2015

2015

terça-feira, 28 de julho de 2015

RONNIE McDOWELL - UNCHAINED MELODY - 1986 - REPOST

Hoje, a pedido, reapresentamos o álbum "Unchained Melody", do cantor americano Ronnie McDowell. No Brasil, Ronnie Mcdowell é pouco conhecido. 

Acredito que o único registro é esse álbum que repostamos, lançado em 1986, pela gravadora CID - Companhia Industrial de Discos, com o selo (label) Fama. 

O carro-chefe do disco é uma versão da canção Unchained Melody, que foi lançado na esteira do sucesso do filme “Ghost”, que tinha como protagonista principal o ator Patrick Swayse e cuja trilha sonora continha essa a música. Não foi lançado em formato Compact Disc - CD.

Os destaques nesse disco ficam por conta da participação de alguns cantores já consagrados, tais como, Bobby Vinton, conway Twitty, Jack Scott, Jerry Lee Lewis e Waine Newton, realizando vários duetos


As faixas que compõem esse disco são as seguintes:

1. Unchained Melody; 
2. Paralyzed; 
3. Blue Velvet (com Bobby Vinton); 
4. It’s only make believe (com Conway Twitty); 
5. Burning bridges (com Jack Scott); 
6. Cry to me; 
7. Never too old to rock and roll (com Jerry Lee Lewis); 
8. Since I don’t have you; 
9. She’s my Saturday night special (com Waine Newton); 
10. Smokey places.
















 Capa (Front) - Edição USA





domingo, 26 de julho de 2015

LES REED - THE NEW WORLD OF - 1973

O compositor, músico, arranjador e maestro Les Reed  (Leslie David Reed) nasceu em 24 de julho de 1935, em Woking, Surrey, Inglaterra). Seus principais parceiros compositores foram Gordon Mills, Barry Mason e Geoff Stephens, embora tenha escrito canções com diversos outros compositores, tais como Roger Greenaway, Roger Cook, e Johnny Worth.

Les Reed, em sua carreira ganhou inúmeros discos de ouro, prêmios Ivor Novello e, em 1982, o “Gold Badge of Merit” da Academia Britânica de Música. Les Reed foi um dos grandes músicos do estilo “Easy Listening”.

Sua carreira começou cedo com a idade de quatorze anos, tocando piano, acordeão e vibrafone. Ele estudou na London College of Music, antes de se juntar a Willis Reed Group, com quem excursionou por quatro anos. Tendo sido chamado para as forças armadas, ele tocou piano e clarinete na Banda Militar Real East Kent. Na sequência, se tornou profissional, como pianista residente no Lido Nightclub, no West End de Londres.

Em 1959, como pianista, Reed se juntou ao The John Barry Seven. Atuou com o grupo em Drumbeat da BBC, tocando muitos dos sucessos, incluindo James Bondt theme, Hit and Miss e  Walk, do not run. Também tocou piano no Chart Topping Hits para Adam Faith (Poor Me e What do you want?), Forget me not, para Eden Kane e Be mine, para Lance Fortune.

Em meados dos anos 1960, ele começou uma parceria musical bem sucedida com Geoff Stephens, que produziu sucessos como Tell me when, para os Applejacks; Here it comes again, para The Fortunes, Leave a little love, para Lulu e There’s a kind of hush, para a banda Herman’s Hermits, em 1967. No ano de 1964, também tinha escrito e preparado o arranjo de It’s not unusual, emparceria com Gordon Mills, sucesso de vendas na Inglaterra, do cantor Tom Jones.

No decorrer do tempo, Les Reed iniciou outra parceria musical com Barry Mason. Eles escreveram uma canção para Kathy Kirby, I’ll try not to cry, para participar no “A Song for Europe 1965”, concurso da BBC para escolha de uma música para representar o Reino Unido no Festival Eurovisão da Canção daquele ano, em Nápoles.

Em 1967, a parceria Les Reed/Barry Mason tinham um hit chamado Everybody Knows, para o grupo The Dave Clark Five. Outro sucesso, de 1968, foi a canção Delilah, que originalmente tinha sido escrita para o cantor PJ Proby, mas acabou sendo a Top Ten do ano, com o cantor Tom Jones.
Ainda nesse mesmo ano, no mês de setembro, também escreveram a canção The last waltz, que vendeu mais de  um milhão de cópias, no Reino Unido, na voz de Engelbert Humperdinck. Em 1968, a dupla marcou no Reino Unido um outro hit número 1, com a gravação de "I Pretend" de Des O'Connor.

Também em 1968, saiu a canção I’ve got my eyes on you, que foi composta por Les Reed e Jackie Rae, que foi gravada pela cantora Petula Clark, Ray Conniff, P.J. Proby e The Vogues. Após a versão original de Petula Clark, Connie Francis gravou Kiss me goodbye, no álbum intitulado “Connie Francis Sings the Songs of Les Reed”, que contou com o próprio Les Reed como produtor e pianista, cujo álbum foi lançado em novembro de 1969.

No período de 1970 a 1974, a Orquestra de Les Reed gravou a canção Man of action, que foi utilizada como tema musical do programa radiofônico “Radio North Sea International. Les Reed também é responsável pela co-autoria de Marching on together, que é o hino do time de futebol Leeds United AFC.

Em 1971, saiu a canção When there’s no you, com co-autoria de Jackie Rae, que foi gravada por Engelbert Humperdinck e se tornou um grande sucesso das paradas do estilo Easy Linstening.

Algumas premiações podem ser citadas, começando com o Tokyo Music Festival 1973, Les Reed e Stephens venceram o “Silver Star”, com a canção Sandy Sandy. Em 1977, Les Reed e Tony Macaulay triunfaram no Concurso Internacional da Canção, em Maiorca, na Espanha com a música You and I. Já com  Roger Greenaway foram agraciados com o prêmio Grand Prix, em Seul para Everytime you go.

Como já citados anteriormente, as composições de Les Reed foram gravadas por inúmeros artistas, entre eles Elvis Presley, com Girl of mine e This is our dance, Shirley Bassey, com Does anybody miss me e Bing Crosby, com That’s what life is all about.

No quesito trilha sonora de filmes são creditados a Les Reed as trilhas para  The Girl on a Motorcycle” (1968), “The Bushbaby” (1969), “One More Time” (1970), “George and Mildred” (1980), “Creepshow 2 (1987) e Parting Shots” (1999). Além disso, compôs para produções musicais, incluindo “The Show Magic” (1974), “American Heroes”, “Then I Wrote”  e “Beautiful and Dammed” (2004). Em 1994, a Reed produziu um álbum de Max Bygraves para arrecadar dinheiro para a “Lest We Forget Association”.

Em 1998, ele foi homenageado como um “Freeman of the City of London”, por suas contribuições à indústria da música. Na sequência, nesse mesmo ano, Les Reed foi premiado com uma Ordem do Império Britânico. 

Fonte: wikipedia, julho 2015

O álbum desta postagem, ainda não foi apresentado na rede, com o seu material gráfico. Trata-se do disco intitulado "The New World of Les Reed", lançado no Brasil em 1973, pela gravadora Odeon, com o selo (label) London. O principal destaque desse trabalho é a releitura das músicas dos grandes autores clássicos, tais como, Strauss, Tchaikovsky, Bizet, Rachmaninoff, Prokofiev, Dvorak e Chopin. Ouça, aprecie e comente o que achou.

A seleção de clássicos do álbum com arranjos de Les Reed é composta das seguintes músicas:

1. Also Sprach Zarathustra (Strauss);
2. Romeo and Juliet (Tchaikovsky);
3. Habanera - sguidilla, de "Carmen" (Bizet);
4. The eighteenth variation (Rachmaninoff);
5. Swan lake (Tchaikovsky);
6. Sleighrie FA Lt. Kijé Suite (Prokofiev);
7. New world symphony - ultimo movimento (Dvorak0;
8. Samson & Delilah (Saint-Saens e Lemaire);
9. Segundo movimento da quinta sinfonia (Tchaikovsky);
10. Nocturne in "E" Flat (Chopin).



















Capa (Front) - Edição Japan - 1973 
 Cortesia: http://forgottenmasterpieces.blogspot.com.br/







 Tom Jones e Les Reed

 Links:



domingo, 19 de julho de 2015

PAUL MAURIAT - FOREVER AND EVER - VOLUME 16 - 1973 - REPOST

Nestes quatro anos de blog, é normal que links de algumas postagens estejam desativadas (quebradas), pois ao dependermos de servidores gratuitos corremos esse risco. Infelizmente, pelo pouco tempo disponível e pela quantidade de postagens, fica difícil verificar quais são essas postagens. Por isso, recorro as manifestações dos amigos. A medida que vão encontrando, me informam.

E dentro dessa premissa, a pedido, segue a repostagem de um álbum orquestral que considero um dos meus preferidos da sua extensa discografia. Estou me referindo ao volume 16, da Orquestra de Paul Mauriat, lançado no Brasil em 1973, pela gravadora Phonogram, com o selo (label) Philips.

