espanhola nº 5; 
7. Samba de orfeu; 
8. Sorte é prá quem tem (Basta um olhar); 
9. Num jardim de um templo chinês; 
10. As coisas que eu não te disse; 
11. Bom que dói; 
12. Manhã de carnaval (Canção de orfeu); 
13. Hô-bá-lá-lá















Links:



PERUZZI E SUA BANDA JOVEM - 1967

Nesta postagem apresentamos o álbum "Peruzzi e Sua Banda Jovem", lançado em 1967, pela gravadora Odeon, com o selo Parlaphone, com versões de músicas da época da Jovem Guarda, sendo a maioria em formato instrumental. O que chama atenção nesse disco é a participação de Eduardo Araújo e Silvinha em sua primeira faixa, interpretando um "Medley" de sucessos de rock, sem a citação de crédito para eles. Outro ponto a destacar é a falta de informações sobre o maestro Peruzzi, que além desse disco também participava de discos de estúdio com pseudõnimos. Vale pela raridade desse álbum. As músicas do disco são:

1. Medley 1 (Rock around the clock / Tutti frutti / Minha prima Dayse / Jambalaya / My Bonnie / Lets twist again / Baby - Hully Gully / Quero que vá tudo pro inferno / Help / Vou botar pra quebrar / Goiabão; 
2. Sunny; 
3. Never never; 
4. Mister Z; 
5. Medley 2 (Mr. Tambourine / Green grass / Something / Stupid cupid / Coisa linda / Piangi com me; 
6. Bus stop; 
7. Black is black; 
8. Last train to clarksville.











OR


THE WORLD OF EASY LISTENING - VOLUME 2 - 1973

Em 20/04/2012, iniciamos a postagem da série de álbuns "The World Of Easy Listening", com sucessos da época em formato de arranjos orquestrados, lançados na Inglaterra e alguns no Brasil. Além das belas capas, compostas com modelos que ainda não usavam "botox", nem próteses e tampouco "Photoshop".

O álbum desta postagem é o Volume 2, lançado em 1973, pela Decca Records. O destaque além dos belos arranjos e a modelo com camisa molhada, sendo uma atração a parte. Este volume conta com a participação das orquestras de The Johnny Howard, Bert Melia, The David Whitaker, Primo Scala, Gordon Franks, The Hawaiians, The Ivor Raymonde, Les Reed e Roberto Mann. As músicas que compõem o disco são:

1. Dream; 
2. I wish you love; 
3. The look of love; 
4. Blue skies; 
5. Michelle; 
6. I remember you; 
7. Hit the road to dreamland; 
8. A walk in the black forest; 
9. Fly me to the moon (in other words); 
10. Rocco's theme; 
11. Desafinado; 
12. Monya.










New Link:

quarta-feira, 18 de julho de 2012

PAUL MAURIAT - MICHELE - VOLUME 22 - 1976

Aos amigos do blog que me solicitam que continue a postar os álbuns da Orquestra de Paul Mauriat, segue para apreciação o Volume 22. Para quem está chegando agora, já foram postados todos os volumes anteriores

Esse disco foi lançado no Brasil em 1976, pela gravadora Phonogram, com o selo Philips.  Além das 12 canções do álbum, foram incluídas mais 6 músicas bônus, cortesia do blog. São as seguintes canções do disco:

1. 17 ans (Ar seventeen); 
2. Viens faire un tour sous la pluie; 
3. Eastern love song; 
4. A quoi sert de vivre libre (Can't give you anything - But my love); 
5. All by myself; 
6. Michele; 
7. There's a kind of hush; 
8. J'attendrI; 
9. Ça vas pas changer le monde (Non cambia il mondo); 
10. Toi la musique et moi; 
11. Musique du film "Mahogany" (Do you know where you're going to); 
12. Grand film (Grand film TMC).

Bônus
13. Oh la la Osaka happy new song; 
14. La reine de saba; 
15. Poupee de soie (Dolls and dreams); 
16. Love still blue (Disco Mix 4th version); 
17. Penelope (Disco version); 
18. Boules de neige (White slope).











Links: