2018

2018

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

LOUNGE BRASIL - CANTORAS (2002) COMPILAÇÃO CHARLES GAVIN

Nesta postagem, apresentamos um álbum de 2002, compilado por Charles Gavin, ex-baterista da banda Os Titãs, intitulado "Lounge Brasil - Cantoras", lançado no Brasil, pela gravadora Natasha.

Essa seleção mostra algumas belas interpretações em inglês, realizadas por cantoras brasileiras, principalmente ocorridas na década de 1960. Acredito que vale a pena conhecer.

Para complementar, a seguir a transcrição de uma nota na Revista Época, de 16/08/2002, a respeito desse disco:

REVISTA ÉPOCA 16/08/2002
“Se os vinis com as faixas originais do CD 'Lounge Brasil' fossem colocados numa sala fechada junto com alguns DJs, a vida de alguns deles poderia estar em risco. Compilado pelo titã Charles Gavin - que anda remexendo os arquivos das gravadoras em busca de canções perdidas - reúne cantoras brasileiras dos anos 1960: Maysa, Sylvia Telles, Norma Bengell, Hebe Camargo (ela mesma), Doris Monteiro e Wanda Sá, num repertório que mistura clássicos das trilhas sonoras de Hollywood, bossa nova e jazz.

As gravações são quase todas da década de 1960 - um pouco mais ou um pouco menos - e a maioria delas nunca tinha sido lançadas em versões digitais. E o CD - lançado pela Natasha Records - apresenta surpresas.

A começar pela faixa de abertura, C'est si bon, com Norma Bengell, que faz também uma segunda participação com You better go now, ambas retiradas de seu disco 'Oooooh Norma!', de 1959. O álbum pretendia lançar a vedete de Carlos Machado como cantora e na capa, ela parecia estar nua. Logo Norma trocaria a carreira de cantora pela de atriz.

Para a sempre dramática Maysa estão reservadas alguns dos melhores momentos de 'Lounge Brasil', com uma versão para I love Paris, de Cole Porter (gravada em 1961) e Light my fire - do The Doors - num registro ao vivo num show no Canecão em 1969.

Há ainda, de Maysa, Get out of town (gravação de data desconhecida). Sylvia Telles, outro ícone da época, aparece em But not for me, (de Gershiwin, gravação de 1964) e Gardez moi pour toujours (por causa de você) - versão em francês da música de Tom Jobim e Dolores Duran gravada em 1960 - e All the way/the boy next door/they can´t take that away from me (de 1960).

Surpresa também é voltar para os primórdios da carreira da apresentadora Hebe Camargo - que começou como cantora. Como em Ponhon pom pom (de 1963), que fala sobre a bossa nova (Na hora de beijar, ponhon´pom pom / na hora de amar ponhom / Na hora de casar, cadê lua de mel? É só ponhon pom pom/ ponhon pom pom). Claro que Hebe Camargo é uma cantora menor do lado de Maysa, por exemplo. Mas é a Hebe e colabora ainda com duas outras faixas.

O disco ainda tem Wanda Sá - com Vivo sonhando e Inútil paisagem, ambas de Tom Jobim retiradas de seu disco 'Vagamente' de 1964 e Dóris Monteiro, com Receita para esquecer (1963), Tristeza de nós dois (1963) e De noite na cama, versão da música de Caetano Veloso de 1971. Que, aliás, faz lembrar muito a versão (posterior) de Marisa Monte. É Uma revirada no baú.”

A compilação é composta das seguintes canções e intérpretes:

1. C'Est si bon (Norma Bengel);
2. But not for me (Sylvia Telles);
3. I love Paris (Maysa);
4. You betther go now (Norma Bengel);
5. Receita para esquecer (Dóris Monteiro);
6. Já sei quem sou (Hebe Camargo);
7. Tristeza de nós dois (Dóris Monteiro);
8. Pom ion pom pom (Hebe Camargo);
9. Get out of town (Maysa);
10. All the way / The boy next door / They can't take that away from me (Sylvia Telles);
11. Vivo sonhando (Wanda Sá);
12. Um pequeno nada (Hebe Camargo);
13. Inútil paisagem (Wanda Sá);
14. Gardez moi pour toujours - Por causa de você (Sylvia Telles);
15. Light my fire (Maysa);
16. De noite na cama (Dóris Monteiro).























Links:







Nenhum comentário:

Postar um comentário