 
O disco contém as seguintes músicas e mais quatro bônus oferecidos pelo blog:
1. Forever and ever; 
2. Les Matins D'hiver; 
3. Le jeune fabre; 
4. les volets clos; 
5. Laisse moi vivre ma vie; 
6. Il etait une fois; 
7. Fais comme l'oiseau (Você abusou); 
8. Contigo mi vida (Concerto nº 21 Mozart); 
9. Brooklyn the sea; 
10. Toccata; 
11. Sleepwalk 
12. Si on chantait.

Bônus

13. Sonia; 
14. Rien qu'une larme; 
15. Tout donne, tout repris; 
16. Toccata (Live).



















========================================================







 

terça-feira, 14 de julho de 2015

JOHNNY MATHIS - RAINDROPS KEEP FALLIN' ON MY HEAD - 1970

Ainda embalado pelos anos 1970, resgatamos mais uma obra do cantor americano Johnny Mathis. Esta postagem é para o amigo do blog, Peter Hammil, que há tempos não recebo seu contato e que em uma de  nossas postagens desse artista, manifestou que ouví-lo é para pessoas de sensibilidade.

Realmente, concordo com a sua afirmação, pois Johnny Mathis é um dos grandes cantores do estilo "Easy Listening". Assim, apresentamos o álbum "Raindrops Keep Fallin' on my Head, lançado no Brasil em 1970, pela gravadora CBS e nos Estados Unidos com o selo Columbia. O grande destaque desse disco fica por conta da seleção de grandes canções da época.

Caso aprecie o estilo acesse também nossas Postagens Anteriores do cantor Johnny Mathis.

A seleção desse álbum é composta das seguintes canções:

1. Raindrops keep fallin' on my head (From the film Butch Cassidy and The Sundance Kid);
2. Honey come back;
3. Watch what happens (From the film Les Parapluies de Cherbourg);
4. Something;
5. Alfie (From the film Alfie);
6. Midnight cowboy (From the film Midnight Cowboy);
7. A man and a woman (From the film Un Homme et Une Femme);
8. Odds and ends;
9. Jean (From the film The Prime of Miss Jean Brodie);
10. Everybody's talkin' (From the film Midnight Cowboy);
11. Bridge over troubled water.




 Capa (Front) - Edição US e Brasil (1970)





  Contra Capa (Back) - Edição Brasil (1970)



  Contra Capa (Back) - Edição US (1970)




Selo (Label) - Edição Brasil (1970)

Links:



LOS TROPICANOS - VOLUME 5 - 1970

Em Postagens Anteriores, já havíamos resgatado alguns álbuns do grupo de estúdio Los Tropicanos. Desta vez, repostamos com ajuda do blog SintoniaMusikal, do amigo Chico, onde aproveitamos, principalmente os arquivos de áudio. Aproveito e agradeço essa contribuição. 

O disco é o Volume 5 da série lançada pela gravadora Odeon, em 1970, com o selo (label) Parlophone. O que difere do material postado no SintoniaMusikal e do LaPlayaMusic é com relação a inclusão de um material gráfico adicional preparado pelo blog.

As músicas que compõem esse álbum são as seguintes:

1. Ti voglio tanto bene;
2. My cherie amour;
3. Venha ver o que restou de nós;
4. As curvas da estrada de Santos;
5. Yester me, yester you, yesterday;
6. Daydream;
7. A namorada que sonhei;
8. O diamante cor de rosa;
9. Se eu pudesse conversar com Deus;
10. As flores do jardim de nossa casa;
11. Something;
12. I'll never fall in love again.















Links:





======================================================


segunda-feira, 13 de julho de 2015

THE BELLS - O MURO DE BERLIM - 1980

Nesta postagem, resgatamos mais uma obra do Movimento Jovem Guarda. Apesar de já ter sido postado na rede, reapresentamos o álbum da banda The Bells, que tinha como carro chefe a música O Muro de Berlim

Esse disco, o segundo da banda, foi lançado originalmente em 1966, reeditado em 1968 e relançado em 1980, pela gravadora RGE. Na edição de 1968, com o selo (label) Premier. Esse disco tem apenas quatro músicas instrumentais e os destaques das rádios e programas de TV foi a música O Muro de Berlim, de Roberto e Erasmo Carlos e O Homem de Virginia, tema do filme de faroeste com o mesmo nome da TV da época. 

Para quem não conhece The Bells segue um pouco de sua história. Foi um conjunto vocal / instrumental de São Paulo, formado por Carlos Alberto Belmonte (guitarra solo), Nilo Antonio Alves - Reverendo (guitarra ritmo), Sebastião de Souza - DiSouza (contrabaixo), José Mathias - Zézinho (sax) e Ariovaldo Ambrósio -m Ary (bateria). Na gravação do segundo disco passou a fazer parte da banda no sax, Antonio Tergolim - Tergolo.

