2016

2016

sábado, 9 de novembro de 2013

LAURO PAIVA - O RITMO É - 1963

O instrumentista, pianista, organista compositor Lauro Paiva nasceu na cidade de Salvador, Bahia, no dia 13/11/1913. Mudou-se para o Rio de Janeiro em meados da década de 1950.
Começou sua carreira artística dirigindo uma orquestra na Rádio Excelsior da Bahia. Em 1956, gravou pelo selo Repertório o samba Eu fui à Bahia, de Rossini Pacheco, e o samba-choro Lauro Paiva no choro, de sua autoria.

Em 1959, lançou pela Continental o Long Playing – LP.  "Night Club - Lauro Paiva e Seu Conjunto" no qual interpretou músicas de sua autoria como Boogie no samba e Um chorinho dos nossos, ambos com Gaúcho, além de clássicos da música internacional como Carioca, de V. Youmans, G. Kaba e E. Eliscu, Perfume de gardênia, de R. Hernandez, Luar nos rochedos (Midnight on the cliffs), de L. Pennario, Luna de miel en Puerto Rico, de B. Capó, e Blue star, de E. Heyman e V. Young, além dos sucessos da música popular brasileira Quando voltares, de Roberto Roberti e Arlindo Marques Júnior, Ela disse-me assim, de Lupicínio Rodrigues, Você passou, de Alcyr Pires Vermelho e Nazareno de Brito, Dá-me tuas mãos, de Erasmo Silva e Jorge de Castro, e Não tenho lágrimas, de Max Bulhões e Milton de Oliveira.

Em 1960, lançou dois discos LPs, um pela gravadora Continental e outro pela gravadora Copacabana. No LP "Night Club Nº 2 - Lauro Paiva e Seu Conjunto", da Continental, registrou o Mambo swing, de sua autoria e Gaúcho, Só Deus, de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, Águas paradas, de Israel Paixão, Esse seu olhar, de Tom Jobim, Menina moça, de Luis Antônio, Bronzes e cristais, de Alcyr Pires Vermelho e Nazareno de Brito, Vivem em paz, de Dalton Vogeler, e Favela amarela, de Oldemar Magalhães e Jota Júnior, entre outras.

Já no LP "Gafieira em bossa nova - Lauro Paiva e Seu Ritmo", da Copacabana, que marcou sua estréia nessa gravadora registrou doze clássicos da música popular brasileira orquestrado, segundo os ditames da bossa nova então em pleno cartaz. Foram eles: Gavião calçudo, de Pixinguinha, Na Pavuna, de Almirante e Candoca da Anunciação, Dorinha meu amor, de José Francisco de Freitas, Fita amarela, de Noel Rosa, Jura e Gosto que me enrosco, de J. B. da Silva (Sinhô), Olhos verdes, de Vicente Paiva, Rosa morena e Lá vem a baiana de Dorival Caymmi, Se você jurar, de Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves, e André de sapato novo, de André Victor Correia.

Em 1961 gravou o disco LP "Sucessos com Lauro Paiva - Lauro Paiva e Conjunto" com sucessos como Palhaçada, de Haroldo Barbosa e Luis Reis, Poema do adeus, de Luis Antônio, Sonho e saudade, de Tito Madi, Eu e o samba, de Nelson Castro, Perdão, de César Cruz, e Beija-me depois, de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, entre outros.

Em 1962, lançou o disco LP "Xeque-mate em dois lances - Lauro Paiva e Seu Conjunto de Danças" no qual incluiu sucessos internacionais além de cinco clássicos de Noel Rosa, Feitiço da Vila, Conversa de Botequim e Feitio de oração, com Vadico, e Palpite infeliz e Último desejo.

Transferiu-se para a gravadora MGL em 1963, e lançou o disco LP "O ritmo é... Lauro Paiva - Lauro Paiva e Seu Conjunto”. Nesse disco, gravou músicas como Influência do jazz, de Carlos Lyra, Alô Verinha, de sua autoria, Canção do fim, de U. Minucci e R. Jordan em versão de Paulo Rogério, Eu sei que vou te amar, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, E você não dizia nada, de Hélio Sindô, Sacoman e Jorge M., e Na cadência do samba, de Ataulfo Alves, entre outras.

Dois anos depois, lançou pela Caravelle com seu conjunto e o Coro do Clube do Guri o LP "Tim... dom... dom... - Lauro Paiva e Seu Conjunto e Coro do Clube do Guri" interpretando músicas que tematizavam o Rio de Janeiro: Tim dom dom, de João Mello e Codó, Na roda do samba, de Orlann Divo e H. Menezes, Ela é carioca, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, Praia do Leme, de sua autoria, Berimbau, de Baden Powell e Vinicius de Moraes, Rio" e Balansamba, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, Balanço Zona Sul, de Tito Madi, Samba do avião, de Tom Jobim, O amor em paz, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, Preciso dar um jeito, de Silvio César, e Manhã no Posto 6, de Armando Cavalcanti.


Em 1974, sua interpretação do samba Ela disse-me assim (Vá embora), de Lupicínio Rodrigues foi incluída no disco LP "Homenagem a Lupicínio Rodrigues", da gravadora Continental. Com intensa atuação artística nas décadas de 1950 e 1960, além da apresentações em Rádios e shows em clubes e boates, gravou LPs nas gravadoras Copacabana, Caravelle, MGL e Continental.

O álbum da postagem "Ritmo É..." foi lançado em 1963, pela gravadora MGL, com o selo (label) Paladium. O interessante é que posteriormente foi lançado outra edição, contendo a mesma capa, repetindo algumas músicas instrumentais da edição anterior e incluindo as músicas Sete homens de ouro (On est si bien), Tema feliz, Nuvens, Samba uai e Sonho lindo. As músicas da primeira edição são as  seguintes:

1. Influencia do jazz;
2. Alô verinha;
3. Canção do fim (Make haste my love);
4. Eu sei que vou te amar;
5. E você não dizia nada;
6. Na cadência do samba;
7. The jet;
8. Hava nagila;
9. Tea for two;
10. Trumpet cha-cha-cha;
11. Dance avec moi;
12. Suave é a noite (Tender is the night).











 Contra Capa da segunda edição



Label da segunda edição
Links:



2 comentários:

  1. Excelente postagem,nem lembrava me do Lauro Paiva,mas já o conhecia,grande músico,versátil para sua época,
    foi bom postar o disco dele,assim novas gerações podem conhece lo através de seu excelente blog,grande abraço do Silvestre,a propósito,ainda estou no aguardo do grande Ely Arcoverde...rssss...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Silvestre
      Obrigado pela seu acesso. É preciso que resgatemos para os mais jovens todos esses grandes artistas que moldaram a musica brasileira. Muito trabalho foi feito, grandes obras ainda continuam no limbo do tempo.
      Agora quanto ao Ely Arcoverde....estou a procura...Está na fila....rsss
      Hedson LaPlaya

      Excluir