2018

2018

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

TONY FABIAN - LA MONTANAZA (1970)

Neste resgate, apresentamos o álbum instrumental "Mais Sucessos Com", de Tony Fabian, lançado em 1970, pela pequena gravadora Girasom, contendo sucessos comerciais da época.

Para quem ainda não sabia, Tony Fabian é o pseudônimo do compositor, pianista, maestro e arranjador brasileiro Edmundo Villani Cortes, nascido em 08 de novembro de 1930, em Juiz de Fora/MG, tendo gravado uma série de discos instrumentais com esse nome, Tony Fabian.

O que chama atenção é para a carreira dele que estava mais para erudita do que para o popular. A impressão que se tem é que esses discos com o pseudônimo de Tony Fabian era uma forma de ganhar dinheiro para sobreviver da música.

Ele cresceu em uma família musical. Autodidata, ele aprendeu a tocar viola com o apoio de sua família. Em 1954, foi estudar no Conservatório Brasileiro de Música do Rio de Janeiro, ao piano, com Lorenzo Fernandez e Guilherme Mignone. Em 1960, ele continuou seus estudos em composição com o famoso Camargo Guarnieri e Henrique Morelembaum.

Na década de 1960, se apresentou como pianista de concerto em orquestras, tais como a “Orquestra Tamoio”, com o maestro Cipó, no Rio de Janeiro e da “Orquestra de Luís Arruda Paes”. A partir de 1967, ele se tornou conhecido como arranjador de cerca de 600 obras para as orquestras da TV Tupi, em São Paulo e TV Globo no Rio de Janeiro.

Em 1968, Fez arranjos e composições para o filme “O Matador”, de Amaro César e Egidío Écio. Também, participou de shows internacionais como pianista, acompanhando a cantora Maisa e Altemar Dutra. A partir de 1973, ficou responsável pela cadeira de música funcional da Academia Paulista de Música.

Atuou como professor da Academia Paulista de Música, no Instituto de Artes da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, e também professor de composição na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desde 1988. Nessa época iniciou uma série de apresentações como regente de conjuntos de câmara e como pianista, incluindo composições de sua autoria.

Como compositor, ele escreveu e fez arranjos em vários gêneros musicais, sendo de sinfonia, jazz e música popular. Foi premiado em vários eventos internacionais, em 1978, no “Noneto Concerto”, em Munique, na Alemanha e em 1986, com o primeiro lugar, no Concurso de Composição Editora da Cultura Musical de "Choro Pretensioso" e em 1990 e 1991 em um concurso de composição com a Orquestra de Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

No dia 30 de maio de 1998, defendeu sua tese de Doutorado no Departamento de Música do Instituto de Artes da UNESP, intitulada "A utilidade da prática da improvisação e a sua presença no trabalho composicional do Concertante Breve para quinteto e Banda Sinfônica de Edmundo Villani-Côrtes".
  
O disco da postagem contém uma seleção instrumental composta pelas seguintes músicas:

1. La montanaza;
2. Joseph;
3. Maria Izabel;
4. Não creio em mais nada;
5. Mi viejo;
6. He ain't heavy, he's my brother;
7. Rainbow;
8. Reflections of my life;
9. Justo nesta noite;
10. Yellow river;
11. Domingo em Buenos Aires;
12. Quero voltar pra Bahia.













Links:







Nenhum comentário:

Postar um comentário