No seu primeiro disco, lançado pela RGE em 1963, denominado "Proibido Para Maiores de 18 Anos", a banda estreou o equipamento eletrônico considerado um dos mais caros na época. O repertório desse álbum segue desde a música russa Dark eyes, com arranjos dos The Bells, onde o sax de Zezinho (José Mathias) se destaca. Outra música, Hully gully bells, composição de Carlos e Nilo, mostrou qualidade e a capacidade de ambos. Também é possível ouvir belos solos em Apache, Blue star e Gonzalez. O disco foi um marco no gênero.

Posteriormente, lançaram em 1968, um terceiro álbum em formato Long Playing - Lp, pela gravadora RCA Victor, chamado "Poder Jovem" e participaram nesse mesmo ano do filme "Bebel a Garota Propaganda.

As músicas que compõem  o disco da postagem são as seguintes:

1. O muro de Berlim;
2. Capri C'est fini;
3. Girl;
4. Este anel de diamante (Diamond ring);
5. Carcereiro, quero água (Jailer, Bring Me Water);
6. Bye , bye baby;
7. O homem de Virgínia;
8. Ring dang doo;
9. Bittersweet samba;
10. O relógio do vovô (My grandfathers clock);
11. Não me aborreça (Don't brother me);
12. Dance o dive (Do the dive);




 Capa (Front) - Edição 1980



  Contra Capa (Back) - Edição 1980



 Selo (Label) - Edição 1980



  Capa (Front) - Edição 1966




Contra Capa (Back) - Edição 1966




 Contra Capa (Back) - Edição 1968




 Selo (Label) - Edição 1968





Compacto Simples - Edição 1966

Links:







domingo, 12 de julho de 2015

THE SOLID GOLD COLLECTION - BOSSA NOVA - VOLUME 4 - 1988

Em 1988, quando comprei um dos meus primeiros aparelhos, leitor de mídia Compact Disc - CD, cuja nova tecnologia pretendia revolucionar a forma de se ouvir e também aposentar os antigos Long Playing - LP, recebi de brinde um álbum, já neste novo formato, que ouvi inúmeras vezes e ainda continuo ouvindo, principalmente quando pego um trânsito mais intenso.

Hoje ouvindo-o novamente resolvi compartilhá-lo com os amigos do blog. O disco é uma coletânea de canções da Bossa Nova, que se intitula "The Solid Gold Collection - Bossa Nova - Volume 4", lançada em 1988, pela gravadora CBS. Esse volume fazia parte de uma série lançada na época com sucesso. Tenho certeza que apreciarão.

As músicas que compõem a seleção desse álbum são as seguintes:

1. Vivo Sonhando / Triste / Meditação (Emilio Santiago);
2. Corcovado / Insensatez (Nara Leão);
3. A felicidade / O nosso amor (João Bosco);
4. De conversa em conversa / Tim, tim por tim tim / Uma nota só / Falsa baiana (Quarteto em Cy);
5. País tropical / Chove Chuva (Moraes Moreira);
6. Nós e o mar / Wave (Guilherme Arantes);
7. Garota de Ipanema / Rio / Ela é carioca (Leni Andrade);
8. Vagamente / Manhã de carnaval (Ney Matogrosso);
9. Chega de saudade / Tem dó (MPB4);
10. Se é tarde me perdoa / Você e eu / Saudade fez um samba (Carlos Lyra)


Veja também outras postagens de BOSSA NOVA no blog LaPlayaMusic.








Links:


sexta-feira, 10 de julho de 2015

ENOCH LIGHT - MUSIC MAESTRO PLEASE - VOLUME 2 - 1979

Em 22/Maio/2015, postamos o álbum "Music Maestro Please - Volume 1", da Orquestra de Enoch Light, com a promessa de logo em seguida postar o Volume 2, fato que está ocorrendo agora.

Essa coletânea foi lançado no Brasil em 1979, pela gravadora Copacabana, com o selo da Project 3. Sem dúvida, o destaque fica para os arranjos muito bem elaborados em releituras agradáveis de se ouvir. Vale a pena conhecer...

As músicas orquestradas que compõem esse volume são as seguintes:

1. Without out (Tres palabras);
2. What a difference a day made;
3. Eleanor rigby;
4. I've got a crusch on you;
5. Be my love;
6. Laura;
7. Penny Lane;
8. Summertime;
9. Malaguena;
10. Autumn leaves;
11. April in Portugal;
12. Saxophofia;

Bônus:

13. Penny Lane (Versão 2);
14. Summertime (Versão 2).


Veja também as Postagens Anteriores da Orquestra de Enoch Light.












Links:

===================================================