2016

2016

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

ED LINCOLN - NOVO TOQUE- 1989


Neste ano a música brasileira perdeu um grande músico, arranjador e instrumentista, Ed Lincoln, falecido em 17/07/2012, aos 80 anos e não poderíamos encerrar o ano sem realizar uma homenagem do blog LaPlaya.

Ele se destacou sua carreira tocando órgão elétrico e foi considerado o Rei dos Bailes, nas noites cariocas, principalmente nas domingueiras dançantes do Clube Monte Líbano e se torna um dos maiores vendedores de disco do país na época.

Eduardo Lincoln Barbosa nasceu em Fortaleza, Ceará, no dia 31/03/1932 antes de ser músico trabalhou como revisor e redator do Jornal do Povo, em sua cidade natal. Já no Rio de Janeiro, sua carreira deu início, quando ele tocava contrabaixo no conjunto da Boate Plaza, acompanhando as feras da bossa nova Johnny Alf, Luiz Eça (Tamba Trio) e Dick Farney. Logo passa a tocar piano e em seguida o órgão elétrico, instrumento que o consagrou definitivamente.

Em 1955, formou o seu próprio grupo musical e no período de 1955 a 1958 atuou na Boate Drink. Foi o responsável pelos acompanhamentos musicais das gravações dos então iniciantes Claudete Soares e Baden Powell.

Já com alguns discos de sucesso em seu currículo musical, em 1960, Ed Lincoln é contratado pela gravadora Musidisc, do produtor Nilo Sérgio, onde além de lançar seus discos, ele assumiu a função de diretor musical. Lançou vários álbuns, com boas vendagens, utilizando de pseudônimos, que muita gente nem sabe que era o Ed Lincoln quem estava por trás das gravações, tais como, Don Pablo de Havana, Les 4 Cadillacs, Berry Benton, Conjunto Balambossa, The Lovers, Cláudio Marcelo, Glória Benson, Ed Kenned, John Marcel, Danny Marcel, Les Amants, Orquestra Casablanca, orquestra Los Angeles, TecnoOrquestra, Orquestra Romance Tropical e Muchacho nas Bocas.

Em 1963, sofreu um grave acidente automobilístico que o deixa afastado das atividades durante 7 meses. Nesse período, Eumir Deodato o substituiu nos bailes contratados. Em 1968, funda o selo De Savoya e lança o que é considerado o primeiro disco independente do país, que para a época era algo muito ousado.

Em seu grupo musical atuaram como “crooners”, Orlandivo, Toni Tornado, Silvio Cézar, Pedrinho Rodrigues, Emílio Santiago, entre outros. Já como músicos participaram, Durval Ferreira, Marcio Montarroyos, Luis Alves, Wilson das Neves, Paulinho Trompete e Celinho.

Na década de 1970, Ed Lincoln se afastou das gravações de álbuns autorais, se dedicando em trabalhos em estúdio, incluindo “jingles” e trilhas sonoras, além dos discos com lançados sob pseudônimos.

Na década seguinte, foi um dos primeiros músicos a experimentar a música eletrônica e computadores, lançando inclusive em 1989, um álbum no formato Long Playing – Lp com um microcomputador Commodore 64. Sua música passou a ser reconhecida inclusive no exterior, sendo “sampleadas” nas pistas de dança. Seus discos foram pirateados e comercializados na Europa. A música É o Cid, foi relançada numa versão para bailes funk, pela Furacão 2000.

Em 2003, após 30 anos afastado dos palcos, Ed Lincoln se apresenta com seu grupo no Centro Cultural Primeiro de Março, numa série de shows, do projeto “Sambalanço – A Bossa”, que correu o mundo. No mesmo ano, se apresentou no show “Saudade Fez Um Samba”, no Centro Cultural Banco do Brasil.

Em 2005, devido a problemas de saúde, principalmente à limitação dos movimentos corporais, herança do acidente automobilístico de 1963, se afasta definitivamente dos palcos, passando a residir em Petrópolis, Rio de Janeiro, mas não se afasta definitivamente da música, ainda gravando “jingles” publicitários e realizando participações especiais em gravações de outros artistas.

Em 2010, o cineasta Marcelo Almeida filmou o documentário “Ed Lincoln – O Rei do Sambalanço”. Nesse mesmo ano, Emílio Santiago lança o álbum “Só Danço Samba”, com músicas do repertório de Ed Lincoln e contanto com a participação especial do próprio no “pout-pourri” Zum, Zum, Zum / Vou Rir de Você / Na Onda do Berimbau.

Em 2011, após uma pesquisa cuidadosa de Marcelo Fróes, sua discografia lançada pela Musidisc e DeSavoya foi relançada em formato box, pela gravadora Discobertas, todos remasterizados, com o título “Ed Lincoln – O Rei dos Bailes”.

Fontes: Blog Cultura CabeSound, Luiz Otavio Braga e Wikipedia.

Para homenagear esse grande músico que partiu e deixou toda uma obra musical, compartilhamos o álbum com uma compilação de seus sucessos, denominado “Ed Lincoln – Novo Toque”, lançado em 1989, pela gravadora Polygram, com o selo United Artists, com as seguintes músicas.

1. O ganso; 
2. São salvador; 
3. Ai que saudade dessa nega; 
4. Waldemar; 
5. Gaivotas; 
6. The Blues walk; 
7; Montanha russa (Melô do esqueleto); 
8. É o Cid; 
9. Palladium; 
10. Catgedral; 
11. Na onda do berimbau / Pergunte ao João / Zum, zum, zum.












Nenhum comentário:

Postar um comentário